Avançar para o conteúdo principal

o outro lado mais azul

Já disse mais de que uma vez que acredito que serão poucas as coisas que acontecem por acaso. Talvez não tenhamos o discernimento de reconhecer que aquilo teria de acontecer quando realmente aconteceu. Acredito que exista uma sinergia entre todas as pessoas que nos conhecem ou que conhecemos. Ao ponto do percurso da nossa vida ser afectado.

Não há muito tempo comecei a trocar alguns mails com uma pessoa com a qual me identifico. Obviamente que escrever a alguém não é a mesma coisa que debater com ela as ideias, de viva voz. Somos muito mais que palavras; somos imagem, som, cheiro, etc. No entanto, conseguimos sentir empatia quando alguém partilha connosco os mesmos gostos e muitas ideias. Mas voltando ao assunto... apesar de muitos pontos comuns, consegui notar que existem diferenças que fazem de nós o oposto na maneira como encaramos a vida. E isso tem-me feito pensar. 
Temos trocado ideias e já conversámos por telefone. Não nos conhecemos pessoalmente. Contudo, isso não é motivo para não assumir que as conversas me têm feito bem. E têm-me feito pensar que ando a desperdiçar os meus momentos a pensar nas coisas menos boas e a esquecer que há outras, muito boas, para aproveitar. Trata-se apenas de uma questão de visão, de mudar o nosso ponto de vista e analisar o que nos apoquenta sob outro prisma. Sei que é difícil mudar isso, mas as conversas têm-me feito entender que rodearmo-nos de pessoas positivas (que assim continuam estando o seu mundo revirado) é uma grande ajuda para superarmos obstáculos. [Curiosamente sempre tive propensão para atrair pessoas negativas para a minha vida, como se me achassem a sua tábua de salvação; isso agora parece estar a mudar - que assim continue e que eu não desista de tentar de mudar o meu ponto de vista no que à minha vida diz respeito]



Comentários

  1. :)
    Está tudo na forma como encaramos a vida e os problemas sim... Positivismo acima de tudo!

    Beijo

    ResponderEliminar
  2. Bom dia Alice,

    essa é uma das coisas que acredito realmente. Nem sempre foi assim, mas de há algum tempo para cá que cheguei à conclusão que as pessoas negativas e as suas ideias só nos trazem mais negativismo. E que as devemos evitar a todo o custo.

    É claro que também não acredito que somos sempre positivos, sempre felizes e que temos alturas em que isso é impossível, mas é a maneira como de encararamos esses momentos maus, esses momentos menos bons, que faz toda a diferença. E quem temos à nossa volta pode fazer parte dessa diferença.

    Um beijo e um dia bom

    ResponderEliminar
  3. Pessoas positivas, sempre. Para negativas já temos os políticos, a troika, etc, etc, etc. lol

    ResponderEliminar
  4. Esta é uma das maravilhas deste mundo dos blogs.... amizades e conhecer pessoas que nos ajudam em algum momento da nossa vida... tenho feito algumas boas amizades por aqui, com quem falo bastante por email e já sinto falta quando não falo :)

    Força minha linda...

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

das minhas fragilidades. tenho coisas para contar, mas hoje "roubo" palavras a outros

O momento de escrever o que Maio me trouxe e me levou, vai chegar. falarei sobre isso, quando me sentir com os pés mais perto da terra e menos de cabeça para baixo. Sem os dramatismos com que agora vejo os acontecimentos.Maio trouxe e levou. A minha vida continua um novelo com muitas pontas e poucos fins à vista. tenho de falar nisso. Porquê? porque preciso. só não sei por que ponta começar.

Enquanto as minhas palavras não saem, gostei das de outrem, que não hesitei em roubar, sem pedir licença, mas dando os devidos créditos.

Tantas palavras te disse hoje,
mas as mais frágeis reservo-as
para o dia em que te encontrar.[Deste blogue]