Avançar para o conteúdo principal

Resultado

NEGATIVO.

Na vida, quando nos são vedados tantos caminhos, aprendemos a criar uma certa imunidade à palavra não.
Aprendemos que as coisas perfeitas - sem luta, nem lágrimas - não são para nós. Ficamos de alma calejada das dores que nos infligem.  
Foi assim que recebi a notícia, com a alma pronta, que a luta e as lágrimas vão fazer parte deste caminho. Há que seguir em frente, sem olhar para trás. Chorei pela dor que li nos olhos de quem tinha esperança. Eu trato da minha dor, esquecendo num canto mais escuro da minha memória. A vida fora da minha barriga segue em frente.

(o meu obrigada a todos os que me apoiaram. espero que os que nunca passam por isto, percebam que, não se trata de os casais não quererem ter filhos. Nem sempre podem. Não julguem nem apelidem de egoísmo. os factos já são demasiado duros, não censurem o que desconhecem. Além disso, um tratamento é mais uma oportunidade de o conseguirem. Mas não garante nada. Ao contrário do que muita gente pensa.)


Comentários

  1. Alice, descobri o que blogue há poucos dias, numa fase complicada da minha vida. Quando leio as tuas palavras parece que estou a ouvir os ecos da minha mente. Revejo-me em tantas palavras. Não sei bem o que se passa, mas suspeito. Se quiseres falar o meu mail é oamoreperfeito@gmail.com. Desejo-te muita força. Nunca percas a esperança!!

    ResponderEliminar
  2. "Aprendemos que as coisas perfeitas - sem luta, nem lágrimas - não só para nós."
    Identifico-me com estas palavras. Somos muito parecidas, já vimos isso. Sei a dor que te vai na alma, mas também sei a força que está dentro de ti. Foi uma primeira tentativa. Cada caso é um caso. Há quem consiga à primeira, há quem tenha de tentar mais vezes. E vais tentar, vais ter a força para tentar e tentar... e hás-de conseguir.
    Bjinhos grandes

    ResponderEliminar
  3. Dina e Raiozinho

    Obrigada a ambas.

    beijinho

    ResponderEliminar
  4. "[Cada] tratamento é uma oportunidade do o conseguirem. Mas não garante nada"

    Foi o vosso primeiro e teria sido perfeito se conseguissem, mas a perfeição não existe, por isso vamos insistindo...
    Um dia será o vosso dia. Há que saber aguardá-lo e manter a esperança!

    Beijinho muito grande.

    Sara

    ResponderEliminar
  5. Sara,

    Sim,a perfeição não existe, mas podíamos ser um dos casais a quem podia ter acontecido logo à primeira e não aconteceu. A insistência mantêm-se, pelo menos, de forma natural :), nunca se sabe se não terei a tua sorte. Seria fabuloso, confesso.

    Quanto a outro tipo de insistência, a decisão não é apenas minha. Há quem tenha uma ferida muito aberta no coração para insistir. E eu respeito.afinal tem de ser uma decisão comum. Vamos ter tenpo para a ferida fechar; confio que depois disso, vamos ter a alma mais leve para decidir o melhor para nós.

    Um beijinho grande e o meu obrigada do fundo do coração.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

das minhas fragilidades. tenho coisas para contar, mas hoje "roubo" palavras a outros

O momento de escrever o que Maio me trouxe e me levou, vai chegar. falarei sobre isso, quando me sentir com os pés mais perto da terra e menos de cabeça para baixo. Sem os dramatismos com que agora vejo os acontecimentos.Maio trouxe e levou. A minha vida continua um novelo com muitas pontas e poucos fins à vista. tenho de falar nisso. Porquê? porque preciso. só não sei por que ponta começar.

Enquanto as minhas palavras não saem, gostei das de outrem, que não hesitei em roubar, sem pedir licença, mas dando os devidos créditos.

Tantas palavras te disse hoje,
mas as mais frágeis reservo-as
para o dia em que te encontrar.[Deste blogue]