Avançar para o conteúdo principal

arrastão

O desânimo está tão presente nas caras e nas acções das pessoas que, por muito que queira ser força de bloqueio, não estou a conseguir.
Sinto-me a ser engolida por um mau estar geral que parece estar presente à minha volta; por isso me tenho sentido cansada, desanimada e um pouco desorientada. Luto para não voltar para esse buraco negro. Reavivo sonhos. Remexo em projectos. Alinhavo estratégias.
Não queria baixar os braços, mas estou a ficar cansada de os manter erguidos para remar contra a maré. hoje voltei a ter uma crise de ansiedade e senti-me sufocar perante a impotência na resolução de um problema.

Não haverá soluções para sairmos desta depressão colectiva para a qual estamos a ser arrastados?



Felizmente não tenho tempo para ver notícias, se não já tinha colapsado certamente, pelo que vou ouvindo dizer.

Comentários

  1. deixar-se levar pela corrente é fácil, o que nos distingue é a nossa força para contrariar todas as adversidades, por isso somos especiais!!! Beijinhos e bom fim de semana, eu por cá tb te ajudo a lutar!!!

    ResponderEliminar
  2. Alice,
    Tive de mudar o endereço e o nome do blog mas nunca seria por ninguém na blogosfera. Muitas pessoas que me conhecem sabiam o caminho para as Folhas Perdidas e isso posso trazer algumas complicações, mas como é óbvio tu serás sempre bem vinda ok! Até já tinha colocado o teu blog na minha lista de "vizinhos" :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. A solução é resitsir e continuar a espalhar força junto daqueles que não a vão tendo. Pelo menos temos a certeza que tentamos.

    E precisamente porque já estava a começar a entrar nessa depressão colectiva é que já não vejo noticiários na televisão e notícias de jornais só leio os títulos de fugida (para não ficar completamente alheada de tudo). Escolho viver um dia de cada vez, da melhor maneira que consigo.

    Um beijo e um bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  4. Minha querida,
    A solução que eu uso no meu dia a dia é sorrir para as pequenas mas boas coisas que a vida me dá... tudo o resto são extras, e os extras menos bons deixo-os fora de casa, não os quero de forma alguma!
    Espero ter ajudado!

    Um beijo doce xxxx

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

balões de oxigénio precisam-se...

Tenho andado longe daqui e de outros locais virtuais que, habitualmente apreciava ler. Os emails acumulam-se neste endereço que associei ao blog. Tem havido pouco tempo, pouca vontade e uma energia há muito no vermelho. Não e por desinteresse que tenho estado longe, e por desequilíbrio mental. Querer escrever aqui ou numa caixa de comentários tem se tornado uma tarefa quase hercúlea. Escrever sempre um prazer para mim, mas tenho-me sentido incapaz de o fazer nos últimos tempos. Tenho aceitado com alguma ansiedade os muitos acontecimentos que se vão sucedendo, mais desde Abril- outro Abril que se verificou agourento. Tenho muitas coisas pendentes neste momento que apenas requerem tempo- e Paciência - para que possam resolver-se. Apesar de tudo e cada vez mais, acredito - embora nem sempre aceite, em primeira instancia- nada acontece por acaso. Embora almejasse deste o início do ano por umas boas e retemperadoras férias, não foi a possibilidade de um ultimo tratamento que as veio por …