Avançar para o conteúdo principal

O meu pai

O meu pai ainda não tinha 23 anos quando foi pai. O meu pai não é um pai perfeito, como não será o de ninguém. Com a diferença que ele tem uma filha que admite a sua imperfeição. O meu pai é um pai com uma loucura extrema pelos filhos, ao ponto de achar que não crescemos, que não sabemos cuidar de nós. o meu pai continua a falar à minha mãe de que a garota (eu) esteve lá em casa, a garota (eu) disse, a garota (eu) trouxe ou levou... O meu pai tem um orgulho nos filhos (e no neto) desmedido (nós sabemos). O meu pai é vaidoso na família que constituiu, no património que construiu.

O meu pai tem uma assinatura infalsificável - não faltaram tentativas com ele a ver, para nos testar.  O meu pai dá erros de ortografia, mas tem uma bonita caligrafia. Sabe a tabuada de cor e fomos castigados vezes sem conta até a sabermos (eu ainda a sei). Adoro fazer contas e não desperdiça papel; dispensa máquina de calcular.O meu pai é muito organizado e gosta sempre de chegar adiantado aos eventos.

O meu pai já usou bigode e só o cortou após eu ter casado. O meu pai já me quis chamar Susel, mas felizmente, no registo não deixaram. O meu pai tem uma memória fabulosa para histórias de antepassados. 

O meu pai passou-nos a educação para a honestidade, a poupança, a honra da palavra, para o zelo no trabalho, para a dedicação em tudo o que se faz, para a perfeição. Sempre com dignidade e altivez qb, para não nos espezinharem.

O meu pai tem problemas expressão com as emoções. Nem sempre as palavras que diz expressam todo o amor que sente.

O meu pai tem uma filha que herdou o carácter do pai - com todas as implicações que isso tem. O meu pai é chamado de papá pelos dois filhos, e tratamo-lo por tu.

O meu pai será sempre uma das pessoas da minha vida. Das que mais admiro, mesmo nos momentos mais conturbados da nossa relação.

O meu pai, na sua cabeça, achava que teria uma vida curta como a sua mãe. Já viveu mais do que aquilo que contava viver, diz ele. Em número e em género, acrescento eu.

Haveria tanta coisa para dizer sobre o meu pai. Boas e más. Já tive muitas alegrias e algumas tristezas com o meu pai.

O meu pai chama-se José. Faz hoje anos. Parabéns, Papá! Gosto muito de ti! Nem imaginas quanto!

[versão rascunho,  escrito desenfreadamente, a cru.]

Comentários

  1. Parabéns então ao pai :)
    O meu por acaso também faz anos esta semana, e despertou-me a atenção o teu post.

    Beijinho Alice e Felicidades :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria XL,


      Parabéns para o teu pai também.

      Beijinho

      Eliminar
  2. Como gostava de escrever isto... Ou pelo menos de senti-lo.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uba,

      Tal como escrevi no post, o meu pai não é perfeito. Mas é meu pai e gosto muito dele.

      Lá terás as tuas razões relativamente ao teu pai. E certamente serão válidas.

      Beijinho

      Eliminar
  3. Tens um excelente pai e ele tem uma excelente filha...merecem-se ...e amam-se!!! Adorei o post!
    beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria

      Muito obrigada.

      Somos o que é possível. Nem tudo sem rosas, nem tudo são espinhos. Nenhuma relação é perfeita.

      Beijinho

      Eliminar
  4. Gostei tanto de ler!!!
    Muitos parabéns ao teu pai :)
    E a ti também!

    ResponderEliminar
  5. Se isto foi escrito a cru, imagino o que seria se o tivesse metido no forno!
    Belíssima homenagem, belíssima!!!
    Parabéns não só para o pai mas também para a filha. Parabéns para os dois por esse lindo amor que vos une.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marta,

      O texto foi escrito numa pausa do trabalho, a correr, a correr, sem pensar muito, sem muitos adjectivos ou floreados. Escrevi o que que penso do meu pai, sem filtro.

      Muito obrigada.

      Beijinho

      Eliminar
  6. Parabéns ao pai, parabéns à filha. E que bem que escreves "a cru". Bonita homenagem.

    Um beijo aos dois.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carla,

      Muito obrigada. Isto foi escrito a correr e sem filtros. sem falsidades nem grandes reflexões. Não foi pensado demoradamente. Foi saindo.


      Muito obrigada


      Beijinho e espero que estejas melhor das viroses.

      Eliminar
  7. Parabéns ao teu pai. Mima-o muito. Beijinhos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

balões de oxigénio precisam-se...

Tenho andado longe daqui e de outros locais virtuais que, habitualmente apreciava ler. Os emails acumulam-se neste endereço que associei ao blog. Tem havido pouco tempo, pouca vontade e uma energia há muito no vermelho. Não e por desinteresse que tenho estado longe, e por desequilíbrio mental. Querer escrever aqui ou numa caixa de comentários tem se tornado uma tarefa quase hercúlea. Escrever sempre um prazer para mim, mas tenho-me sentido incapaz de o fazer nos últimos tempos. Tenho aceitado com alguma ansiedade os muitos acontecimentos que se vão sucedendo, mais desde Abril- outro Abril que se verificou agourento. Tenho muitas coisas pendentes neste momento que apenas requerem tempo- e Paciência - para que possam resolver-se. Apesar de tudo e cada vez mais, acredito - embora nem sempre aceite, em primeira instancia- nada acontece por acaso. Embora almejasse deste o início do ano por umas boas e retemperadoras férias, não foi a possibilidade de um ultimo tratamento que as veio por …