Avançar para o conteúdo principal

A vida a dois também é isto

O meu primeiro pensamento depois das poucas horas dormidas foi para ele. Sem sms no telemóvel que me prometera que enviava,  comecei a ficar alarmada. Tinha falado com ele por volta das 1.30h da manhã. Não houve resposta à sms que enviei. Só poderia querer dizer uma de duas coisas - ou estava a dormir ou  em plena frente de fogo. Quis muito que fosse a segunda hipótese, segurei as lágrimas para me fazer forte, apesar das imagens que vi na TV. Pelo menos, não havia mortes a lamentar. Na altura não havia.

Duas horas sem resposta à sms a perguntar se estava tudo bem. Era impossível continuar a acreditar que tudo estava bem. Liguei para o quartel já em viagem - não fosse ele estar a dormir - e respirei de alívio. Tinha acabado de chegar e já estava a dormir. Deixei finalmente que as lágrimas rolassem pela cara livremente. Por agora está tudo bem. Não sei até quando. Até algum filho da mãe se lembrar que gosta de ver arder e ainda não está satisfeito

Já chorei mais hoje do que há sete anos, no dia do casamento. Por razões diferentes.Quando comecei a namorar com ele, já ele era bombeiro. Aprendi a aceitar esse facto. Uns dias melhor, outros dias nem por isso!

Comentários

  1. Beijinhos e força... para ti porque nem imagino o que é estar nessa ansiedade vezes e vezes sem conta e para ele porque arrisca tudo para ajudar os outros.

    Há umas semanas tivemos um grande susto com um incêndio que destruiu tudo à volta do negócio de familia e que só não ardeu porque os bombeiros foram rapidissimos e eficazes. Nessa noite, enquanto conduzia até ao local para ver como estavam as coisas vejo o condutor do carro da frente a jogar uma beata acesa pela janela. Numa zona de pinhal, em pleno mês de Agosto, em ano de seca! Fico tão revoltada mas infelizmente o civismo não se compra nem se pode oferecer... :(

    ResponderEliminar
  2. Paula,

    Ainda bem que os bombeiros conseguiram ajudar. Nem sempre conseguem ajudar, já que a luta contra as chamas não é equilibrada.

    E será que o condutor da frente teve aquele acto inadvertidamente?

    Bjs e obrigada pelo apoio.

    ResponderEliminar
  3. Quando acordei pensei em ti e se estaria tudo bem! Fico contente por saber que sim, mas tenho tanta pena que o dia de hoje que merecia comemoração, esteja ensombrado por esse estado de espírito e por esse fogo horrível!
    Espero que mesmo assim consigam estar juntos!

    Um grande beijo e se precisares de alguma coisa, já sabes :)!

    ResponderEliminar
  4. Queria dar-te um abraço que te confortasse....

    ResponderEliminar
  5. Olá Alice. Acredites ou não, ontem pensei em ti e no teu marido. Quando vinhamos de regresso na estrada, passei por pelo menos 4 fogos (ainda que relativamente distantes do meu percurso) e instintivamente lembrei-me da coragem e no heroísmo do teu marido e de tantos como ele que estão na frente do fogo a combater a cobardia de gente estúpida (e nem será este o adjectivo mais correcto) que ateia estes fogos.

    Um beijo muito grande para os dois. E que, apesar de tudo, o dia termine muito bem e que possam estar juntos nesta data especial.

    ResponderEliminar
  6. Acho que nunca ninguém se habituaria a uma situação dessas. Deve ser uma preocupação (e um orgulho) constante. Força para vocês e um feliz aniversário de casamento, dentro do possível...
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. B. Cérise,

    Obrigada por esse teu pensamento. felizmente a comemoração foi feita sem interrupções, num momento muito intimista.

    Obrigada por todo o apoio.

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  8. Dear Daisy,

    Tens dado o teu abraço virtual, que vale por muitos dos reais.

    beijinho

    ResponderEliminar
  9. carla,

    Obrigada pela lembrança. Felizmente existem pessoas como os bombeiros, para acudir a estas coisas. Precisam mesmo de muita coragem.

    E há pessoas com verdadeiros requintes de malvadez para fazerem uma coisa destas, lançar o pânico com as chamas que consomem avidamente tudo o que encontram pela frente.

    E sim, o dia terminou muito bem. Felizmente a única chama existente, foi a nossa.:)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  10. MabelBaby,

    Olá.

    Olha que o ser humano é um animal de hábitos, mais do que se julga. E quando se ama aceita-se o outro como ele é. Não é um casamento que muda ninguém, ao contrário do que muita gente julga. Por isso, cabe-me fazer a minha parte nesta vida a dois.

    Há dias que custa muito, e não vou dizer que nunca nos zangámos por causa dos bombeiros. Porque ele é um viciado em bombeiros e os bombeiros são colocados muitas vezes em primeiro lugar. está-lhe no sangue. E sim, tenho um imenso orgulho nele. Ainda mais.

    Beijinho

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

das minhas fragilidades. tenho coisas para contar, mas hoje "roubo" palavras a outros

O momento de escrever o que Maio me trouxe e me levou, vai chegar. falarei sobre isso, quando me sentir com os pés mais perto da terra e menos de cabeça para baixo. Sem os dramatismos com que agora vejo os acontecimentos.Maio trouxe e levou. A minha vida continua um novelo com muitas pontas e poucos fins à vista. tenho de falar nisso. Porquê? porque preciso. só não sei por que ponta começar.

Enquanto as minhas palavras não saem, gostei das de outrem, que não hesitei em roubar, sem pedir licença, mas dando os devidos créditos.

Tantas palavras te disse hoje,
mas as mais frágeis reservo-as
para o dia em que te encontrar.[Deste blogue]