Avançar para o conteúdo principal

voar ou aterrar?

Sei que, agora que conheço o caminho, estou a ser uma temerária. Vou ter medo do percurso, das pedras que encontrarei no caminho, e nem sei se conseguirei chegar ao fim, porque o corpo pode não reagir, como se pretende. Estou à espera que ele colabore, para pôr os pés ao caminho para mais uma jornada. Da primeira vez não fui assim. O negativismo só me alcançou no fim do percurso, e o resultado foi um lançar de dados, em que ditou a casa: voltar ao ponto de partida. reiniciar.
Não é difícil sair deste piso térreo, voando acordada. Mesmo que haja um sem número de argumentos a prender-me os pés à terra. não fosse a vergonha de me acharem uma doida - ou de eu  me achar anormal- e eu contaria aonde me levam os sonhos.
Depois, sinto um vento frio que me sopra cautela aos ouvidos, Sonhar não paga impostos, mas às vezes, causa despistes nas aterragens. Também tenho medo que o meu avião dos sonhos se despenhe.


este texto está meio desconexo,  estou com dificuldades em controlar o medo. (e os sonhos)
saiu de rompante e aqui, mal me consigo ouvir. quanto mais expressar.

Comentários

  1. Não está desconexo. É legitimo o medo como também é o voo. Dificil mesmo é achar um equilibrio entre ambos que te permitam seguir ciente de que neste momento as probabilidades estão equilibradas.

    Não te acharia uma doida, sabes? Até porque se me perguntasses o que eu queria que acontecesse, além de um positivo, seria já de rajada duas lindas meninas.

    Não fosse a troika e a instabilidade emocional que me acompanha até eu queria isso para mim (mas só uma!!! :D)

    Sorri Alice, é Abril!!!

    Beijinho e boa Páscoa!

    ResponderEliminar
  2. S.o.l,

    primeiro fizeste-me sorrir, depois emocionaste-me e estou aqui a tentar evitar que as lágrimas caiam.

    também gostávamos de uma menina. Confesso que não pensei no nome se fossem duas- dos sonhos que sonho, o nome está mais que escolhido- mas se fossem seriam bem vindas.

    Vamos ver o que me reserva Abril!

    Beijo grande e um muito obrigada bem grande.

    BOA PÁSCOA

    ResponderEliminar
  3. Não está desconexo, o medo e a ansiedade é que são mesmo assim. Seja o que for, espero que te mande regressar à casa de partida sã e salva.

    Um beijo e um abraço apertado.

    ResponderEliminar
  4. Sofia,

    Obrigada pelas tuas palavras.

    Já regressei à casa de partida. Dentro de alguns dias vou recomeçar o caminho que me pode levar à cncretização de um sonho. Um sonho comum, pelo que já te li.

    Aguardo com expectativa que tudo corra melhor. o medo e a ansiedade é que são difíceis de controlar.

    Beijinho e Boa Páscoa

    ResponderEliminar
  5. É um voo arriscado, mas esperançoso, não é? Abril é um bom mês para arriscar voar. Boa Páscoa! Beijinhos.

    ResponderEliminar
  6. eu,

    está difícil voar. Não há maneira de se verem despontar as asas, para que seja possível começar a concretizar o sonho.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. Vai tudo correr bem. Há que ter esperança!!!
    Beijinho grande :)

    ResponderEliminar
  8. Dear Daisy,

    É isso, estou a tentar manter a esperança, e fazer crescer a fé. Se calhar, sou mesmo pessoa de pouca fé e tenho de a alimentar.

    beijinho

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

das minhas fragilidades. tenho coisas para contar, mas hoje "roubo" palavras a outros

O momento de escrever o que Maio me trouxe e me levou, vai chegar. falarei sobre isso, quando me sentir com os pés mais perto da terra e menos de cabeça para baixo. Sem os dramatismos com que agora vejo os acontecimentos.Maio trouxe e levou. A minha vida continua um novelo com muitas pontas e poucos fins à vista. tenho de falar nisso. Porquê? porque preciso. só não sei por que ponta começar.

Enquanto as minhas palavras não saem, gostei das de outrem, que não hesitei em roubar, sem pedir licença, mas dando os devidos créditos.

Tantas palavras te disse hoje,
mas as mais frágeis reservo-as
para o dia em que te encontrar.[Deste blogue]