quarta-feira, 24 de julho de 2013

as nozes e os dentes e coiso...

Acredito que, uma das maiores aflições de um bombeiro, é saber que perto da casa dos pais  lavra um incêndio de grandes proporções, quando está a 160 km do local [mais coisa, menos coisa], num quartel de bombeiros, pronto para qualquer eventualidade, mas na nossa zona de residência.

Sei que lhe deve estar a custar, ainda mais que a corporação da terra, e onde já pertenceu, vai fazendo ponto de situação e ele, através das comunicações, vai percebendo o que se passa.

Se não fosse pelo discernimento que ainda acho que tem, já teria ido por aí acima, ajudar. Ficar de braços cruzados numa situação destas é como se o estivessem a  torturar.

Temos um amigo no Algarve que deve estar a passar pela mesma situação. Esse ainda está mais longe, e ainda é bem capaz de pedir licença para ir a correr.

A vida é mesmo irónica. Já o disse.


2 comentários:

  1. Espero que tudo se resolva rapidamente, sem grandes prejuízos (o que pelo que contas será difícil) e sem perdas maiores.

    Um beijo de força.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carla,

      Não houve perdas humanas, e isso é o mais importante. Foi um tremendo susto mas ao final da tarde ficou controlado. espero que não haja reacendimentos,

      Beijinho e obrigada

      Eliminar

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)