Avançar para o conteúdo principal

anda a crescer...

Já disse várias vezes que não sou de guardar rancor e, consequentemente, ódio a ninguém. Sou de esquecer muito facilmente.
Ultimamente, parece ter crescido esse sentimento de ódio - continuo a achar esta palavra forte demais - pela minha colega de trabalho, a destrambelhada que já falei aqui, aqui, aqui e mais há, mas nem vale a pena referir mais coisas que já escrevi.

Não gosto deste sentimento, mas só de a ouvir falar, fico com os nervos em frangalhos. Fico mal disposta.
Já nem a posso ver. E ela sempre aqui na minha frente.

Sinto-me tão mal com isto. Assumo que isto me está a afectar mais do que seria de esperar. Negativamente.

Comentários

  1. Também sou de me libertar das coisas, guardar rancores só nos faz mal a nós, mas há pessoas que me tiram do sério, quando sou obrigada a conviver com elas fico com os nervos em franja. Sei que não valem a minha irritação mas não consigo evitar!

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Canca,

      Sê bem-vinda

      Então acho que somos muito parecidas nisso; tenho pena de me deixar arrastar pela irritação.

      Ando a tentar encontrar alternativas. Temos de nos proteger.

      Beijinho

      Eliminar
  2. É um sentimento nada bonito que também conheço, infelizmente...
    E de facto não nos faz sentir nada bem.

    Assim como há pessoas que fazem despertar em mim carinho, ternura e amizade, outras há que me fazem sentir tudo o que de mau há em mim.

    Não te sintas mal por isso. Sabes que quem está mal não és tu.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dear Daisy,

      então decerto me compreenderás. Estou a tentar contornar isto. Pelo menos, ela vai de férias, vou ter alguns momentos de sossego, espero eu. Mas como tem sido habitual, assim que pego em coisas dela dou logo conta de erros crassos.

      Estou a tentar amenizar este mau estar.


      Beijinho

      Eliminar
  3. Ela é uma pessoa tóxica por isso ignora-a. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. amigos das onze horas,

      Sê bem-vinda.

      Desde que vi o teu comentário tenho pensado nessa palavra "tóxica".

      É isso que a define; é tóxica e faz-me perder o controle.

      Estou a ver se resolvo isto.

      Beijinho

      Eliminar
  4. Afinal não sou só eu que tenho "múmias queridas e fofinhas" como colegas de trabalho... Tem calma, acabas por te habituar (nem que seja ao fim de muitos anos como eu) e a lidar com ela. Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gaja Maria,

      Sim, a minha não é bem uma múmia, é mais um piolho elécrico. Mete-se em tudo o que não lhe diz respeito, tem uns tiques estranhíssimos, é incompetente. Enfim...

      Ela está a contrato, se isto continua tão mal, um dia o patrão passa-se e ela vai para o olho da rua... Quero ver se não contribuo para isso.

      Beijinho

      Eliminar
  5. O meu conselho é sempre este: não te prendas por sentimentos menos bons pois a verdade é esta, eles só corroiem o coração de quem o sente e, neste caso o teu e não o dessa colega.
    Sei que nem sempre é fácil mas THINK HAPPY THOUGHTS and the rest will follow!

    Um beijo no ♥

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paulinha,

      Depois de algumas lágrimas vertidas por esta situação, uma grande tristeza por tudo isto e mais umas quantas coisas, decidi que tenho mesmo de treinar outra atitude. Ser mais positiva nas minhas coisas, ao ponto de a conseguir ignorar.

      Ela é incompetente, passam o tempo todo a mostrar-lhe isso; ela está a contrato e se não muda, corre o risco de perder o emprego...

      Quanto a mim, vou fazer os possíveis por ser alheia a tudo isto.

      Beijinho

      Eliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

das minhas fragilidades. tenho coisas para contar, mas hoje "roubo" palavras a outros

O momento de escrever o que Maio me trouxe e me levou, vai chegar. falarei sobre isso, quando me sentir com os pés mais perto da terra e menos de cabeça para baixo. Sem os dramatismos com que agora vejo os acontecimentos.Maio trouxe e levou. A minha vida continua um novelo com muitas pontas e poucos fins à vista. tenho de falar nisso. Porquê? porque preciso. só não sei por que ponta começar.

Enquanto as minhas palavras não saem, gostei das de outrem, que não hesitei em roubar, sem pedir licença, mas dando os devidos créditos.

Tantas palavras te disse hoje,
mas as mais frágeis reservo-as
para o dia em que te encontrar.[Deste blogue]