sábado, 26 de outubro de 2013

eu fui sempre assim

Eu sou uma das pessoas mais desinteressantes que conheço. Digo-o muitas vezes em conversa com aquela pessoa que vive dentro de mim. Já o começo a dizer em voz alta a algumas pessoas. Sei que zangam, mas não têm razão. 

Talvez por isso, não sinta grande vontade de conhecer pessoas. De lhes contar a minha vida. Deixo que falem da delas [as pessoas são óptimas a falar delas, não sei se alguém já reparou]. Sinto-me incapaz de dar voz ao que sou. Eu, que encontro a beleza em todo o lado, em todas as faces com que me cruzo. Acho que todas as pessoas são bonitas. Mas também as há muito interessantes. 

Talvez por me achar desinteressante, dê por mim a sair de cena, de mansinho, devagarinho para não darem conta que já ali não estou. Para não lhes admitir que não sou suficientemente interessante para estar na vida delas [ao ponto de lhes abrir o meu coração]. Talvez por isso, só me sinta confortável com os que me conhecem mesmo, mesmo bem. Os que fizeram por isso, não desistiram face aos meus argumentos e aos meus silêncios.

Este blogue é o sitio onde eu mais falo de mim. ninguém faz frete de me ouvir; fecha ali a cruzinha e pronto . por isso é que me vai continuando a apetecer estar por aqui.






6 comentários:

  1. Eu não faço frete nenhum:) ouvir-te é um prazer e tu és tonta, porque tens tanta coisa engraçada para contar! Não te tenhas em má conta, ok?

    Beijos, beijos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Blanche Cerise,

      Olha que ter tanta coisa engraçada para contar não é sinónimo de ser interessante.:)

      Tenho dias que a má conta abunda mais que outros. Não teremos todos dias destes?

      Beijinho e espero que esteja tudo bem contigo

      Eliminar
  2. Sabes que mais, por aquilo que vais escrevendo por aqui, acho que não és desinteressante com achas que és. E é por isso que venho cá sempre, que estou sempre a par das actualizações do teu blog. Porque gosto muito do que escreves, do que falas, do que dizes.

    Mas tu é que sabes o que sentes e como te sentes, mais ninguém te pode convencer do contrário (e aqui acrescento que este post podia ter sido escrito por mim, no meu blog, a falar de mim...).

    Um beijo e uma excelente semana, Alice

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carla,

      Assim que li o teu comentário fiquei comovida com as tuas palavras. Obrigada.

      Sei que nem sempre nos é fácil gostar daquilo que somos e principalmente quando nos pomos com auto-análises que nos levam a sentir diferentes dos outros.

      Temos de trabalhar para todos os dias gostarmos um pouquinho mais de nós, não é?

      Beijinho

      Eliminar

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)