sábado, 7 de março de 2015

ir morrendo


Talvez se morra mesmo de Amor. da falta dele.

5 comentários:

  1. :( acho que sobrevive-se sempre. Há amores que partem, outros que nascem. E é assim a vida. Acho que estás mesmo a precisar de quebrar a rotina com o teu amor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jardim,

      Ando muito sensível, de lágrima fácil, pior que manteiga em dias de 40ºC. O que acontece com os outros afecta-me. à mínima coisa fico completamente chorosa. Os livros e filmes de romances passaram, de repente, a ser consumidos em larga escala.

      Desde Janeiro que a coisa se tem agravado; houve algo que aconteceu no meu inconsciente que me fez ficar assim. Só me lembro de ser assim quando era adolescente.

      A vida fez-me ver as coisas tão pouco cor de rosa que passei a ser muito mais pragmática. Agora pareço uma adolescente outra vez... sinto-me como quando, estava apaixonada, na idade da adolescência. Até sinto formigueiro na barriga... ou acordou esta parte de mim que andava adormecida há muito tempo, ou as minhas hormonas andam mesmo parvinhas de todo...

      Boa semana para ti.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Gaja,

      É mesmo. A falta de amor fere e mata.

      Boa semana.

      Eliminar
  3. Morre-se sim... da ausência de amor, dos espaços em branco no coração que um dia se tornam no silêncio. Morre-se continuando a sorrir, a respirar, a funcionar... mas esta-se morto. E se houvesse uma certidão de óbito diria que a causa da morte foi DESAMOR.

    ResponderEliminar

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)