Avançar para o conteúdo principal

Ou Deus me testa ou o Diabo me tenta




Ora vejamos... na semana passada soubémos que o marido ia ser tio-avô, seguiram-se os nossos amigos com o nascimento da criança programado lá para o verão. Na segunda, anuncia uma das nossas colegas aqui do trabalho que está de quatro meses. Ontem, liguei a desejar um Feliz aqniversário a uma das minhas queridas amigas e adiantei-me em dar-lhe parabéns mais uma vez, pois adivinhei-lhe a gravidez ainda antes que o dissesse. Nove semanas, lá me confidenciou. Felizmente, não me perguntou como estaria eu nesse campo. Acho que, telefonar-lhe às oito da noite, justificando-me a interrupção do seu jantar, com a minha saída  do trabalho naquele momento, a deixou desarmada para qualquer pergunta do género.

Sei que é muito possível que já toda a gente tenha posto no seu topo de hipóteses que eu não tenho filhos porque não consigo, contrariando a  desculpa repetitiva de "não tenho vida para isso". Mas os outros têm pouco a ver e nada a saber sobre a real vontade de ter filhos. Sinceramente, às vezes, quase me convenço a mim própria que não tenho mesmo vida, numa esperança vã de cobrir uma dor que, umas vezes é mais forte que outras. Depende do grau de avaliação em que ponho a minha vida e a minha felicidade.

Bom, com tanto anúncio de gravidez, poderia andar de rastos, mas em cada uma destas situaçãoes cresce mais força para me manter à tona. Porque decidi que todos os dias podemos começar de novo. Porque todos os dias são um dia novo, onde não há lugar para remoer problemas de ontem.

Não sei se Deus joga xadrez com o Diabo no que à minha vida diz respeito. Mas. se algum deles aposta nas minhas lágrimas, que não eu me aguentaria, está a perder. O que não nos mata, torna-nos mais fortes - é a velha frase de recuperação. 

Comentários

  1. Não tenho palavras. Apenas um grande e apertadinho xi-coração que envio daqui, de longe, e sempre com esperança de um dia o dar mesmo. Bjinhos

    ResponderEliminar
  2. O ideal é procurares focar-te em ti e no teu marido, pensarem numas férias giras e aproveitarem a companhia um do outro*

    ResponderEliminar
  3. Tens uma força brutal, admiro-te muito.
    Força*

    ResponderEliminar
  4. Parece que o relogio biologico das massas desperta todo ao mesmo tempo. Sinto-me como tu...aqui há crianças a brotar em todo o lado

    ResponderEliminar
  5. Acredita que um dia o teu dia chegará e cá estaremos TODOS para te dar os PARABÉNS :)
    pensamento sempre positivo ok?

    BEIJINHO CARINHOSO XXXX

    ResponderEliminar
  6. Eu também me lembro da altura em que tudo só ouvia notícias de pessoas férteis à minha volta ;) mas também conheci, nessa mesma altura, casais amigos que passavam pelo mesmo que nós, ou seja, pelo oposto. Fui ouvindo tanta barbaridade em forma de apoio (muita mesmo e que só desculpava por saber que não faziam a mínima ideia do que estavam a falar) que decidi que o ideal seria aproveitar o que eu tinha e não o que queria ter. E felizmente consegui a minha filha na primeira tentativa.
    Depois disso, e mesmo com pessoas que conhecem a nossa história, continuo a ouvir perguntas sobre o segundo filho (acreditas?) e comentários de quem tem 2 como se tivesse 5, como se afinal eu já não pudesse opinar acerca da maternidade porque ter um e muito fácil :)

    O meu conselho para ti, e vale o que vale, é que tentes mesmo ignorar os comentários exteriores, desabafa tudo com o teu marido e familiares ou amigos que te sejam mais próximos, acredita sempre que vais realizar o teu sonho mas acorda a pensar em tudo o que tens (hoje) de bom. Um dia vai ser o teu dia mas enquanto esse dia não chegar, sê feliz.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Mantém-te serena, ainda um dia vais ter uma surpresa. Beijinho Grande

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

balões de oxigénio precisam-se...

Tenho andado longe daqui e de outros locais virtuais que, habitualmente apreciava ler. Os emails acumulam-se neste endereço que associei ao blog. Tem havido pouco tempo, pouca vontade e uma energia há muito no vermelho. Não e por desinteresse que tenho estado longe, e por desequilíbrio mental. Querer escrever aqui ou numa caixa de comentários tem se tornado uma tarefa quase hercúlea. Escrever sempre um prazer para mim, mas tenho-me sentido incapaz de o fazer nos últimos tempos. Tenho aceitado com alguma ansiedade os muitos acontecimentos que se vão sucedendo, mais desde Abril- outro Abril que se verificou agourento. Tenho muitas coisas pendentes neste momento que apenas requerem tempo- e Paciência - para que possam resolver-se. Apesar de tudo e cada vez mais, acredito - embora nem sempre aceite, em primeira instancia- nada acontece por acaso. Embora almejasse deste o início do ano por umas boas e retemperadoras férias, não foi a possibilidade de um ultimo tratamento que as veio por …