Avançar para o conteúdo principal

Bom demais

O meu sobrinho pequenino ontem, ao contrário do que é habitual, quis falar ao telefone.Nunca quer, anda sempre muito ocupado a brincar.
A primeira coisa que me pediu foi que o visitasse. "Tenho saudades de ti, madrinha!". Prometi-lhe a visita hoje.
Depois do pedido, brindou-me com a sua canção de Natal  para a festa do infantário. E perguntou-me se tinha gostado. desatou a mandar-me beijinhos com as mãos - tive a mãe a traduzir os pequenos ruídos que eu ouvia ao telefone. Senti-lhe a felicidade.

Quando estou com ele, vejo o olhar embevecido do meu irmão, feliz com as proezas do seu rebento. Hoje imaginei  o olhar dele posto no filho enquanto me cantava a canção ao telefone. A lágrima caiu. Algum dia também terei esse direito?

(nestes últimos dias tenho sido bombardeada com perguntas sobre o querer ou não ter filhos. Se me derem receitas diferentes para os ter, eu agradecia muito... porque da forma convencional não tem resultado)

Comentários

  1. Se fosse eu a "mandar", já estarias a gozar desse direito em pleno...

    Adoro as tuas palavras quando falas do teu sobrinho e dos sentimentos que nutres por ele. É amor puro.

    Um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. carla,

      obrigada pelas tuas palavras. Mas sabes como né, não somos nós que "mandamos"

      gosto muito do meu sobrinho, sim. da mesma forma que adoro o meu irmão.

      beijinho

      Eliminar
  2. Vais conseguir sim, vais ter essa bênção sim querida.... ACREDITA...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana,

      Há alturas que me convenço que já não a pena pensar mais no assunto. resignar-me. depois abrem a ferida outra vez e dou por mim a acordar com o assunto, a deitar-me com o assunto. e a dor cá dentro a aumentar.

      Ana, acreditar só não basta. A cegonha precisa de empurrão e mesmo assim, parece que se perde no caminho.

      beijinho e obrigada pelo apoio.

      Eliminar
  3. Ainda não tenho sobrinhos, mas imagino que deve ser o mais parecido que há com os nossos próprios filhos.
    O direito, esse ninguém nos tira. Com mais ou menos dificuldade, mais cedo ou mais tarde a nossa vez chegará, não desistas. Não sei muito da vossa história, mas já pensaram em procurar uma 2ª opinião?
    Já agora se te passarem alguma receita, partilha!;)
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Menina,

      Já vamos na quarta opinião. só nesta última vimos alguma coisa evoluir. Mas ainda lá não chegámos. Andamos há quase 5 anos nisso e nada.

      se aparecer quem tenha solução (viável, claro, partilharei. Aguardo sugestões tuas se também tas deixarem.


      bjs e boa sorte

      Eliminar
    2. Ah ok, pensei que estavam "só" a fazer tratamentos. Bom, pelo menos já viram alguma evolução, acho que é muito importante identificar o problema. Eu sou uma principiante, mas compreendo que não é fácil, ao problema em si, juntam-se as baixas taxas de sucesso dos tratamentos, o desgaste emocional e financeiro e finalmente a falta de sorte, porque no final situações equivalentes têm resultados diferentes sem se saber porquê. Soluções não tenho, mas se puder ajudar de alguma forma estou à disposição! :)

      Eliminar
    3. Cris @ MabelBaby,

      Os tratamentos são o culminar de andar de médico em médico, em que nos mandavam esperar por não encontrarem nada que impedisse a gravidez. E continua a não haver um mootivo concreto, mas partiu-se para os tratamentos. O que descreveste no teu post de ontem, a tua ansiedade dos 30, é aquilo que já vivi e continuo a viver. Ver as probabilidades a esgotarem-se pelo facto de ter 35 anos e não engravidar nem por FIV nem naturalmente.

      vou aguardar por 2013 e esperra ser novamente chamada para o publico e ver o bque se vai fazer. Só fiz um tratamento até ao fim. O segundo mal tinha sido começado e foi cancelado por falta de resultados visíveis. Vamos ver. bom, bom, era o menino Jesus encaminhar a cegonha lá para casa.:)

      beijinho e bom fim-de-semana

      Eliminar
  4. Olá minha linda,
    Estamos mesmo em sintonia, o meu post de hoje já estava agendado desde segunda-feira mas é sobre os meus Amores, que hoje faz anos o mais novo :)

    Há perguntas que não têm respostas rápidas, e esta pergunta exige a paciência da espera sem data marcada, uma falta que sentimos, que tento não pensar na maioria das vezes (que também não resulta.

    Mas acima de tudo prevalecerá a Fé que a Deus tudo é possível, até o impossível.

    Beijinhos nos nossos corações
    que bem merecemos <3

    ResponderEliminar
  5. Vais conseguir. pena que tenhas de sofrer tanto.
    A minha irmã já tinha perdido a esperança de ser mãe, quando acalmou e desligou... Engravidou...
    É tramado, mas era muito bom se não pensasses tanto nisso, por vezes é o que basta...
    Força*
    Jocas

    ResponderEliminar
  6. Tenho uma grande esperança no ano de 2013...
    Pensamento positivo.
    Bjo*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ladybug,

      Eu ando a ver se as crio (as esperanças).

      beijinho e bom fim-de-semana

      Eliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

nada que consiga com palavras simples

A ideia de sair do emprego não era nova. Era uma ideia adiada. Viver agarrada à ideia que precisava do emprego para concretizar sonho(s) era só forma de me ancorar ao certo, ao fácil, ao controle, caso algo corresse mal. Afinal, ter um filho a quem se pensaria dar tudo era, para mim, condição suficiente e necessária, para manter o sustento sem solavancos nem travagens bruscas.
Já há demasiadas coisas simples a subtraírem minutos ao meu sono todos os dias. Se pensava em trazer alguém ao mundo então tudo deveria ser bem calculado, medido, pensado ao mais ínfimo pormenor. Preocupei-me demasiado em aconchegar um sonho em camas de algodão fofo e sedoso, que tudo o resto foi descuidado. Os outros [sonhos] foram sendo descuidados, apagados da memória, subnutridos até serem deixados morrer por incúria de mim mesma. Esta semana comecei a enviar CV e até tive uma proposta de entrevista no mesmo dia. Retraio-me em candidatar-me a umas quantas coisas, em dar conhecimento a conhecidos do meio so…

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)