domingo, 15 de abril de 2012

coisas que não conto mas penso

Revolta é o que sinto quando uma mulher de trinta anos acaba de parir o sexto filho [numa ambulância], e todos os outros cinco já lhe foram retirados, por se tratar de uma família de risco.

E depois as pessoas falam-me na lei do retorno - que  merecemos tudo de bom, pelo que somos, pelo que fazemos. pela nossa filosofia de vida.

A lei do retorno não funciona, onde mais necessitamos dela. A lei do retorno é aleatória.
Se todos esperássemos alguma coisa, pela lei do retorno, éramos muito mais interesseiros nisto de fazer bem aos outros. E muito mais vaidosos e orgulhosos.

As coisas não me acontecem porque simplesmente não têm de acontecer. A lei do retorno é omissa nestes casos.

11 comentários:

  1. Ele há coisas que eu não entendo...

    ResponderEliminar
  2. Este sim, é o meu "mundo", é aquilo que me faz mexar, estar consciente, "acordar" para a vida, e revoltar-me contra um sistema... mas aí eu sairia fora do contexto do teu post... e entraria na minha vida. Não é isso que prentendo.

    A vida nem sempre é justa Alice. Suponho com isto que não tenhas pintado um sol este fim-de-semana, mas os lápis de cor continuam aqui. À espera de o pintar contigo.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. S.o.l.

    Sabes como se costuma dizer? O problema ou é do rabo ou é das
    calças.

    Agora que um dos problemas estava resolvido, aparece outro que não contava. Em Abril já não é, maio estamos para ver. E se continuar sem se resolver, terei de ir ao médico, porque algo mais grave pode estar a acontecer e pôr fim ao sonho, que nenhuma forma se resolverá.

    Podes ter os teus lápis preparados; só não sei se algum dia os usarás para pintarmos o sol em conjunto.
    Começo a ficar cansada de tanta desilusão. Resta uma hipótese, mas é preciso que o facto principal aconteça. Sem ovos não se fazem omeletes. Sem ciclo, não há tratamento.
    Sim, hoje estou pessimista. Sinto-me desistir de lutar e deixar ao destino o que ele quiser fazer comigo.

    OBRIGADA. Por tudo!

    ResponderEliminar
  4. Espera, espera... tu sabes que o que os olhos não veem a mente imagina três vezes pior...

    São segundos que os braços caem e o cansaço se apodera, mas vais erguer essa cabecinha e voltar a acreditar de que por muitos obstáculos que possam haver tu vais conseguir ultrapassá-los!

    Quando nós queremos uma coisa temos de lutar por ela, aquilo que nos é importante não deixamos nas mãos do destino, até porque não acredito que queiras abdicar desse sonho.

    É uma pedra, passa por cima. É uma vedação, salta. É um muro, trepa. É alto demais, não faz mal, nós ajudamos-te a subir.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. S.o.l,

    Fui incapaz de controlar as lágrimas com as tuas palavras.

    Sinto-me numa espécie de beco sem saída. Não posso fazer nada. Saber esperar. Só isso.

    Beijinho grande

    ResponderEliminar
  6. A lei do retorno é uma grande treta. Infelizmente. E hoje, especialmente hoje que estou com um humor de cão precisamente por sentir que levei uma grande tareia por causa dessa treta da lei do retorno, só me apraz dizer: a vida é mesmo muito muito muito injusta, e realmente Deus dá nozes a quem não tem dentes.

    ResponderEliminar
  7. Raiozinho,

    Disseste tudo: Deus dá nozes a quem não tem dentes.

    E a lei do retorno, só deve resultar para quem quer vingança. Não é o nosso caso.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  8. Eu gostaria de acreditar que há um Deus, não no sentido bíblico como nos é dado a aprender, mas como uma força cósmica que regula o universo e lhe dá alguma ordem e lógica. Gostaria de acreditar que os contos que conhecemos na infância com todas aqueles valores morais têm um significado realmente mais profundo, em que o esforço, a luta, o trabalho e o ser-se bom trará recompensas devidas e os maus serão punidos. Infelizmente a cada dia que passa constato que a vida, o mundo, esse cosmos parecem não ter lógica, não ter ordem, não terem qualquer sentido de justiça. E dói tanto perceber que podes ser tudo de bom, podes acreditar que mereces mas que por qualquer injustiça não podes ter.
    O meu discurso hoje está derrotista, mas longe de querer deixar-te a mensagem derrotista. Não. Continuo a acreditar que vale a pena ter esperança. Vale a pena acreditar. Vale a pena lutar e tentar. Porque só assim um dia no meu leito de morte vou olhar para a minha vida e, independentemente do que tiver ou não conseguido, saberei que tentei sempre, que lutei sempre, que fui até onde me fui possível.
    Torço por ti e pelo teu sonho... que haja alguma réstia de justiça neste universo! Bjinhos grandes

    ResponderEliminar
  9. Raiozinho,

    Penso tal e qual como tu, e até acredito em Deus na forma como o descreves.

    Amanhã erguer-me-ei, mas preciso digerir a minha impaciência. Dei tudo como certo e ordenado, mas a vida tem pequenos buracos obnde, de vez em quando, enfiamos o é. Estou a tirar o meu pé de um buraco desses. Mas preciso domar a minha impaciência.

    Estou a reorganizar-me. Para lutar.

    beijinho

    ResponderEliminar
  10. Isso deve ser dos Touros. Temos de ter sempre tudo muito estruturado, organizadinho, planeado. Se algo sai fora do delineado e estipulado (por nós) é o pânico :)
    Não é defeito, é feitio! Temos a mania da segurança, de termos tudo previsto e calculado e não lidamos bem com os imprevistos. Mas como bom Touro, depois do susto do pé em falso, sacode-se a poeira e vai de seguir em frente. Teimosia, dizem uns. Persistência, digo eu ;)
    Bjinhos grandes

    ResponderEliminar

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)