quarta-feira, 19 de agosto de 2020

ai o amor, que nem sempre é lindo...

Conheço duas pessoas que se gostam tanto que nem sabem como se gostar. Então perdem tempo a discutir incessantemente, a procurar minudências para entrar em guerra. porque até a guerra preferem à distância e ao vazio.

Há gente tão ceguinha... valha-me Santo António!, que neste caso me parece o santinho mais apropriado para invocar.

segunda-feira, 17 de agosto de 2020

Para que fique registado

Os fins de semana quase só têm servido para descansar. Sinto que dois dias é pouco para recuperar da semana cheia. A casa precisa de atenção mas eu também, e resolvo pôr-me em primeiro lugar. 

Férias não há e vou tentando, sempre que permitido, tirando sextas e ou segundas. Fiz isso no final de Julho, devo voltar a pensar nisso em Setembro, quando toda a gente tiver regressado de férias.

Ontem voltei às corridas na rua. Já eram quase oito da noite, mas obriguei-me a isso. Não sei se vai haver corrida de São Silvestre no final do ano, mas haja ou não, naquele dia vou ter que conseguir correr 10 km. E como diz o PT, nem que tenha de andar de megafone atrás de mim, para eu não desistir.

Já gostei menos de correr mas não deliro. No fim de tudo, mesmo indo contrariada, no final sabe bem sentir que a prova foi superada. Ontem corri cinco quilómetros e nem o mosquito que engoli e me ia deixando asfixiada me fez parar. O tempo foi miserável, mas nem é isso e agora o mais importante.

Portanto, agora é dar continuação. Aproveitar para correr na rua enquanto não vem o Inverno, e tentar chegar à meta, isto é, aos dez quilómetros [sem paragens].

Já estive pior. Quem diria. Estou orgulhosa de mim.

Percebes que isto do fitness é capaz de ter vindo para ficar...

Quando aproveitas as horas de almoço para ver vídeos de treino.

Ando eu a dizer que não quero ter uma "prateleira traseira" enorme (faz-me confusão! mas é aqui que os centímetros têm aumentado!) e as fulanas a exibirem a retaguarda...


quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Mais outra coisa que eu não percebo...

Já disse que não percebia a adoração das pessoas por almôndegas, aqui. Agora tenho visto muitos registos fotográficos insistindo naquilo que assinalam como um manjar dos deuses, um pitéu de comer e chorar por mais.

Alguém me explique tanto alarido/ publicidade/ partilha por causa de uma banana coberta, de forma generosa, bastante generosa, com manteiga de amendoim? 

Além de não entender o fascínio por manteiga de amendoim, fazer deste snack uma coisa divinal parece-me um exagero. E vamos lá a ver uma coisa, será que as pessoas pensam que, por comerem manteiga de amendoim estão a ingerir menos calorias que manteiga normal? ao ponto de barrarem pornograficamente uma banana? estão mesmo enganadinhas...

Entre uma colher de manteiga de vaca e uma colher de manteiga de amendoim, não chegam a ser mais de uma dezena de calorias de diferença. Isto faz-me lembrar a anedota da mulher que come uma sobremesa hipercalórica ao almoço, mas pede café com adoçante...

isto do feito rebanho nas redes sociais também me faz confusão: ele faz, nós fazemos, eles fazem, fazemos todos porque é bem... e ninguém pára para pensar, analisar... mas isto são outros quinhentos!

domingo, 9 de agosto de 2020

Já vai numa ligeira irritação...

As pessoas não largam os telemóveis. Levam-nos para todo o lado, vão ao wc com eles, dormem com eles, sei lá o que mais fazem com eles...

Eu mando uma SMS ou um whatsapp a alguém, e se o faço, na maioria das vezes é porque espero uma resposta, e passam-se, não são horas, são dias, até que as pessoas me dêem um simples sim ou não, ou pode ser... Uma resposta, coisa simples! 

Ou as pessoas são tão solicitadas que não têm tempo para responder, ou o problema sou eu, e os meus contactos acham melhor ignorar-me... Começo a achar, sinceramente, que é esta última. Os telemóveis têm luzinhas, notificações, sei lá que mais, e as pessoas simplesmente não abrem as mensagens. Não percebo. Deve ser só comigo. Por enquanto, isto só me está a deixar tremendamente irritada. Não tarda, e a repetir-se vezes sem conta, começa a deixar-me triste...

Curiosamente, quando acontece o contrário, se eu não respondo pouco tempo depois, acham que algo não está bem. Eu respondo logo que posso, e não responder quando sou interpelada para isso, parece-me um tremendo sinal de má educação e desinteresse. Mas isto sou eu que penso assim, e devo estar a pensar mal.

Se calhar, os telemóveis dos outros já não servem para comunicar... Só o meu. 


quarta-feira, 5 de agosto de 2020

Vaidade e orgulho

Nunca, em tempo algum, senti tanto amor por mim, como nos últimos tempos.
E todos os dias, a confiança vai crescendo mais um bocadinho.
Não sei se é maturidade, se orgulho, ou somente vaidade. Amor-próprio é de certeza!

Pensava eu que era brincadeira...

Muito se tem falado nas redes sociais da capa da Woman Health [nem de publicidade precisam, dadas as tiragens] e do que a Helena Coelho fez para ter aquele ventre lisinho a atiçar a inveja de muitas mulheres. Na altura que saiu a primeira edição, estive a discutir com o treinador o assunto, apesar de não ter visto o conteúdo na integra. Ela já tinha visto a publicação escrita e eu estava a acompanhar o instagram.

Agora, há uns dias, ele disse que estava a ultimar uma ideia nova para me lançar um desafio. 
Hoje era dia de abraçarmos o tal desafio, mas acabou por não acontecer. Parece que vamos começar a fazer os treinos que a Helena Coelho descreve na revista e que a fez ter aquele corpo para a revista - eu ainda não consegui apanhar nenhuma edição - e com isto chegar a uma conclusão.
Digamos que vai ser juntar o útil a uma demonstração de prova. 
Confesso que estou curiosa e com formiguinhas para experimentar, para ver até onde consigo ir, ou melhor, se é um treino soft ou daqueles duros que já estou habituada. Vamos  a isso!