sexta-feira, 22 de novembro de 2013

prisioneira

Há vezes que me sinto prisioneira das minhas regras. Rectidão e sentido de justiça são duas delas.

A aplicação de ambas torna-me a vida tão dificuldada mas é contra a minha natureza ignorá-las. Mesmo que a maioria das pessoas o faça, não quer isso dizer que eu não escute o que me diz o coração e o que me aponta a razão.

Não sou salvadora do mundo, bem sei, mas a injustiça é coisa para me causar uma coceira mental desgraçada.
O mundo [forma de falar, não a querer cair no melodrama] não se compadece comigo quando a injustiça recai sobre mim. Só isto devia ser suficiente para eu aprender.

Porque raio só aprendemos rápido o que não devemos?

1 comentário:

  1. Há coisas, neste caso valores de que não devemos abdicar mesmo que por vezes nos provoquem alguns problemas..acho que esses são dois deles...!!!
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)