Avançar para o conteúdo principal

coisas simples

Ando com muita vontade de fazer um piquenique. a dois. com o mar e o pôr-do-sol como cenário.

Oxalá a "agenda" dele e o humor do S. Pedro o permitam. Ficávamos até acenderem o farol.

[pouco me importa que me chamem lamechas]

Comentários

  1. Lamechas??!!!!
    Até suspirei com a tua magnífica ideia :)
    São esses momentos tão simples e tão doces os que mais felizes nos deixam!

    ResponderEliminar
  2. Raiozinho,

    Coma sorte que tenho com a agenda dele, no domingo deve ter que entrar ao serviço Ao final do dia, e lá se vai o pôr do sol, o piquenique e o farol.

    Detesto não consiguir planear nada sem que bater nestes obstáculos todos. Também por isto ando tão cansada. Tudo tem de ser repensado mil vezes, e reconfirmado outras mil.

    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Entendo-te muito bem. Mas... e pensa nisto... não pensaremos nós demais? Não teremos nós a mania de planear e repensar? Porquê se é tão mais fácil tê-lo em casa e de repente um: hoje jantamos na praia ao pé do farol. Em pouco tempo os dois preparam o pic-nic e vão. Assim, sem planos, sem datas, sem horas marcadas. Só porque sim, porque estavam os dois em casa sem nada programado... e sim, eu sei que isto de estarem os dois em casa sem nada programado deve coisa rara rara rara... mas desprograma o que pode ser desprogramado. Despe também tu a tua farda mental de bombeira, de quem tem de ir a todas quando chamam...
    E porquê no domingo? durante a semana não dá? ele não janta em casa? pega no farnel e vão hoje jantar ao pé do farol. Amanhã tens de acordar cedo? Aposto que acordas de sorriso rasgado e o peito cheio de felicidade!

    ResponderEliminar
  4. Raiozinho,

    O domingo é o dia mais favorável. De semana, agora com os piquetes de prevenção sai às nove. Complicado. Também nunca chego a casa antes das 8.30 (na melhor das hipóteses).

    É mais complicado gerir a situação do que tu pensas. Acredita que já fiz e refiz as coisas vezes suficientes mas há peças no puzze que, a maior parte das vezes , não encaixam.E se há uma coisa urgente quando ele está para sair, acredita que sai a correr em lugar de vir para casa.

    Ambos vivemos com o imprevisível, que é quanse impossível prever seja o que fôr...

    E isto cansa tanto, e faz pouco o meu feitio. MAs tem-me testado a paciência e feito percebido que as baterias estão mesmo descarregadas.

    ResponderEliminar
  5. Entre tu chegares e ele sair preparas o pic-nic. Vais esperá-lo à porta do quartel. O pior que pode acontecer é ser dia de uma dessas emergências... Ainda apanham o restinho do pôr-do-sol, o anoitecer, o acender do farol... pensa nisso, mas não muito ;)
    Sei do que falas porque no meu caso temos horários opostos, mal nos cruzamos e também é um 31 arranjar tempo, até porque depois os fins de smn são cheios de solicitações externas e convívios sociais, que sabem bem, claro, mas tiram-nos tempo de casal, tiram-nos energias e quando há pessoas daquelas que ainda ontem descrevi, tiram-nos a paciência :)
    Hoje ele faz anos. Ainda não sei muito bem o que fazer, até porque não estou 100% de saúde, mas vou aproveitar aquele bocadinho entre eu chegar e ele sair... tu, faz o mesmo ;)

    ResponderEliminar
  6. Raiozinho,

    tenho andado a amadurecer a ideia. Vamos ver o que é possível.

    E por aí, se calhar também dá para pensar em soprar nas velas ao pôr do sol.

    Diz-lhe que lhe mando os parabéns. LOL


    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Temos de aprender a descomplicar. E a sermos mais impulsivas em vez de pensar, repensar, planear e programar tudo ao segundo. Assim nunca dá. Nunca é perfeito. E por vezes é simplificando e descomplicando que percebemos que a quase perfeição está na espontaneidade ;)
    O antibiótico anda-me a dar volta à mioleira. Estou muito lírica :)

    ResponderEliminar
  8. Raiozinho,

    parece que vai haver um furinho para pic nic :).

    Bjs

    ResponderEliminar
  9. LIKE!!!!!!! :D
    Carpe Diem. Saboreia o momento presente. Nada mais importa ;)

    ResponderEliminar
  10. Lamechice? Eu acho que não. E são essas pequenas surpresas e esses momentos que "cimentam" uma relação. Que mantêm a chama.

    Aproveitem bem.

    ResponderEliminar
  11. Ideia fabulosa!!!
    Que o S. Pedro esteja do teu lado :)
    Beijo

    ResponderEliminar
  12. Eu acho uma ideia super romântica :)
    E estou a torcer por ti para que no domingo essa tua ideia se realize!

    Um grande beijo*

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

das minhas fragilidades. tenho coisas para contar, mas hoje "roubo" palavras a outros

O momento de escrever o que Maio me trouxe e me levou, vai chegar. falarei sobre isso, quando me sentir com os pés mais perto da terra e menos de cabeça para baixo. Sem os dramatismos com que agora vejo os acontecimentos.Maio trouxe e levou. A minha vida continua um novelo com muitas pontas e poucos fins à vista. tenho de falar nisso. Porquê? porque preciso. só não sei por que ponta começar.

Enquanto as minhas palavras não saem, gostei das de outrem, que não hesitei em roubar, sem pedir licença, mas dando os devidos créditos.

Tantas palavras te disse hoje,
mas as mais frágeis reservo-as
para o dia em que te encontrar.[Deste blogue]