Avançar para o conteúdo principal

Oito anos a dois



Não achamos que o casamento entre em crise aos sete anos. Não o nosso.  Depois de muitas provações que nos aconteceram ao longo destes anos, discussões, doenças, obrigações, mortes, talvez já estejamos prontos para quase tudo. Temos sido muitas vezes postos à prova e sabe Deus que algumas têm sido bem duras. Sabemos que há quem nos queira mal mas tentamos contornar a situação não nos deixando envenenar.

Este último mês não tem sido muito fácil, mas suportar tudo o que se tem passado, dando todo o apoio que me é possível, é também uma prova de amor. Julgo que sim. pelos menos, as outras pessoas passam o tempo todo a dizerem-me que não eram capazes de suportar tudo isto. Acho que é o amor que me move; não vejo outra razão.

Logo à tarde, completamos oito anos de união aos olhos de Deus e dos homens, a somar a mais nove de namoro. Que venham muitos múltiplos destes oito, bem vividos e com sonhos para viver a dois. Mesmo que alguns não se consigam concretizar.

[acabei por preparar uma surpresa simples do género que já tinha falado AQUI, com recados e gomas em forma de coração; o que interessa é relembrar o dia, com um pequeno mimo. E não faltaram cúmplices, para ajudar a entregar quando chegar a hora. Acho que estavam ainda mais entusiasmados que eu!]

Este blogue também tem aspecto novo para estar em consonância com a data. Adoro Setembro!

Comentários

  1. Parabéns!!!!!
    Estes momentos têm de ser lembrados e acima de tudo Festejados***
    :D

    ResponderEliminar
  2. Parabéns aos dois!!!! Dia feliz!
    Maria

    ResponderEliminar
  3. Parabéns aos dois!

    Muitos e muitos mais anos de cumplicidade e amor é o que vos desejo.

    Um beijo grande

    ResponderEliminar
  4. Parabéns e que venham mais 8 e mais 8 e mais 8 :)

    ResponderEliminar
  5. Parabéns aos 2! Um amor assim e lindo de se ver. Que contem muitos e muitos sempre unidos. Beijinhos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

balões de oxigénio precisam-se...

Tenho andado longe daqui e de outros locais virtuais que, habitualmente apreciava ler. Os emails acumulam-se neste endereço que associei ao blog. Tem havido pouco tempo, pouca vontade e uma energia há muito no vermelho. Não e por desinteresse que tenho estado longe, e por desequilíbrio mental. Querer escrever aqui ou numa caixa de comentários tem se tornado uma tarefa quase hercúlea. Escrever sempre um prazer para mim, mas tenho-me sentido incapaz de o fazer nos últimos tempos. Tenho aceitado com alguma ansiedade os muitos acontecimentos que se vão sucedendo, mais desde Abril- outro Abril que se verificou agourento. Tenho muitas coisas pendentes neste momento que apenas requerem tempo- e Paciência - para que possam resolver-se. Apesar de tudo e cada vez mais, acredito - embora nem sempre aceite, em primeira instancia- nada acontece por acaso. Embora almejasse deste o início do ano por umas boas e retemperadoras férias, não foi a possibilidade de um ultimo tratamento que as veio por …