Avançar para o conteúdo principal

Atirar tudo ao ar!

Anda-se seis meses a sacudir a poeira da roupa. tenta-se que ela assente. pomos o primeiro sorriso na cara. finalmente tudo no seu lugar.
Vem um tornado sabe-se lá de onde. Nnão só nos volta a encher de poeira, como nos faz recuar uns bons quilómetros de vida. Não sei se vou querer voltar a fazer tudo de novo. Principalmente por algo que nunca me fez feliz. Conformou-me mas não me fez feliz.*

* O que me faz evitar a mudança - não é zona de conforto nenhuma - é pensar que ainda há pior que isto. É isso que me mete medo. Entre dormir numa tenda e dormir ao relento, não apreciando nenhuma das opções, prefiro dormir na tenda (metaforicamente falando).

Comentários

  1. Não tenhas medo de procurar algo melhor para ti. Há sempre melhor, luta ;)

    ResponderEliminar
  2. Sabes aquilo que se costuma dizer "só muda o cheiro, a m* é toda a mesma" (desculpa o palavreado)...

    Em todo o lado há disso Alice... são dias menos bons, tu sabes que são...
    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Dear Daisy,

    coisas cá do trabalho. Há seis meses atrás não sabia para onde me virar tal era o trabalho. chamava-se trabalhar de sol a sol. Era a primeira a chegar, a última a sair. Arranjaram outra pessoa para o lugar. Com a saída do cromo, teve de haver remodelações, imagina com quem ficou parte, e sem compensações?

    PQP a isto tudo! MAs se pensam que não vou de férias, ai é que nem pensem no assunto. tenho perdido grande parte das coisas boas em prol do patrão, porque se o trabalho não se fizer sou eu que acarreto com mais coisas, mas agora estou a ficar farta, fartinha!

    bjs

    ResponderEliminar
  4. Miss Apuros,

    Sim, pode haver melhor, mas quem ainda tem esperança de conseguir engravidar, mudar de emprego também não ajuda muito à situação.Se não consigo engravidar e não mudo, arrependo-me. Se engravido e perco emprego recente, não é a melhor situação do mundo.

    isto resolvia-se bem se a natureza se encarregasse de me me enviar uma cegonha. Nem pestanejava sobre o que fazer.


    beijinho e obrigada pelo apoio.

    ResponderEliminar
  5. S.o.l.,

    Não tens que pedir desculpa pelo palavreado; estive tentada a usar esse palavreado como desabafo.

    Conheces a minha situação. Se tiver a benção de engravidar brevemente, não me é conveniente mudar de emprego. Nem para fazer os tratamentos. Mas não posso esperar mais a situação de engravidar para saber o que faço ao emprego.

    Não sei que faça, mas estou mesmo fartinha de andar a fazer o meu trabalho, que não é nada pouco e tampar os buracos mal cheirosos dos outros. Vou voltar ao tempo de nem sequer ter tempo para dormir... e carregada de mais stress, não bastando já o que tenho.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Caraças... É duro. Mas sabes o que dizem - mais vale um pássaro na mão que dois a voar. Esta é uma altura difícil para mudar, por isso, nada como ir procurando um pássaro melhor, e largar o pássaro «coxo» só mesmo quando o outro já estiver agarrado... Boa sorte.

    ResponderEliminar
  7. Percebo perfeitamente os teus motivos. E também eu evito a mudança por medo de não conseguir garantir uma vida minimamente decente aos meus filhos.

    Um beijo grande e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

balões de oxigénio precisam-se...

Tenho andado longe daqui e de outros locais virtuais que, habitualmente apreciava ler. Os emails acumulam-se neste endereço que associei ao blog. Tem havido pouco tempo, pouca vontade e uma energia há muito no vermelho. Não e por desinteresse que tenho estado longe, e por desequilíbrio mental. Querer escrever aqui ou numa caixa de comentários tem se tornado uma tarefa quase hercúlea. Escrever sempre um prazer para mim, mas tenho-me sentido incapaz de o fazer nos últimos tempos. Tenho aceitado com alguma ansiedade os muitos acontecimentos que se vão sucedendo, mais desde Abril- outro Abril que se verificou agourento. Tenho muitas coisas pendentes neste momento que apenas requerem tempo- e Paciência - para que possam resolver-se. Apesar de tudo e cada vez mais, acredito - embora nem sempre aceite, em primeira instancia- nada acontece por acaso. Embora almejasse deste o início do ano por umas boas e retemperadoras férias, não foi a possibilidade de um ultimo tratamento que as veio por …