Avançar para o conteúdo principal

Amanhã logo se vê


A vida, na maior parte das vezes, não dá segundas oportunidades. Ou se as dá, poderão não ser notadas, porque é facultado apenas a miragem do que poderá vir atrás. No entanto, há aquelas que são muito evidentes porque o risco de vida esteve-lhes associado. São essas a que me refiro.

Acredito que, quem toma  a noção que tem uma segunda oportunidade de viver, a tomará numa outra perspectiva. Por isso, não faz tanto sentido queixar-se que tem uma unha encravada ou que acabou de esfolar um joelho. Afinal, a vida deu-lhe uma oportunidade de ouro para parar e pensar. Viver. Há que dar relevo ao importante.
Achando pouco provável as segundas oportunidades acontecerem, as terceiras serão improváveis.

É difícil não ignorar um relatório que tenho lá em casa, à espera de outros resultados mais conclusivos. Todos os dias ao sair de casa e depois ao chegar, bato com os olhos nele.
Receando que não haja uma segunda oportunidade, todos os dias penso que tenho de aproveitar o que tenho e que hoje me faz feliz. Agora mais, mesmo que não seja nada. Por isso, quando a tristeza começa a querer tomar conta, não lhe deixo nenhum lugar para que se possa sentar. [hoje finalmente consegui pôr as palavras fora do meu pensamento. não o tinha feito para não estar a dar muita importância. Mas a alma precisava de espairecer.]

Amanhã, logo se vê.
Vou viver
até quando eu não sei
que me importa o que serei
quero é viver

Amanhã, espero sempre um amanhã
e acredito que será
mais um prazer

e a vida é sempre uma curiosidade
que me desperta com a idade
interessa-me o que está para vir
a vida em mim é sempre uma certeza
que nasce da minha riqueza
do meu prazer em descobrir

encontrar, renovar, vou fugir ou repetir

vou viver,
até quando, eu não sei
que me importa o que serei
quero é viver
amanhã, espero sempre um amanhã
eacredito que será mais um prazer

a vida é sempre uma curiosidade
que me desperta com idade
interessa-me o que está para vir
a vida, em mim é sempre uma certeza
que nasce da minha riqueza
do meu prazer em descobrir

encontrar, renovar vou fugir ou repetir

vou viver
até quando eu não sei
que me importa o que serei
quero é viver,
amanhã, espero sempre um amanhã
e acredito que será mais um prazer
                                                           [António Variações]

Comentários

  1. Estou sem palavras. Não vai ser nada. Eu acredito que não vai ser nada.

    Um beijo enorme Alice.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carla,

      Alguma coisa é... só não se sabe com que nível de gravidade. Vamos mesmo esperar que isto seja apenas um feedback errado do organismo.

      beijinho querida Carla. obrigada

      Eliminar
  2. amei o poema



    Muitos beijinhos
    MUAH* <3

    * Tenho SORTEIO lá no BLOG

    Neuza Mariano

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Neuza,

      é um poema do António Variações. bem bonito.

      Bjs

      Eliminar
  3. Espero que não seja nada de mais e quetudo se resolva rápido! Eu acredito em segundas oportunidades. E em relação à vida em si, quem tem uma segunda oportunidade em relação a ela - vive-a como se não houvesse amanhã. É assim que vejo. Beijos gr.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jardim de Algodão Doce,

      És uma doçura, já o diz o teu nome e o teu blogue. Obrigada pelas tuas palavras. Espera-se mesmo que haja segunda oportunidade.

      Bjs

      Eliminar
  4. Eu acredito em segundas oportunidades. E acredito que há bastantes. Nós muitas vezes (senão na maior parte) não interpretamos como uma segunda oportunidade para determinado assunto. A vida é traiçoeira, é. Mas, como nos jogos, temos sempre vidas extra e forma de ter mais vidas extra. Embora ainda com muito para caminha na vida, já aprendi em alturas muito confusas e dificeis da minha vida que a calma é sempre uma grande aliada. Nunca ficamos parados, nunca, mas manter a calma e a cabeça terra a terra.

    Vai correr tudo pelo melhor :) Acredite que sim

    Beijos

    http://thedailymiacis.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sofia,

      Obrigada pelas palavras de força. Alguma coisa será. espero é que essas segundas oportunidades venham mesmo a aparecer.

      Agradeço as rtuas palavras tão generosas.

      Bjs

      Eliminar
  5. Vamos ter fé ... tudo irá correr pelomelhor ...
    Amo esse poema :)
    Beijo grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ângela,

      è essa fé, esperança que me tem mantido calada, mas ontem o desafabo acabou por acontecer.

      Vamos esperar que jnão haja mais más surpresas. Rezo todos os dias que sim, e todos os dias estou grata pelos momentos bons que a vida ainda me dá.

      o poema é lindo, sim.

      beijinho

      Eliminar
  6. Já vou um bocadinho tarde, mas espero realmente que não seja nada grave. Estou na mesma situação que tu, à espera de resultados. Desabafa, é para isso que serve o blog! Eu pelo menos sinto que quando escrevo, o assunto torna-se mais fácil de processar.
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cris,

      Nunca se vai tarde para nada. Quanto à gravidade, estamos para ver. Infelizmente, para já, não espero esses resultados que falas. Esses passaram a ser um pouco secundários. Neste momento, falo em algo mais grave.Não tem nada a ver com fertilidade.

      Obrigada pelo teu apoio.

      beijinho e boa sorte para ti, irei torcer por vocês.

      Eliminar
    2. O resultado que estou à espera também não tem a ver a ver com fertilidade, foi algo que a médica detetou na última consulta. Não há de ser nada mais que um susto para ambas, boa sorte para nós! :)
      Bjs

      Eliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

das minhas fragilidades. tenho coisas para contar, mas hoje "roubo" palavras a outros

O momento de escrever o que Maio me trouxe e me levou, vai chegar. falarei sobre isso, quando me sentir com os pés mais perto da terra e menos de cabeça para baixo. Sem os dramatismos com que agora vejo os acontecimentos.Maio trouxe e levou. A minha vida continua um novelo com muitas pontas e poucos fins à vista. tenho de falar nisso. Porquê? porque preciso. só não sei por que ponta começar.

Enquanto as minhas palavras não saem, gostei das de outrem, que não hesitei em roubar, sem pedir licença, mas dando os devidos créditos.

Tantas palavras te disse hoje,
mas as mais frágeis reservo-as
para o dia em que te encontrar.[Deste blogue]