Avançar para o conteúdo principal

Roll Over

nestes últimos dias já fiz uns bons quilómetros. O joelho ainda não está a cem por cento, mas não se torna nenhum entrave para aquilo a que me propus há uma semana.
já sei que o resultado vai demorar a aparecer, mas também conheço a palavra persistência. Afinal, não estivesse eu habituada que poucos são os caminhos fáceis.
Tenho andado com pouca vontade no trabalho - também está mais calmo- e lá por casa aproximam-se tempos de solidão. [esperemos que, este ano,  os bombeiros tenham pouco que fazer].

A modos que é assim. A entrar no vermelho. A precisar de férias.

Comentários

  1. Espero que consigas encontrar tempos de descanso pelo meio. As melhoras para o joelho.

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  2. Sofia,

    Vem aí o fim-de-semana, e espero que seja de descanso.

    Obrigada pelas melhoras. quanto ao joelho, pude testar ontem que finalmente me parece estar bem. Puxei por ele e nada de dor.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. E as férias que nunca chegam... Que possas pelo menos descansar no fim-de-semana. Para te preparares para a época difícil que está a chegar.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  4. carla,

    As minhas férias são só no final de Julho. Há que esperar.

    Sim, estou a tentar no fim-de-semana aproveitar bem. Ando mesmo cansada, com tantas viagens e chatices.

    Sim, ter um marido bombeiro nesta época do ano começa a ser complicado.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. Alice e treinares com uma amiga ao fds? ajuda a motivar e a distrair da solidão. se quiseres vira lisboa, vamos correr ;)

    ResponderEliminar
  6. belle,

    Obrigada pelo convite. Por enquanto vou ficar por estas bandas. Quem sabe se um dia não corremos juntas e damos duas palavrinhas de conversa.

    bjs

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

balões de oxigénio precisam-se...

Tenho andado longe daqui e de outros locais virtuais que, habitualmente apreciava ler. Os emails acumulam-se neste endereço que associei ao blog. Tem havido pouco tempo, pouca vontade e uma energia há muito no vermelho. Não e por desinteresse que tenho estado longe, e por desequilíbrio mental. Querer escrever aqui ou numa caixa de comentários tem se tornado uma tarefa quase hercúlea. Escrever sempre um prazer para mim, mas tenho-me sentido incapaz de o fazer nos últimos tempos. Tenho aceitado com alguma ansiedade os muitos acontecimentos que se vão sucedendo, mais desde Abril- outro Abril que se verificou agourento. Tenho muitas coisas pendentes neste momento que apenas requerem tempo- e Paciência - para que possam resolver-se. Apesar de tudo e cada vez mais, acredito - embora nem sempre aceite, em primeira instancia- nada acontece por acaso. Embora almejasse deste o início do ano por umas boas e retemperadoras férias, não foi a possibilidade de um ultimo tratamento que as veio por …