Avançar para o conteúdo principal

Dia 28 - Pessoa

Todas as pessoas, boas ou más, tiveram ou ainda têm um papel na minha vida. Acredito que todos os episódios da vida servem para aprendermos, mesmo que nem todos sejam agradáveis de recordar.Nem sempre temos este discernimento [uma coisa será ver a lua a partir do fundo de um poço; outra coisa, ver a lua projectada, com os pés secos, no cimo de um poço. As sensações serão diferentes!] 
Acontece o mesmo com as pessoas da minha vida.
Podia falar de uma pessoa -como certamente muita gente irá fazer -mas eu prefiro falar de TODAS as pessoas da minha vida. Pessoas, no sentido generalizado. Não quero eleger ninguém em especial, nem consigo citar os nomes de todas as pessoas da minha vida.
Posso falar do meu pai e da minha mãe que ansiaram tanto que eu viesse ao mundo, pela educação que me deram, pelos sacrifícios que fizeram para que tivéssemos o essencial, e soubéssemos estar prontos para a adversidade. Posso voltar a falar na querida Dionísia e o seu chá de cidreira- como já falei dela  AQUI. O meu avô paterno, Manuel, também não será esquecido. Ele e as suas histórias, que eu tanto apreciava. O meu marido também é uma das pessoas da minha vida. Pelo que é, pelos dias que me proporciona, pelo companheiro que se tem tornado, pelo amor e os sonhos que temos partilhado. O meu irmão, que continuará a ser sempre o meu menino, mesmo sendo já pai, com os cuidados que tem comigo.
Podia falar de alguém que um dia me entrou pela vida dentro, e me re-ensinou a paixão pela escrita, me fez sentir viva e por quem vivi uma das paixões mais loucas, que nunca esquecerei.

Podia falar de tanta gente que me fez mal, mas a eles agradeço por passar a ser um pouco mais desconfiada. Com eles criei algumas defesas contra a maldade, a hipocrisia, a mentira. [esta lição tem sido difícil de aprender].
Podia falar de todas com quem criei laços, das pessoas que também partilham da sua vida neste mundo virtual ( que também me ensinam algo todos os dias), podia perder-me a falar de tanta gente que me ensinou a ser aquilo que hoje sou. Umas vezes melhor, outras vezes pior.

Obviamente que há pessoas mais importantes que outras. Mas não há ninguém sem importância. Há pessoas com diferentes graus de importância na nossa escala dos afectos. 

Comentários

  1. Gostei muito do texto. Concordo plenamente, todas as pessoas nos marcam, com coisas boas e coisas más.

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  2. Para mim tudo vai da importância que damos a essas pessoas. Se nos focamos mais nas que nos querem bem ou nas que nos querem mal. O nosso percurso pode ser bem diferente, consoante a escolha.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  3. As pessoas marcam-nos, umas mais que outras, mas todas de alguma forma...

    Beijinho para ti.

    P.s. Olha Abril mesmo, mesmo à porta :))

    ResponderEliminar
  4. "Mas não há ninguém sem importância."
    Gostei particularmente desta tua frase!!!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. Sofia,

    Obrigada,

    Todos somos o somatório de cada um que passa na nossa vida.

    As coisas más atestam as nossas defesas, as boas recompensam-nos.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Carla,

    Também concordo com o teu ponto de vista. MAs há pessoas a quem nem daremos muita importância, e que por qualquer razão podem diferença apenas por existirem.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. S.o.l

    Eu acho isso, as pessoas levam um bocadinho de nós, nós ficamos com um bocadinho dos outros, Há bocadinhos uns maiores que outros.

    Beijinho

    PS. Pois está! Desta vez estou bocadinho ansiosa. Espero também não me esquecer do aniversário de uma certa pessoa no domingo... ;)

    ResponderEliminar
  8. Isilda,

    Obrigada.

    Nem sempre conseguimos notar isso (daí a minha metáfora da lua e do poço) mas se parramos para pensar não há ninguém sem importância.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  9. :)

    De tudo, o aniversário é o que menos têm de te preocupar Alice! De facto esse também é um dia que não me trás boas lembranças e eu só quero que passe depressa.

    ResponderEliminar
  10. S.o.l

    Compreendo que haja quem não queira comemorar o aniversário. Mas deixa-me, ao menos, desejar-te tudo de bom, quando chegar o dia.

    Sim, tenho com que me preocupar, mas a minha vida não gira em torno disso. O único lugar onde falo mais disso é aqui, porque de vez em quando preciso despejar o que me vai na alma.

    (estou a tentar manter-me calma, o que está aser difícil, confesso. Tenho de esperar a resposta do mensal do organismo para recomeçar)

    Obrigada pelo apoio.

    Bjs

    ResponderEliminar
  11. Deixo sim, e também o vou comemorar, mas as sombras do ano passado estão cá, por mais que eu tente esquecê-las.

    Mas tristezas para lá... a vida são dois dias :))

    beijinho

    ResponderEliminar
  12. Cá está um daqueles teus textos que me faz sentir um friozinho na barriga, um arrepio por dentro. Por ser tão genuíno, tão sentido, tão cheio de verdade. E a última frase é inspiradora!
    Bjinhos

    ResponderEliminar
  13. S.o.l,

    A vida é mesmo curta, há que aproveitar.

    Bjs

    ResponderEliminar
  14. Raiozinho,

    Obrigada pelas palavras.

    Já me conheces um bocadinho, sabes que sou incapaz de escrever o que não sinto.

    Beijinho

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

das minhas fragilidades. tenho coisas para contar, mas hoje "roubo" palavras a outros

O momento de escrever o que Maio me trouxe e me levou, vai chegar. falarei sobre isso, quando me sentir com os pés mais perto da terra e menos de cabeça para baixo. Sem os dramatismos com que agora vejo os acontecimentos.Maio trouxe e levou. A minha vida continua um novelo com muitas pontas e poucos fins à vista. tenho de falar nisso. Porquê? porque preciso. só não sei por que ponta começar.

Enquanto as minhas palavras não saem, gostei das de outrem, que não hesitei em roubar, sem pedir licença, mas dando os devidos créditos.

Tantas palavras te disse hoje,
mas as mais frágeis reservo-as
para o dia em que te encontrar.[Deste blogue]