Avançar para o conteúdo principal

Cá com os meus botões


imagem daqui


As prioridades começaram a desenhar-se ainda não tinha chegado o Verão. Resolvi que a forma de me disciplinar, de sair do deixa andar, era impôr-me a normas rígidas de conduta na minha vida. Além disso, achava que me sentia de bem comigo e suficientemente resolvida com os outros, para me deixar de pôr nos últimos lugares da lista.
Há coisa de um mês a minha primeira prioridade estava prestes a ser cumprida. Diziam que tinha tudo para ser cumprida. Contrariamente aos prognósticos de gente optimista, não aconteceu. Sinceramente, nem sei se acontecerá. Os obstáculos são agora maiores do que aqueles que até agora foram ultrapassados. A esperança, confesso - tem-se desvanecido como o arco-íris no céu. Não vou negar que a situação ainda me afecta. E talvez uma certa inveja. Não posso ficar indiferente.  Uma coisa é o que diz a boca, outra o que diz o coração.
Sim, assumi que iria esquecer, recomeçar, ultrapassar. Quis sempre pensar assim. Mas nem tudo é linear.
Ando desde o início da semana a magicar na minha segunda prioridade. Digamos que não estou mal, mas não será que podia estar melhor? Preciso de ter um novo trabalho, novos desafios e de me sentir mais compensada- e não falo só em termos monetários- pelo trabalho prestado.

Sei que a maioria das pessoas vai achar-me estúpida por querer mudar, nos tempos que correm. Mas continuo a querer manter-me no topo das minhas principais prioridades. Digamos que ando a reunir todos os argumentos para a mudança. Preciso de tomar conta da minha própria vida. Até agora tenho sido um barco de papel lançado ao mar.

Comentários

  1. A situação vai manter-se sempre na lembrança. Claro que afecta, por mais que digas que não, é evidente que isso é algo que afecta. Não és insensivel ao ponto de conseguir sair totalmente ilesa do que aconteceu.

    Quanto ao resto... Vai à luta e conquista!!

    Boa sorte! ;)

    ResponderEliminar
  2. Querida Alice, um dos meus lemas de vida, é nunca viver uma vida adiada, como sabes. Por isso força!
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

nada que consiga com palavras simples

A ideia de sair do emprego não era nova. Era uma ideia adiada. Viver agarrada à ideia que precisava do emprego para concretizar sonho(s) era só forma de me ancorar ao certo, ao fácil, ao controle, caso algo corresse mal. Afinal, ter um filho a quem se pensaria dar tudo era, para mim, condição suficiente e necessária, para manter o sustento sem solavancos nem travagens bruscas.
Já há demasiadas coisas simples a subtraírem minutos ao meu sono todos os dias. Se pensava em trazer alguém ao mundo então tudo deveria ser bem calculado, medido, pensado ao mais ínfimo pormenor. Preocupei-me demasiado em aconchegar um sonho em camas de algodão fofo e sedoso, que tudo o resto foi descuidado. Os outros [sonhos] foram sendo descuidados, apagados da memória, subnutridos até serem deixados morrer por incúria de mim mesma. Esta semana comecei a enviar CV e até tive uma proposta de entrevista no mesmo dia. Retraio-me em candidatar-me a umas quantas coisas, em dar conhecimento a conhecidos do meio so…

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)