Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2014

trinta e sete

Imagem
Não me custa dizer a idade, não temo as rugas - senão não me desleixava tantas vezes com o creme -, e quanto aos cabelos brancos, já não há volta a dar- já cá moram há uns tempos, ainda antes dos trinta e cinco. A genética nestas coisas fala mais alto. O stress e as mói-almas desta vida também deram o seu contributo.
Custam-me os trinta e sete cá por coisas. Por estar cada vez mais perto de enfrentar o meu maior medo e cada vez mais longe de um dos meus sonhos de sempre.
Mentirei se disser que estou contente por fazer anos. Acho que é  a primeira vez que não estou. Não serão razões comuns às outras pessoas; a vida fugiu em muito do meu traçado, dos meus sonhos, expectativas e ambições (que nem são nada exageradas). E vejo portas a fecharem-se mais rápido do que aquilo que tenho capacidade para chegar a elas.
Que venham os trinta e sete. se tiver saúde para os viver, já não é mau. Sobrevive-se.


o que é que eu gostaria mesmo, mesmo?

Imagem
Fonte
Ter tudo feito por um tempo. Para não ter nada para fazer.
[não sei se é do cansaço, se da idade. gostaria de parar um pouco este vida de carrossel]

o livro de poesias

O meu sobrinho pequenito quase me preenche o coração por cpompleto, não morassem cá outras pessoas também. sou apaixonada pelas suas doçuras e até travessuras. Pergunto-lhe primeiro se  lhe posso dar um beijinho de olá, e ele estende-me a bochecha rosácea da euforia que vive com a minha chegada. Pergunto-lhe depois, se me quer dar um beijo; agora, ele nunca me nega nenhum. Assim, sem obrigações entramos num consentimento mútuo de dar beijinhos, já que ambos somos pessoas de beijoquice selectiva.
Sei que tem uma panóplia de livros, muitos dados por mim, alguns já não estão no seu melhor estado de tanto serem folheados e transportados. Não resisto ao vício e a vontade de lhe oferecer mais um. Contrario a maioria que teima em oferecer-lhe doces. Tem tempo para os comer quando crescer. Sou contra dádivas dessas.
Sei que gosta de rimas, sabe o que são. Encontro o livro perfeito, com muitas para lhe ler. Pequenas poesias engraçadas a par com ilustrações bem giras. Leio lhe umas quantas mas…

Ando com dúvidas se isto acaba aqui

Imagem
Há poucas semanas fechei o blogue, porque achei que precisava pensar se valia a pena mantê-lo, se valia a pena as pessoas visitarem, porque quis estabelecer novas prioridades Sei que houve quem pensasse que eu tinha feito uma escolha selectiva de leitores e só alguns teriam acesso. não dei acesso a ninguém, deixei o blogue sossegado e eu dediqui-me a outras coisas e outras pessoas. A par de umas quantas decepções, achei que o tempo devia ser distribuido por coisas que me fizessem sentir mais útil. Voltei a abri-lo porque achava que estava outra vez a apetecer-me e também porque me deram alguma força para isso, confesso. Até lhe mudei o nome para me sentir motivada a escrever as coisas mais felizes que fossem acontecendo, fugindo de um registo depressivo. Nos últimos dias, venho cá só para fazer uma pequena pausa no trabalho que é cada vez mais cansativo, pelas pessoas que se limitam aos serviços mínimos e os outros que façam. Dificilmente me ligo à net à noite, porque só penso em cam…

desalento

Há dias de exaustão, em que ponho em causa quase todas as minhas decisões.

Ando há semanas nisto.