Avançar para o conteúdo principal

certeza e esperança

À beira dos 36, ainda não será este ano que terei o (único) presente de aniversário mais desejado.
Eu nem sou de pedir nada...

Comentários

  1. Agora fiquei curiosa...
    Será que sei o que é???

    Beijonhoooo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dear Daisy,

      Sim,saberás certamente. O presente ideal vem sido pedido em várias ocasiões - todos os dias - mas mais especialmente nestas datas: é uma espécie de crença em que se é premiado com o que mais se quer numa data especial.

      sou um bocado sonhadora em ainda manter esta esperança. Tenho que me permitir que esta réstia more cá, para sempre que a dor da desilusão e da realidade seja mais forte.

      Sou repetitiva, eu sei.

      Não sou pedinchona, nem quereria mais nada...

      Eliminar
  2. Por vezes é complicado... Mas pode ser que tenhas uma surpresa...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Candybabe,

      Obrigada pelo conforto, mas não vai mesmo acontecer.

      Beijinho

      Eliminar
  3. Por não ser (ainda) aos 36, não quer dizer que não seja aos 37...

    Bjo*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ladybug,

      à medida que o tempo vai avançando vamo-nos habituando à ideia de que não iremos ter aquilo que desejamos. Acho que a ideia está a começar a intrusar-se na pele. Talvez fique mesmo imune, um dia, à desilusão.

      Beijinho e boas férias!

      Eliminar
  4. Se fosse eu a "mandar" já tinhas esse presente.

    Um beijo grande.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Carla,

      Sei que sim; mas nenhuma de nós manda. Acredita que depois do conformista, vejo renascer revolta e tristeza, algo que nunca teve tanta força como agora.

      há dias que também vou ao chão.

      beijinho e obrigada pelo teu apoio, sempre.

      Eliminar
  5. quem sabe ele não venha sob outra forma?
    beijinhos :3

    ResponderEliminar
  6. Kuma,

    Só conheço mesmo uma forma de ele vir. As outras de que se ouvem falar são contos a crianças. :)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. Há outras opções. Por que não tentam essas?! Não inviabiliza que a outra não aconteça! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uba,

      Essas opções também já foram tomadas e o resultado mantém-se. :S

      Acho que não há mesmo nada a fazer.

      Bjs

      Eliminar
    2. Uba,


      Só quem sabe o que é não conseguir ter um filho perceberá que a adopção não mitiga essa dor. Posso adoptar um rancho de filhos e nunca ter direito a ser mãe na verdadeira acepção da palavra.

      Sei que é difícil as pessoas entenderem isso, mas sei de quem sempre teve na ideia adoptar depois de ter um filho e ante a impossibilidade de engravidar não deixa de sentir essa dor que é nunca vir a sentir um filho na barriga.


      beijinho

      Eliminar
    3. Não posso dizer que imagino pois já sou mãe. Contudo, apenas acho que podes amar uma criança, mesmo tendo essa dor dentro de ti de não ser mãe biológica.
      Falamos melhor depois. :)

      Eliminar
    4. Uba,

      Entendo o teu ponto de vista. Entendo a tua ideia da adopção. Amar uma criança deve ser inerente ao ser humano, e não a ser mãe. Não é preciso ser-se mãe para se amar uma criança. Mas isto é um assunto mais mais complexo, que não sei se saberei explicar.

      No post que fiz a seguir talvez esteja mais bem explicado,por terceira pessoa.

      beijinho

      Eliminar
  8. Pode ser que chegue mais tarde...quem sabe se não é assim por alguma razão maior. O milagre da vida é uma incógnita. Um dia destes pode acontecer, mesmo que aches que não.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jardim de Algodão Doce,

      Pode ser que sim, que nos próximos 5 anos chegue...O milagre da vida e isso mesmo, um milagre...

      o meu coração acredita que acontecerá, a razão diz que não (acho que se baseia nas estatísticas). O corpo parece coraborar com a razão, mesmo com o coração a contrariar. ;)

      beijinho

      Eliminar
  9. Os presentes podem vir quando menos se espera..... quando nem neles se pensa. :) Nunca se sabe.

    Kisses
    Sofia G

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sofia,

      É nisso que o coração ainda acredita.:)

      beijinho

      Eliminar
  10. Não sei do que presente falas mas... torço por ti.
    Se ele não se realizar de uma forma, arranja maneira de o realizares de outra.
    Eu tenho 36 e vou a caminho dos 37...não sei que presente é essa mas...tens toda uma vida pela tua frente, não desistas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marta,

      Obrigada pela forcinha.

      toda a vida não tenho, mas pode ser que ainda consiga nos próximos ano...

      beijinho

      Eliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

das minhas fragilidades. tenho coisas para contar, mas hoje "roubo" palavras a outros

O momento de escrever o que Maio me trouxe e me levou, vai chegar. falarei sobre isso, quando me sentir com os pés mais perto da terra e menos de cabeça para baixo. Sem os dramatismos com que agora vejo os acontecimentos.Maio trouxe e levou. A minha vida continua um novelo com muitas pontas e poucos fins à vista. tenho de falar nisso. Porquê? porque preciso. só não sei por que ponta começar.

Enquanto as minhas palavras não saem, gostei das de outrem, que não hesitei em roubar, sem pedir licença, mas dando os devidos créditos.

Tantas palavras te disse hoje,
mas as mais frágeis reservo-as
para o dia em que te encontrar.[Deste blogue]