sexta-feira, 14 de outubro de 2016

ir embora de mansinho

Acho que já vos disse que, numa outra fase da minha vida, tive um blogue com um registo um bocadinho mais reservado do que este. Desse para este, foram poucas as pessoas que me acompanharam. Foi como se começasse uma vida nova, numa outra morada. A minha vida não era fictícia, tal como continua agora a não ser. Foi um ciclo que fechei, que meteu doenças e mortes, desencontros e separações, e um amor que podia não ter sobrevivido não fosse ele mais forte que tudo isso. Foi um ciclo longo da minha vida que quase me levou a loucura, e enlouqueceu de dor quem acabara de perder alguém.
Este blogue, o Sítio, acabou por desvendar o outro lado mais relacionado com a maternidade, das aventuras daquela que tem sido a minha jornada de infertilidade.
Podem não acreditar, mas ate há pouco tempo atras era-me mais difícil ler sobre a infertilidade dos outros do que viver a minha própria. Via nos outros uma revolta que eu não tinha. O caminho ia-se fazendo, caminhando. Acho que, com isso, conseguem perceber que sofro bastante com a infelicidade dos outros. quando se trata de mim, julgo que me podia acontecer ainda pior... tenho relativizado, ate ao dia que descobri , ou melhor, fui informada que, ainda  não sabendo o que me impede de engravidar, sofro de um problema torna a gravidez num processo não evolutivo. Soube disto em Setembro. Um dia antes, soubemos da noticia que , ao fim de seis meses, ele iria submeter se a tão desejada cirurgia. o problema que me ocupou a mente, foi finalmente resolvido. Distraiu-me do meu. O dele nada tem a ver com fertilidade. Felizmente esta a recuperar bem. Em dois dias de Setembro, curiosamente, um deles coincidiu com o aniversário dele, este ciclo começou a fechar-se.
E porque conto tudo isto?
Porque me parece que este meu ciclo de vida esta prestes a encerrar.
Gostaria de um dia, ainda chegar aqui e dar a boa nova a quem realmente me acompanha e torce verdadeiramente pela concretização do sonho. E certo que o ciclo da minha vida ainda não se fechou totalmente, e quando se fechar, não vou fechar este blogue e abrir o outro. Não creio que isso torne a fazer sentido.
E natural que, um dia, eu me tenha ido embora, sem deixar outra morada. Ainda me prendem aqui algumas pessoas, mas findo um ciclo e natural que não nos reencontremos por aqui. 
Obrigada  aos que se importam, aos que retornam todos os dias em busca de esperança para si também, aos que vêm porque sim. Obrigada Por me acompanharem neste ciclo de vida. Irei embora devagarinho. De mansinho.

domingo, 9 de outubro de 2016

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação...
Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa.
[Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.]
Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido.
Agora volto a preocupar-me com a Jardim de Chuva Prateada.
Andei arredada dos blogues nos últimos meses, mas tinha-me dado conta que se andava a passar algo. Já tem o blog privatizado há algum tempo, não sei quanto... não responde a cartas ou email, algo muito invulgar nela.
Alguém sabe alguma coisa dela? sabem se está tudo bem? agradeço informações.

[preocupamo-nos com as pessoas que gostamos..]

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

sera moda nos blogues agora

Colocar todo o tipo de pratos e combinações de qualquer coisa com figos?

(a temporada deles esta quase a acabar, deve ser disso...)

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)