Avançar para o conteúdo principal

Sou um bicho difícil



Conheci há pouco tempo uma costureira que precisa de trabalho dada a situação familiar em que se encontra. Por isso, pus de lado a ideia de comprar o vestido e resolvi dar-lho a fazer. Hoje foi dia de tirar medidas e combinar os pormenores. Sei que sou uma pessoa de escolhas difíceis, porque estou sempre a dizer que assim não quero porque me fica mal, ou porque não pode ser assim que se nota isto, ou aquilo. Se me achou doida varrida, não o demonstrou. Mas eu senti-me uma anormal por nem sequer saber o que queria...
Na loja dos tecidos atende-me a senhora de ar mortiço, gola da blusa apertada até cima, e casaco de gola em bico, abotoado de alto a baixo, sem ancas nem peito. Expliquei-lhe ao que ia, e lá me pôs uns quantos tecidos à escolha e voltei a ficar à deriva. Sempre com o receio de não me ficar bem esta ou aquela cor. O preto seria uma cor que não me criaria qualquer tipo de dúvida, se não se tratasse de um vestido para levar a um casamento. Como diria Ivone Silva: Com um simples vestido preto, eu nunca me comprometo.
Pareceu-me estranho mas segui o conselho daquela pessoa sem curvas nem cor, quase zombie, e comprei um tecido coral. Contra a ideia inicial de um tecido às bolinhas branco e preto, estilo vintage.

Sinto-me mulher em muitas coisas - e ainda esta semana, me disseram que eu não podia negar que era feminina, bastante feminina - mas nisto de escolher roupa sou uma espécie de bicho encolhido na toca, com medo de sair à rua. Quem me dera não ser assim. tenho mesmo uma relação difícil com o espelho.




Comentários

  1. Este texto poderia bem ter sido escrito por mim

    ResponderEliminar
  2. É tudo uma questão de hábito. Também tenho dias assim, em que não gosto de nenhuma roupa e acho que nada me fica bem.

    Beijinho e vais ficar linda nele!

    ResponderEliminar
  3. minha querida Alice, todas nós temos uma relação de amor ódio com o espelho. ou porque somos gordas, ou porque somos magras, ou porque não temos peito ou porque mais alguma coisa que a nossa cabecinha, por vezes delirante, seja capaz de conceber. tenta ver os teus pontos fortes e melhorar os teus pontos fracos. mas nunca te esqueças de uma coisa: todas nós temos uma beleza única, um encanto natural, um fascínio incomparável. se de momento não consegues ver os teus, pergunta ao teu marido ;). ele apaixonou-se por ti por alguma coisa foi não é? vais-te sentir bem melhor quando aprenderes a aceitar-te a ti própria. esse é o 1.º passo. um beijo muito grande de uma pessoa que saiu muitas vezes das lojas com os olhos cheios de lágrimas mas que deu a volta ao problema. tu também vais dar! espírito para cima ok?! ps - perdoa-me se fui brusca a falar.

    ResponderEliminar
  4. Patrícia Teodoro,

    Sê bem-vinda.

    às vezes é difícil acreditar que haja alguém como eu, já me sinto, muitas vezes um ser meio anormal...

    Pensemos que o problema não está no espelho mas sim nos nossos olhos.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. Sofia,

    Infelizmente não é só uma questão de hábito.

    Sim, temho esperança de me sentir bem e não uma abóbora ;) (o vestido vai ser coral)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. belle,

    Não tenho nada a perdoar-te; mesmo que tivesses sido brusca - que não foste - não tinha nada a perdoar. os comentários são abertos para as pessoas se expressarem.

    Acredito que o problema esteja nos olhos e não no espelho. Sei que sou muito severa comigo mesmo. Não sou magra mas também sei que não sou daquelas pessoas que necessitam de soluções drásticas. Simplesmente tenho de canalizar a ansiedade para actividades diferentes. O problema passa muitas vezes pela auto-estima.

    O meu marido passa o tempo a dizer que tenho a cabaça cheia de macaquinhos quanto a isto de achar que tudo me fica mal, ou o receio de não parecer bem. Foi ele que aumentou a minha auto-estima quando nos conhecemos, e continua a faze-lo todos os dias. Mas há coisas muito antigas cá dentro que contrariam todos os elogios que possam ser feitos. Para ele serei sempre bonita; ele passa o tempo todo a dizer isso.

    Beijinho e obrigada pela força

    Ando a trabalhar para gostar mais de mim, tenho tamb+em de diminuir esta indegurança, e trabalhar a parte psicológica. Os resultados hão-de aparecer

    ResponderEliminar
  7. Uma das coisas que mais detesto que me digam é que tenho macaquinhos no sotão! Fico possessa, mas lá no fundo reconheço que não há fumo sem fogo :(
    e quando me dizem isso é porque há sempre um fundo de verdade!
    E quando os nossos olhos nos enganam, aí temos de fazer alguma coisa para contrariar essa ideia. Se sabes que não tens problemas com o teu corpo, porque é que não acreditas mais no teu marido:)?

    Um grande beijo*

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

balões de oxigénio precisam-se...

Tenho andado longe daqui e de outros locais virtuais que, habitualmente apreciava ler. Os emails acumulam-se neste endereço que associei ao blog. Tem havido pouco tempo, pouca vontade e uma energia há muito no vermelho. Não e por desinteresse que tenho estado longe, e por desequilíbrio mental. Querer escrever aqui ou numa caixa de comentários tem se tornado uma tarefa quase hercúlea. Escrever sempre um prazer para mim, mas tenho-me sentido incapaz de o fazer nos últimos tempos. Tenho aceitado com alguma ansiedade os muitos acontecimentos que se vão sucedendo, mais desde Abril- outro Abril que se verificou agourento. Tenho muitas coisas pendentes neste momento que apenas requerem tempo- e Paciência - para que possam resolver-se. Apesar de tudo e cada vez mais, acredito - embora nem sempre aceite, em primeira instancia- nada acontece por acaso. Embora almejasse deste o início do ano por umas boas e retemperadoras férias, não foi a possibilidade de um ultimo tratamento que as veio por …