Avançar para o conteúdo principal

bons (e doces) momentos

O fim-de-semana não teve dois dias iguais. Um bem solarengo, o outro mais triste e cinzento. Soube-me bem o dia de ontem, para injectar energia para o resto da semana. Muito sol na cara,  cheiro a terra molhada e a erva acabadinha de cortar. Desta vez sem calos nas mãos. Gosto destes dias ao ar livre sem horário para cumprir.
Colheram alguns dióspiros para dar e nozes para o doce de abóbora que ainda se irá fazer lá para Novembro, com a abóbora grande e amarela que tenho na cozinha.
Houve muito açúcar e calor do fogão, com muitas tacinhas de marmelada, compota de tomate com pêra e cidreira. Houve bolo de chocolate, que teve direito a cobertura.Ultimam-se agora uns pãezinhos com chouriço. Entremearam-se as experiências de culinária com um romance com muita gastronomia dentro. Era sempre difícil largar o livro- já quase lido- para vigiar o forno ou a panela. A distracção reflectiu-se na geleia de marmelo que passou o ponto. Rebaptizei-o caramelo de marmelo.
Souberam bem as sopas e as mantas, os chás de folha da velhinha laranjeira do quintal, e uma conversa íntima e cheia de cumplicidade.
O Outono deveria ser um tempo de menos agitação, de uma quase hibernação, mas não está a acontecer isso. Sinto-me bem e com energia, apesar de um futuro menos risonho se aproximar. Deixo essa preocupação para a devida altura. Hoje ainda é domingo. E eu também sou uma pessoa de Outono.


Comentários

  1. Eu acho que há sempre tempo para tudo:) E mesmo que seja outono, a energia não desaparece e até pode ser que com a temperatura mais baixa haja mais vontade de fazer mais coisas!
    Também me tenho sentido assim ultimamente, com genica, e este fim de semana foi muito bom para retemperar as forças para as semanas que aí vêm!
    E cheirinhos bons na cozinha também ajudam:) a acompanhar boas leituras, então melhor;)

    ResponderEliminar
  2. Que delícia! :)
    Uma boa semana!!!
    bjs

    ResponderEliminar
  3. É tão bom aproveitar os momentos bons :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

balões de oxigénio precisam-se...

Tenho andado longe daqui e de outros locais virtuais que, habitualmente apreciava ler. Os emails acumulam-se neste endereço que associei ao blog. Tem havido pouco tempo, pouca vontade e uma energia há muito no vermelho. Não e por desinteresse que tenho estado longe, e por desequilíbrio mental. Querer escrever aqui ou numa caixa de comentários tem se tornado uma tarefa quase hercúlea. Escrever sempre um prazer para mim, mas tenho-me sentido incapaz de o fazer nos últimos tempos. Tenho aceitado com alguma ansiedade os muitos acontecimentos que se vão sucedendo, mais desde Abril- outro Abril que se verificou agourento. Tenho muitas coisas pendentes neste momento que apenas requerem tempo- e Paciência - para que possam resolver-se. Apesar de tudo e cada vez mais, acredito - embora nem sempre aceite, em primeira instancia- nada acontece por acaso. Embora almejasse deste o início do ano por umas boas e retemperadoras férias, não foi a possibilidade de um ultimo tratamento que as veio por …