Avançar para o conteúdo principal

Diz o roto para o nu

Tenho sempre muito receio - e alguma cautela, por consequência - de estar a apontar defeitos aos outros, que seja incapaz de reconhecer em mim própria, estando eles lá. {vemos o agreiro nos olhos dos outros, quando no nosso temos uma trave} Admito que, nem sempre controlo a língua. Arrependo-me mesmo, mesmo de ter aberto a boca.

Se eu não sou exemplo, para que exigirei isso dos outros?

Comentários

  1. Acho que todos caímos um pouco nesse erro. Beijo minha querida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Belle,

      >eu acho que muita gente nem sequer pensa nisso. haveria muita gente a pensar duas vezes antes de apontar o dedo.

      Beijinho e boa semana para ti

      Eliminar
  2. Reconheceres isso já é uma virtude :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marta,

      Acredita que tento ser o mais justa possível e fico muito triste quando cometo uma injustiça. Há quem diga que eu tenho a capacidade de ver o outro lado. Não acho que isso seja capacidade. Sigo a máxima: não faças aos outros o que não gostas que te façam a ti.

      beijino

      Eliminar
  3. Há um provérbio português muito bom para isto que falas: 'quem tem telhados de vidro, não atira pedras!' E eu também me esforço ao máximo por segui-lo porque às vezes se não tivermos cuidado, levamos com o telhado e com as pedras em cima...
    É muito sensível reconhecermos os erros, porque só assim melhoramos :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. B. Cérise,

      Reconhecer os erros ajuda a evitarmos que eles tornem a acontecer, mas de vez em quando, voltam a acontecer. E sinto-me tão mal com as outras. às vezes ainda sofro do efeito "ir com o rebanho" quando não verdade, sou tão contra ele.

      beijinho

      Eliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

balões de oxigénio precisam-se...

Tenho andado longe daqui e de outros locais virtuais que, habitualmente apreciava ler. Os emails acumulam-se neste endereço que associei ao blog. Tem havido pouco tempo, pouca vontade e uma energia há muito no vermelho. Não e por desinteresse que tenho estado longe, e por desequilíbrio mental. Querer escrever aqui ou numa caixa de comentários tem se tornado uma tarefa quase hercúlea. Escrever sempre um prazer para mim, mas tenho-me sentido incapaz de o fazer nos últimos tempos. Tenho aceitado com alguma ansiedade os muitos acontecimentos que se vão sucedendo, mais desde Abril- outro Abril que se verificou agourento. Tenho muitas coisas pendentes neste momento que apenas requerem tempo- e Paciência - para que possam resolver-se. Apesar de tudo e cada vez mais, acredito - embora nem sempre aceite, em primeira instancia- nada acontece por acaso. Embora almejasse deste o início do ano por umas boas e retemperadoras férias, não foi a possibilidade de um ultimo tratamento que as veio por …