domingo, 6 de janeiro de 2013

palmo e meio de gente artista

Hoje foi dia de festinha do meu sobrinho lá na escolinha. Como actor e como cantor. Um orgulho aqui para a tia/madrinha. Gosto tanto dele que foi com um prazer que acedi ao convite amoroso dele.
Participou num teatrinho com a história dos Três Porquinhos e do Lobo Mau. Achei graça porque quando o meu irmão (o pai dele) era pequeno adorava que lhe contasse essa história. Essa e a dos Sete Cabritinhos.
Não obstante ter os seus papéis ainda resolveu intervir no teatro dos miúdos do ATL. 
Foi muito engraçado ver como as crianças reagem de modo tão diferente à presença do público. O facto de ser espectadora permitiu-me perceber que as mães se dedicam mais a estas actividades que os pais. Os pais, um pouco com ar de frete, lá "picam o ponto". Muitas das mães querem que a sua criança seja a vedeta, e a criança entra muda e sai calada.
Também fiquei a saber que o meu sobrinho tem como melhor amiga a filhota do meu primeiro amor. Coincidências.

E no meio de tudo isto foi impossível não pensar na sorte que aquelas mães e pais têm. Acredito que não terão pensado nisso. eu penso porque não sei se algum dia a vida me deixará ser mãe. (este é um pormenor incontornável da minha vida, mesmo que agora outras preocupações falem mais alto)

3 comentários:

  1. Não acredito muito em coincidências mas é giro :)

    Beijo bom xxxx

    ResponderEliminar
  2. O que eu me ri com essa de algumas mães quererem que a sua criança seja a vedeta e depois ela entra muda e sai calada. Tão verdade.

    ResponderEliminar
  3. Na correria dos dias muitas vezes teimamos em não valorizar com o devido valor as benções que temos na vida. E poder ser mãe,é realmente uma dádiva!
    Dizem que não há coincidências, será? ;)

    ResponderEliminar

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)