terça-feira, 13 de março de 2012

Dia 13- Cheiro/ Perfume

O meu nariz está para os cheiros  como os daltónicos estão para as cores. Quase isto. não troco os cheiros. mas nem tudo o que o meu olfacto alcança é realmente verdadeiro. pelo menos no que toca à intensidade.

Nasci com o nariz avariado. Têm-se procedido a alguns consertos, mas nada que resolva o problema. Portanto, quando a maioria se queixa de algum cheirete, ainda eu não cheirei nada (e ainda bem), na maior parte das vezes. Como não me posso colocar no nariz de ninguém e verificar se  o meu olfacto está a funcionar bem, dou sempre o meu nariz por escangalhado.
Perante este cenário, tenho sérios receios na compra de um perfume. Durante muitos anos, ainda miúda recebia pequenas amostras de perfume da Rochas, da Nina Ricci, e outros perfumes franceses. Confesso que me deleitava mais com os frasquinhos do que com o conteúdo. Já com medo de usar qualquer coisa que não desse conta que fosse demasiado intenso para mim.

Hoje em dia, optei por ser um pouco conservadora, para não cair em exageros (sem dar conta) e o meu perfume alterna entre um da Elizabeth Arden (não me lembro do nome - oferecido por quem me dava o perfumes em miúda) e o 212 da Carolina Herrera (oferecido sempre pelo meu querido marido, em modo repeat). Há amores quase-eternos, até me convencerem de outros me irão ficar melhor. Não sei se confio no nariz de alguém quanto a isto. Há quem prefira vender qualquer coisa, a vender bem.

2 comentários:

  1. Conheço mais pessoas com esse problema/vantagem :))

    Tem o seu lado positivo...

    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. S.o.l,

    ter o nariz avariado tem as suas vantagens e desvantagens.

    afinal não sou a única.

    bjs

    ResponderEliminar

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)