Avançar para o conteúdo principal

Burro velho não aprende linguas

Velho ditado e bem verdadeiro.

Na primeira aula apercebi-me que somente eu partia mesmo da estaca zero. Senti-me logo em desvantagem. Repercutiu-se logo na segunda aula em que entrei insegura, e perdi o chão quando exigiram, sem condescendência, que eu fizesse perguntas e respostas sem consulta aos apontamentos. É certo que é um curso de verão, intensivo mas começo a sentir-me um animal que vai para um matadouro. começo a sentir-me desmotivada. supostamente estou ali para aprender.
As aulas são das 19 às 22h, todos os dias. Obviamente que o meu disco rígido, a essas horas, já tem grande parte da capacidade ocupada [ninguém tem culpa disso]. e eu já começo a sentir o peso da idade que tenho andado a ignorar. eu já não tenho a capacidade de absorver tanto como há uns anos atrás. Não conseguir arranjar mnemónicas para decorar sons e expressões também me está a atrofiar.
Mesmo estudando com todos os recursos informáticos que vou arranjando, sinto-me um bocadito burrinha nisto de aprender alemão. Ler é lindo! [nicht!] era suposto eu divertir-me com isto, acrescentar algo mais ao cv, arriscar em algo diferente. tirar pontos à minha auto-estima é que não. ninguém gosta de fazer figura de otário com público a assistir.
 
Espero não ser obrigada a desistir; eu sei que ninguém ter culpa de eu  apresentar muitas dificuldades, e ao reconhecer isso, fico ainda mais acanhada; mas creio que também não sou responsável por ter pessoas na turma já com conhecimentos de alemão.
 
Se alguém tiver dicas para aprender mais rápido, a caixa de comentários está à disposição e aqui a burrinha agradece.
 
Gute Natch!

Comentários

  1. Respostas
    1. Ângela,

      Não é mesmo nada fácil; aguardo o resultado do exame. Se for 1o, fico bem contente.

      Beijinho

      Eliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

das minhas fragilidades. tenho coisas para contar, mas hoje "roubo" palavras a outros

O momento de escrever o que Maio me trouxe e me levou, vai chegar. falarei sobre isso, quando me sentir com os pés mais perto da terra e menos de cabeça para baixo. Sem os dramatismos com que agora vejo os acontecimentos.Maio trouxe e levou. A minha vida continua um novelo com muitas pontas e poucos fins à vista. tenho de falar nisso. Porquê? porque preciso. só não sei por que ponta começar.

Enquanto as minhas palavras não saem, gostei das de outrem, que não hesitei em roubar, sem pedir licença, mas dando os devidos créditos.

Tantas palavras te disse hoje,
mas as mais frágeis reservo-as
para o dia em que te encontrar.[Deste blogue]