Mensagens

Políticas acertadas (acho eu)

Conheço alguns homens com uma política muito rígida quanto aos locais de trabalho.
Se todos a seguissem, haveria muito menos confusão...

Não comas carne do sítio onde ganhas o pão.

para fechar a semana e este assunto...

Se há coisa que faz complicação à minha cabeça é eu fazer uma má avaliação acerca do carácter de alguém. Que a pessoa não seja de bom carácter, o meu comportamento é simples: Adeus, passe muito bem!, e já está.
Costumo ser muitos perspicaz nisso das avaliações. Ou costumava. e começo a duvidar de mim nesse aspecto.
há uns tempos atrás conheci uma pessoa que, na minha perspectiva, me parecia de bom carácter, de bem, com a suas qualidades e os seus defeitos como toda a gente. talvez eu estivesse um pouco abalada e de vista toldada.
Confesso que tendo eu um feitio difícil, tentei de certa forma anular um pouco o vincado que tem, para dar espaço à outra pessoa. Fui muito branda, direi até submissa quando só o sei ser em poucas situações. Para que não houvesse colisões nos interesses. afinal, estávamos para o mesmo. devíamos dar-nos bem, ambas as partes sairiam beneficiadas. Fui sincera, verdadeira. A outra parte viu que eu o estava a ser. Fui muito preto no branco. Mas a parceria continu…

Quem diz a verdade...

Imagem
Ligou-me a J., logo pela manhã, e perante o meu bom dia [apagado] pouco típico, disse-me: então o que é isso? para sexta-feira, estás com uma voz muito triste. Na altura estava concentrada e o bom dia terá sido um pouco evasivo, talvez. tem sido uma semana um bocado de altos e baixos, em termos de humor. Tem havido quem me consiga puxar o sorriso, a gargalhada, o riso de ir às lágrimas, como ainda aconteceu esta manhã. e logo eu, que me rio por qualquer coisa e um par de botas, não faço nenhum esforço em conter o riso... as rugas perto dos olhos são indícios do quanto o riso me é habitual. mas tem mérito quem me consegue pôr nesse estado alegre, nos meus dias menos bons ou, no extremo, em dias de melancolia.
estou sentada à secretária e não me apetece trabalhar. a vontade não vem. deve ter ficado em casa. mesmo depois de ter bebido sangria ao almoço, que não é habitual beber [e ajuda ao bom humor, ao meu , pelo menos]. e de ter rido mais um pouco. e de me terem oferecido a minha frut…

Sei pouco da vida. Muito pouco.

Sei pouco da vida. Muito pouco.  Há dias que continuo a achar que a ignorância é uma bênção. Outras vezes, nem tanto assim. às vezes, ignoro as coisas propositadamente porque dar-lhes importância é estar a perder tempo precioso para outros recursos bem mais úteis. 
Ao longo tempo - e, talvez, com um workshop de PNL, há uns tempos atrás - compreendi que, apesar do ditado dizer que água mole em pedra dura, tanto bate até que fura, há repetições que só nos cansam. São infrutíferas. Estarmos a insistir num determinado acto, vezes e vezes sem conta, não vai mudar o resultado. Principalmente se, do outro lado, a pessoa também insistir no seu erro. Talvez, também por isso, se tenham acabado as chatices entre mim e a colega, sempre depois das minhas férias. Porque tinha que passar a pente fino toda a informação de todos os dias fora, para ainda salvar o que era possível. Eu, se na altura, não tivesse o nariz avariado, aposto que era capaz de lhe sentir o cheiro do medo. Mal eu lhe pedia uma …

*Quando as minhas couves não casam com as tuas batatas 😊

Quando ontem disse que era simplista em muitas atitudes, baseava-me em assumir coisas de uma forma muito matemática. Do género um mais um são dois. e pronto. Ou como diz o ditado popular, o que não tem remédio, remediado está, e não se pensa mais no assunto. Mas esqueci-me que 1+1-2+2 não deixam de ser dois na mesma… Têm mais parcelas e eu, por vezes, só vejo as parcelas óbvias.
Ontem debatia com uma pessoa [chamemos-lhe C], a questão da paixão que possa existir quando duas pessoas aprofundam laços [estou a simplificar o debate]. Dizia-lhe eu que, quando a pessoa me diz que está apaixonada [ou eu estou apaixonada] e passado um tempo, não vê/vejo a sua paixão devolvida na medida que acha(o) justa, que aquilo não tem pernas para dar, que é mais o que nos separa que o que nos une,  diz-se adeus e cada um vai à sua vida, eu ainda tento uma coisa: ficarmos amigos. não acontecendo, deixo-a partir definitivamente. Custa-me ficar a mágoa, porque custa mesmo, mas se já não há retrocesso, tento …

da minha simplicidade e pragmatismo

Às vezes, o meu lado simplista e pragmático faz muita confusão às pessoas.

Ao ponto de acharem que eu desvalorizo tudo ou não dou a importância devida às coisas. Dou [sou toda ouvidos, cérebro e coração], mas como complicada já basta a vida, mas vale não complicar ainda mais...

Pontaria

São raras as vezes que saio a horas do trabalho. Hoje foi um dos dias que saí cedo.

Para logo a seguir apanhar um acidente, que me vai fazer chegar a casa à mesma hora que se tivesse saído tarde. E ainda tenho que me encontrar com um cliente da empresa, para resolver um problema.

Estou há mais de meia hora especada no mesmo sitio. Entalada entre camiões.
E a paciência hoje é tão pouca... (pelo menos, o carro não está na reserva. Mas estou a levar com o sol nas trombas e uma velhota está a tentar furar a fila. Ai a esperteza...)

E, por fim, o pesado tombado e muita mini espalhada no chão...