Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2014

Tudo no seu tempo

E pronto, tal como desconfiava, a SURPRESA era mesmo o concerto dos Silence 4. 
[Se alguém me explicar uma forma rápida de colocar um vídeo caseiro aqui, prometo uma musiquinha neste espaço. Clicar o item que o blogger tem para o efeito demora mais do que qualquer concerto, mesmo o mais pequeno do mundo]
Em 1995/96, quando entrei para a Universidade já muita gente alucinava pelos Silence 4. Creio que havia muita gente no concerto que, pela idade que teriam nessa altura, nunca terão sentido o quanto eles mobilizavam massas. Havia muita gente que julgava que eles eram estrangeiros e afinal eram (são) de Leiria.
E percebi que a idade me começa a pesar, que agora prefiro os concertos mais intimistas, a umas horas um bocadito mais decentes.
Foi bom, e isso é que interessa. Levantar às seis, foi ainda mais difícil que o habitual, mas amanhã é sábado.



informação a mais

sou detentora de uma informação que me está a incomodar severamente. ao ponto de me sentir com os nervos em franja e incapaz de dormir. mais uma vez sei algo que diz respeito à vida de outrem. algo importante que a pessoa em causa não antevê certamente. ponho-me no seu lugar. vão dizer-me que não me posso comparar. pergunto-me se, estando nas mesmas circunstâncias não teria um tratamento similar. e isto também me desassossega.

don't stop me now

Imagem
Apesar de ver pouca televisão, este fim-de-semana, tropecei num anúncio - que também começou a passar na rádio - que me prendeu até ao fim [e ainda são uns minutos]. anunciam uma nova operadora de tv e net, com nome de pronome pessoal ;). Acho que está fabuloso. Digo eu que não percebo nada da poda. [se calhar já toda a gente viu e já falou, mas eu só dei conta ontem...] Espero daqui a uns dias não vir a detestá-lo, por passar tantas vezes. Só a música vale bem a pena.

Aprendizagem contínua

Vou deixando de estar lá para outros, quando os outros nunca estiveram verdadeiramente comigo ou por mim.
Isso tem-me libertado de obrigações sem problemas de consciência que me acordavam  meio da noite.
Talvez esteja a ficar com um coração duro. Ou a aprender a ser menos disponível.

Preliminares

O meu marido ao meio-dia manda-me uma sms com o seguinte conteúdo:
"Boas.[não aprecio este começo, mas enfim...]. Dia 22 tens de sair cedo da empresa. Não perguntes porquê, que eu não te vou dizer. Bjs"
isto é ele a tentar fazer uma surpresa. Sem eu lhe perguntar, sem nunca termos falado de nada de programa para Maio [as noites nos Bombeiros são agora mais habituais dado que a prevenção já começou], estou capaz de apostar na ida a um concerto, num local que desconfio.
Quando chegar a data tenho de fazer cara de surpreendida para não o ferir. Ele nunca conta com o meu sexto sentido. Ou a pulga atrás da orelha.

Fiquei bem surpreendida pela iniciativa. Até aplaudo!
Acho que a única situação em que não dipensam [anúncios] preliminares é mesmo nas surpresas.

Quando as coisas mudaram...

Imagem
Fonte

Lá por casa as nossas rotinas matinais mudaram há pouco mais de um mês; quase voltaram aos primeiros tempos de casados, com os dois juntos à mesa do pequeno-almoço. Uma parte do caminho para o trabalho é feita em conjunto, embora cada um no seu carro. Nunca tinha acontecido, mas tenho gostado disso. alivia a minha hora de condução solitária para o trabalho. Podemos ir falando ao telefone os dois, até que ele chegue ao trabalho. Eu faço o resto do meu percurso ao som da rádio.
Outrora, quando ele saía depois de mim, era difícil dar-lhe um recado para ele cumprir uma determinada tarefa. Apesar de me responder que sim, que tinha em atenção ao que eu lhe estava a dizer, que ia fazer, ao final do dia eu percebia que pouco adiantava dizer-lhe o que quer que fosse. estaria ainda a dormir acordado, com os sentidos nada despertos. Solucionou deixar-lhe recados escritos, pousados num local  bem visível.
Nestas recentes rotinas acho piada que, embora ainda não estando acordado em pleno, en…