Avançar para o conteúdo principal

mais um casório - o outfit*

e amanhã acho que vou de rendas e de vermelho. vestido esvoaçante com écharpe. isto se durante a noite não mudar de ideias (a maior dúvida reside se levo os dedinhos da frente à mostra em versão sapato ou sandália).

[*nunca tinha usado aqui o termo porque nunca fiz um post destes. devo estar doidinha de todo. sou pouco destas coisas de trapos]

Comentários

  1. Eu hã mto que não tenho casamento ... e ainda bem :)
    Mas vou ter o baptizado do meu sobrinho no inicio de Setembro e na faço a mínima ideia do que vestir :/

    ah ... e o teu outfit :) parece-me mto bem :)

    Kiss

    ResponderEliminar
  2. Os amendoins a mostra! Então devias de ser mais de trapos! Faz bem a auto estima, a alma, menos a carteira! Lol

    ResponderEliminar
  3. Há sempre uma primeira vez para tudo :)
    O vestido é bem catita! E eu também voto nas sandálias. Está calor para ires de sapatos!

    Beijinhos e bom casamento!

    ResponderEliminar
  4. Ângela,

    No baptizado do meu afilhado levei outro vestido, mas andei bastante receosa na escolha.

    Obrigada pelo elogio.

    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Belle,

    Se aos amendoins te estás a referir aos dedos, disso não tenho dúvida, Agora resta saber se levo os calcanhares à mostra ou não, isto é, se levo as sandálias que mostro, ou a versão sapato (com unha vermelha à mostra) com um laço Channel à frente.

    Eu gosto de roupa, tenho é receio que não fique bem com ela. Fico sempre preocupada com isso. Pois, fazer mal à carteira é que é pior. Mas sabe muito bem quando nos sentimos bonitas,

    Este vestido já não é novo. Em conversa com a costureira lembrámo-nos de cortar um pouco e aplicar renda na parte debaixo do vestido e numa das alças. Ficou completamente diferente.

    Agora só tenho de escolher uma carteirinha a condizer.

    Bjs

    ResponderEliminar
  6. B. Cérise,

    Pois há, hoje foi o dia. Mas os leitores mais assíduos deste estaminé já devem ter percebido que não sou nada destas coisas.

    Podia ser de falar de política, ou de futebol, ou de trapos, ou fazer crítica social. Não me apetece falar sobre esses assuntos. Apetece-me falar do que cá anda dentro que habitualmente é um assunto de que nunca falo com quase ninguém.

    Quanto ao outfit, também acho que os sapatos vão ser incómodos por causa do calor apesar de abertos à frente.

    Beijinhos minha querida.

    Bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  7. Abertos atras. Maisfrescos e adequados a epoca

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

nada que consiga com palavras simples

A ideia de sair do emprego não era nova. Era uma ideia adiada. Viver agarrada à ideia que precisava do emprego para concretizar sonho(s) era só forma de me ancorar ao certo, ao fácil, ao controle, caso algo corresse mal. Afinal, ter um filho a quem se pensaria dar tudo era, para mim, condição suficiente e necessária, para manter o sustento sem solavancos nem travagens bruscas.
Já há demasiadas coisas simples a subtraírem minutos ao meu sono todos os dias. Se pensava em trazer alguém ao mundo então tudo deveria ser bem calculado, medido, pensado ao mais ínfimo pormenor. Preocupei-me demasiado em aconchegar um sonho em camas de algodão fofo e sedoso, que tudo o resto foi descuidado. Os outros [sonhos] foram sendo descuidados, apagados da memória, subnutridos até serem deixados morrer por incúria de mim mesma. Esta semana comecei a enviar CV e até tive uma proposta de entrevista no mesmo dia. Retraio-me em candidatar-me a umas quantas coisas, em dar conhecimento a conhecidos do meio so…