Avançar para o conteúdo principal

sentir a adrenalina no máximo

As pernas ainda bamboleiam. foi tamanho o susto que apanhei, ao ponto de estar na eminência de molhar a roupa interior. ultimamente sou medrosa - fruto de algumas noites sozinha - mas hoje senti o medo em todas as células do corpo. A adrenalina ainda deve estar em alta no sangue, e já passou mais de uma hora desde o acontecido.

O facto de morar no seio de um dos maiores pulmões de Portugal e de onde já se fez muita caravela há uns séculos atrás, não me impediu de esconjurar todos os pinheiros que me apareceram pela frente. No último percurso do caminho, onde os ribombantes relâmpagos eram a única iluminação existente, granizo a granel, e chuva bem intensa à mistura, fizeram que pedisse a Deus e aos Santinhos todos que me deixassem chegar a casa, sã e salva.

Sempre pensei que a qualquer momento me caía uma árvore em cima, me despistava, ou chocava com alguma que estivesse caída.

O tempo está medonho, os relâmpagos continuam e estou a acabar este post à luz de uma lanterna. Já tomei um chá para acalmar e ver se durmo, que é a única coisa possível (se os relâmpagos e o vento deixarem) numa noite destas. 

Comentários

  1. Também já me aconteceu algumas vezes agarrada ao volante a pedir a Deus a Sua protecção divina para chegar a casa. Dorme bem, bons sonhos:) beijinhos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. dreams,

      acredita que tenho mais de meio milhão de quilómetros ao volante e acho que nunca senti tanto medo como hoje. Estive na eminência de chorar também. Lá me controlei, embora ainda sinta o latejar do coração nas pernas.

      Felizmente tudo correu pelo melhor, mas nunca tal me tinha acontecido. Depois de tanta árvore caída no fim-de-semana, a possibilidade de acontecer era alta.

      Dorme bem também e bons sonhos!

      beijinho

      Eliminar
  2. Oh minha linda ... está mesmo um tempo péssimo ... até assusta ...
    Mas agora já estás em casa e a salvo ... descansa :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ângela,

      Mesmo em casa a tempestade assustava. Hoje já estava tudo mais calmo.

      Beijinho

      Eliminar
  3. já estás em casa... calma!

    Beijo reconfortante xxxx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paulinha,

      Não costumop ter medo de relâmpagos nem de trovoada, mas eram mesmo assustadores. Hoje as coisas parecem ter acalmado.

      beijinho e obrigada

      Eliminar
  4. Bolas!!!!!
    Por aqui está calmo, espero que consigas ter bons sonhos*
    :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Candybabe,

      não me lembro se sonhei, mas lá que me custou a levantar, custou.

      Estava tão bem no quentinho e com a tempestade terminada, voltava a dormir de certeza.

      hoje tudo está mais calmo, felizmente. Que assim continue.

      Bjs

      Eliminar
  5. Ainda hoje quando ia para a escola, num momento, vento ciclónico e gelado, chuva a cair intensamente sob várias direcções e granizo...e eu no meio de nenhures, a caminho da estação do metro...foram momentos daqueles... >.<

    Vais ver que isto finalmente vai acalmar de vez! ^^

    Beijinhos, dorme bem, bons sonhos :3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Kuma,

      Estou a ver que, por aí, também não esteve fácil!

      Desejo que tenha acalmado. O tempo é sempre um indeciso, e nós levamos com estas mudanças de humor.

      Beijinho e obrigada

      Eliminar
  6. Não deve ser nada fácil acalmar depois de um susto desses, mas espero que tenhas dormido alguma coisa e que o tempo por aí tenha dado uma trégua. Tenho pensado muito em vocês quando ouço falar sobre o estado do tempo... o teu marido não deve parar e tu andas sempre com o coração nas mãos, não está nada fácil...

    Um beijo cheio de força, Alice.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carla,

      O tempo parece ter dado uma trégua face ao acontecido no fim-de-semana e ontem. Mas continua o tempo invernoso, com menos incidentes. O cenário é dantesco e continuo com receio que haja quedas de árvores, que ficaram susceptíveis.
      Pelo menos, já há luz e água e por perto de casa, ninguém sofreu danos de maior. Estamos vivos e isso é que interessa.

      Quanto ao marido, dormiu apenas domingo em casa desde que se deu o temporal. temo-nos mantido em contacto e sim, o meu coração está sempre apertadinho. ele é o meu super-herói mas não é imortal. Sou daquelas pessoas que acredita que o mal não acontece só aos outros.

      Beijinho e muito obrigada pela tua força sempre presente, que sinto mesmo em espírito.

      Eliminar
  7. Como te compreendo...
    imagino o cenário de terror!
    Graças a Deus chegaste bem.
    Todos esperamos que este mau tempo vá embora...

    Beijinho grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dear Daisy,

      Já foi embora o pior; assim esperamos. Mas as imagens da TV só mostram 1% do caos instalado.
      A tempestade durante a noite é um cenário muito aterrador. Mas já passou e estou bem. Já só quero o marido em casa, são e salvo, e descansar quando vier o fim-de-semana.

      beijinho grande

      Eliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

das minhas fragilidades. tenho coisas para contar, mas hoje "roubo" palavras a outros

O momento de escrever o que Maio me trouxe e me levou, vai chegar. falarei sobre isso, quando me sentir com os pés mais perto da terra e menos de cabeça para baixo. Sem os dramatismos com que agora vejo os acontecimentos.Maio trouxe e levou. A minha vida continua um novelo com muitas pontas e poucos fins à vista. tenho de falar nisso. Porquê? porque preciso. só não sei por que ponta começar.

Enquanto as minhas palavras não saem, gostei das de outrem, que não hesitei em roubar, sem pedir licença, mas dando os devidos créditos.

Tantas palavras te disse hoje,
mas as mais frágeis reservo-as
para o dia em que te encontrar.[Deste blogue]