Avançar para o conteúdo principal

A escolha dos nomes

Quando começámos  a pensar em engravidar, tínhamos ideia nos nomes que havíamos de dar. Dois nomes que, na altura, eram muito pouco falados e dois ou três anos mais tarde passaram a estar na moda. 

Para nós, a escolha tinha significado. Não era mais um nome.

Quando o meu sobrinho nasceu, resolveram  dar-lhe o nome que nós tínhamos eleito desde sempre. Não fiquei aborrecida. Nada disso. Continuo a gostar muito do nome e ainda mais do meu menino pequenino que daqui a uns meses fará cinco anos.

Hoje é dia do Arcanjo Gabriel. Foi o Anjo que anunciou a Maria que ela ia ser Mãe. Acho que estar grávida é uma bênção. E quanto mais o tempo vai esgotando, mais vou achando isso. Mais ainda do que na altura em que pensámos no nome.

Gabriel continua a ser um dos meus nomes favoritos. Um que nunca porei a um filho.

Comentários

  1. Imagino o quanto pensas nisso Alice!

    Beijinhos e um abraço solidário

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Coisas que não me tocam,

      Obrigada pelo teu abraço. Felizes os que quiseram ter filhos e o conseguiram.

      beijnho

      Eliminar
  2. A sério?! Mesmo?!!!! Arrepiei-me e bateu uma alegria :D
    Os sonhos acontecem a quem os merece. Sempre acreditei que ias conseguir!
    Gabriel é um nome muito bonito. Eu adoro Rodrigo e é nome que nunca poderei pôr a um filho.
    Beijinhos :D (estou com um mega sorriso, pá, obrigada!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pandora,

      A propósito do teu comentário, percebi que as minhas palavras seriam dúbias.

      Gostaria muito de dizer que estou grávida, mas não. Pelo menos, não que eu saiba.

      Obrigada por continuares a acreditar. A esperança ainda vive cá . Talvez um dia destes a natureza deixe que me calhe este euromilhões.

      Beijinho e Desculpa por ter-te induzido em erro.

      Eliminar
  3. Não tens de pedir desculpa. A minha vontade de te ver fazer esse anúncio é grande ;)

    ResponderEliminar
  4. Ai Alice... tomara eu saber quais as palavras certas para te escrever.
    Pode não ser Gabriel, mas quero acreditar, e acredita que acredito, que darás um nome a um filho/a.

    Um abraço...

    ResponderEliminar
  5. Nunca se sabe. Se não for Gabriel, irá ser outro certamente. Que a esperança nunca morra e o teu desejo se concretize. Abraço :)

    ResponderEliminar
  6. A Natureza tem as suas coisas... E um dia quando menos esperares...
    Por vezes é assim, demora e depois acontece sem mais nem menos, aconteceu com a minha irmã!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Sou seguidora do seu blog à algum tempo e imagino o que será querer um filho e não o poder ter. Ainda sou jovem para ser mãe e não tenho qualquer estabilidade financeira para isso, mas acredito que quando esse dia chegar estarei a completar um grande sonho da minha vida.
    A única coisa que lhe posso desejar Alice é que não perca a esperança! A minha tia também não conseguia engravidar, passou anos a tentar e quando o médico lhe tirou a ideia da gravidez pois já tinha 42 anos e podia ser uma gravidez de risco para ambos (ela e bebé) e ela decidiu que já era tempo de deixar de acreditar, veio uma pequenina surpresa a este mundo.
    Mas não deixe o sonho de ser mãe de lado, existe um ditado inglês que diz algo do género: qualquer um pode ser pai, mas leva algo especial para ser papá. Acredite :)

    ResponderEliminar
  8. Alice ... vais conseguir ser mãe tenho a certeza ... um beijinho muito muito grande.

    ResponderEliminar
  9. A mim aconteceu-me algo parecido. Estavamos nós a tentar engravidar há já uns anos quando descobri que o meu sobrinho vinha a caminho. O nome que decidiram para ele era o nome que nós próprios teriamos escolhido para o nosso :) Um ano depois dele nascer descobrimos que esparavamos uma menina! O que quero dizer é que nunca sabemos o futuro e o teu está em aberto! Tem fé e acredita sempre <3 Beijinhos grandes

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

das minhas fragilidades. tenho coisas para contar, mas hoje "roubo" palavras a outros

O momento de escrever o que Maio me trouxe e me levou, vai chegar. falarei sobre isso, quando me sentir com os pés mais perto da terra e menos de cabeça para baixo. Sem os dramatismos com que agora vejo os acontecimentos.Maio trouxe e levou. A minha vida continua um novelo com muitas pontas e poucos fins à vista. tenho de falar nisso. Porquê? porque preciso. só não sei por que ponta começar.

Enquanto as minhas palavras não saem, gostei das de outrem, que não hesitei em roubar, sem pedir licença, mas dando os devidos créditos.

Tantas palavras te disse hoje,
mas as mais frágeis reservo-as
para o dia em que te encontrar.[Deste blogue]