Avançar para o conteúdo principal

#2.13 In my Bag

[muitas coisas: tudo necessário!]

Na minha mala: Um dos telemóveis, o outro serviu para tirar a foto; o estojo com os óculos de ver (não vá eu perder uma lente de contacto num local inadequado); as chaves do portão - de vez em quando tem manias e não abre automaticamente; um estojo com lápis, borracha e várias canetas, um auricular para ter mãos livres para conduzir ; uma moeda de 1€ que serviu para o carrinho de compras; um brinco perolado- perdi o outro sem dar por isso (deve ter caído da orelha), creme para as mãos, lenços para assoar a narigueta, a carteira que tem mais papéis e documentos que dinheiro; as luvas para os dias frios; uma factura de hoje da troca do médio do carro; baton do cieiro; líquido para lentes de contacto. Agenda-dossier A5 para me organizar; [costumo ainda trazer um pequeno estojo de costura , para o caso de me cair algum botão e alguns produtos de higiene- hoje não estão porque tenho de tirar da outra mala]

Comentários

  1. Uma bela e preciosa mala para uma mulher. :)

    ResponderEliminar
  2. Hahaha sabes que tb andava com um kit de costura mas nunca me caía nenhum botão e resolvi aliviar o peso retirando esse elemento "indispensável" lol

    Claro que agora me caem os botões todos. Lolol

    Depois desta sessão de carteiras quero mesmo tentar reduzir a minha carga... Nós somos todas umas exageradas, é mesmo o síndrome da "casa ás costas"

    ResponderEliminar
  3. Que giro, também tenho sempre na minha mala algumas dessas coisas, normalmente dois telemóveis e um estojo, para além da carteira. E também me organizo com uma agenda A5 :) Gosto da capa da tua. É fofinha;)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. t,


    A factura dispensava. tudo o resto é mesmo indispensável!

    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Sofia,

    Não sou de malas muito "tchanan". sou simples. O conteúdo é que é sempre um pouco mais elaborado. Mas há mulheres piores...

    Bjs

    ResponderEliminar
  6. art.soul,

    A pensar que era só eu que andava com o estojo de costura, afinal há mais quem ande.

    Sim, às vezes, somos mesmo exageradas. mas também somos prevenidas, acho eu...

    bjs

    ResponderEliminar
  7. B. Cérise,

    Somos muito parecidas, estou a ver.

    Quanto à capa, estou à espera do tempo para a forrar a tecido, as pontas começama ficar menos bonitas e eu não gosto.

    Bjs

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

das minhas fragilidades. tenho coisas para contar, mas hoje "roubo" palavras a outros

O momento de escrever o que Maio me trouxe e me levou, vai chegar. falarei sobre isso, quando me sentir com os pés mais perto da terra e menos de cabeça para baixo. Sem os dramatismos com que agora vejo os acontecimentos.Maio trouxe e levou. A minha vida continua um novelo com muitas pontas e poucos fins à vista. tenho de falar nisso. Porquê? porque preciso. só não sei por que ponta começar.

Enquanto as minhas palavras não saem, gostei das de outrem, que não hesitei em roubar, sem pedir licença, mas dando os devidos créditos.

Tantas palavras te disse hoje,
mas as mais frágeis reservo-as
para o dia em que te encontrar.[Deste blogue]