Avançar para o conteúdo principal

hoje o meu irmão fez anos

Em casa dos meus pais abundou boa educação, respeito, rectidão e justiça. Ai de nós que puséssemos o pé em ramo verde. Apesar de sempre sabermos que éramos a luz dos olhos dos nossos pais, nunca existiram muitas palavras de afecto. O meu pai não é propriamente a pessoa mais eloquente quanto a sentimentos, mas sempre tivemos a noção- pelo que ia dizendo aos outros- do orgulho e amor que sentia por nós. Ainda hoje é assim. 

Acho que foi o meu marido que colmatou esta minha dificuldade em expressar afectividade, assimilada da educação que tive. Ele é a doçura em pessoa. Agora já me é mais fácil dizer que gosto, que amo. Contudo, continuo a preferir escrever a falar sobre o meu gostar.

Em dias como o de hoje, em que o meu irmão fez anos, e na impossibilidade de lhe dar os parabéns pessoalmente, deixei-lhe um cartão escrito com o presente. Respondeu-me que gostou de tudo e ainda mais do cartão. Comoveu-me. Ele será sempre o meu menino (carinhosamente é assim que o tratamos quando falamos dele), apesar dos seus 32 anos. 

Fico muito contente por sermos dois bons irmãos, apesar das nossas diferenças. Desejo e orgulho-me da harmonia que existe entre os dois e, ditada pela educação que tivemos,  tudo fazemos para que nenhum de nós se sinta prejudicado/beneficiado em relação ao outro. A felicidade dele é também a minha.

Hoje foi um óptimo dia para lhe dizer que gosto muito dele; e ele retribuir com um "gosto muito de ti, sabias?".




Comentários

  1. É muito bom ter um irmão com quem nos damos bem, com quem passamos bons momentos, de que gostamos muito, mesmo sendo diferentes em muitos aspectos. Eu e a minha irmã também somos assim.

    Um beijinho para os dois. Que mantenham sempre essa amizade por toda a vossa vida.

    ResponderEliminar
  2. Parabéns para o mano e para ti :)

    Compreendo essa tua maneira de ser, porque sou semelhante. Os meus pais também sempre foram muito contidos no que diz respeito à demonstração de afectos. Eu também sou assim e a minha filha, que é exactamente o contrário às vezes diz: A minha mãe não é de dar beijinhos. Amo-a como nunca amei ninguém na vida, é minha filha, mas está na minha natureza esta forma se ser, impossível mudar. Às vezes bem tento, mas não é fácil alterar o que sou. De qualquer forma, o amor que sinto pelas pessoas que me são queridas é demonstrado de outra forma e quem me conhece já sabe.

    ResponderEliminar
  3. Parabéns para ambos então...Irmãos são companheiros de vida extremamente importantes!
    beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  4. É tão bom ter irmãos, apenas tenho manas, mas não me imagino sem elas :D
    Os parabéns ao mano***

    ResponderEliminar
  5. Nem sempre as coisas mais importantes são óbvias e o amor de irmãos está muito bem aí nesse cantinho de sentimentos especiais que não precisam de palavras ditas.
    Beijos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

das minhas fragilidades. tenho coisas para contar, mas hoje "roubo" palavras a outros

O momento de escrever o que Maio me trouxe e me levou, vai chegar. falarei sobre isso, quando me sentir com os pés mais perto da terra e menos de cabeça para baixo. Sem os dramatismos com que agora vejo os acontecimentos.Maio trouxe e levou. A minha vida continua um novelo com muitas pontas e poucos fins à vista. tenho de falar nisso. Porquê? porque preciso. só não sei por que ponta começar.

Enquanto as minhas palavras não saem, gostei das de outrem, que não hesitei em roubar, sem pedir licença, mas dando os devidos créditos.

Tantas palavras te disse hoje,
mas as mais frágeis reservo-as
para o dia em que te encontrar.[Deste blogue]