Mensagens

A mostrar mensagens de Novembro, 2015

Reiki - precisam-se de relatos

Alguma das pessoas que por aqui passa já teve alguma experiência com Reiki?

Conseguiu os propósitos que pretendiam? Vale a pena?

Contem-me tudo! :)

se os conselhos fossem bons, não se davam. vendiam-se.

As mulheres passam a vida a sonhar com roupas, sapatos e malas. Com bijuterias, maquilhagem e perfumes. Com telemóveis, ginásios caros e tratamentos de beleza de última geração. Tudo em bom. Tudo em caro Deixem que vos aconselhe - eu, que nada sou - comprem a vacina do colo do útero. Tenham a idade que tiverem, falem nisso ao vosso médico. Tomem-na. A vacina pode ser cara. Também aquelas coisas todas com que sonham e não deixam de comprar. Depois, é mais certo que possam vir a ter todas coisas com que sonharam.

Novembro parece fechar portas entreabertas. Escancará janelas?

É muito provável que esta semana venha a fechar um ciclo com praticamente 30 anos. Encerrar o passado. A parte que ainda hoje me deixa um amargo na boca. Talvez por isso nunca tenha sentido vontade de revivalismos.
Quanto ao futuro, estou cheia de medo. 

hei de lembrar-me sempre deste novembro, datas e acontecimentos,

Imagem
Porque a minha memoria não e apenas visual


o melhor de mim-Mariza Clássico - The Gift

tal como gosto de histórias de amor

Também gosto de declarações de amor feitas por homens [muito mais do que as que são feitas por mulheres], como esta, ou esta.
Talvez porque não seja tão habitual um homem expressar publicamente o seu amor, de uma forma tão clara e por palavras...



Crenças e mezinhas

A minha mãe acha que, quando não há medicina convencional que trate, pode ser que as mezinhas e rezas de algumas idosas mal também não façam. Felizmente fica-se por aí, e não se põe com aventuras de experimentar medicamentos milagrosos, embora seja adepta (estou contra a ideia) de beber chá de cacto Aloé.
Agora, na aldeia já há pouco quem saiba rezar o Responso a Santo António - para quando alguém perde alguma coisa;  curar do esbandalhado - quando alguém dá um mau jeito (está desarranjado) ou sofre de mau olhado; quebrar o quebranto, para libertar de males de inveja;  ou curar do aro  e doretorcido para mau jeito. Quando era miúda havia muito quem sabia de rezas para tudo. As pessoas foram morrendo e os mais novos nunca quiseram saber.
Hoje em dia, com tanta gente a consultar videntes, cartomantes e afins, e a acreditarem em tudo era capaz de ter dado jeito ter aprendido com os mais idosos.

A propósitos destas coisas posso contar uma história.
A três dias do casamento, o meu marido …

A cigana e a minha sina

A cigana apareceu do nada, enquanto eu colocava um novo ticket do parquímetro junto ao vidro frontal do carro.
Ela olhou para mim e disse-me.: Deus a abençoe.  Eu, pensando que ela me vinha vender pensos disse lhe: Não sei se Deus quer alguma coisa comigo... E não tenho dinheiro, escusa de pedir-me o que quer que seja!
Ela: saiba a menina que anda a correr médicos e hospitais mas lançaram-lhe a si e o seu marido, um mal de inveja. Eu fiquei a olhar a tentar perceber o que me estava a dizer ela e a que propósito. Ela volta a repetir e ainda disse: Foi um casal que lhes lançou esse mau olhado no dia do vosso casamento! Deixe ler-lhe as mãos que hei-de explicar lhe. Eu disse lhe que não. Que não queria que me lesse o futuro. Que era supersticiosa. Ela disse-me: Não lhe quero ler o futuro, só mostrar-lhe o que dizem as suas mãos. Provar-lhe o que disse do mau olhado. [Isso não me iria provar nada]. Sorriu-me, não de escárnio, mas de uma gentileza estranha. não sei... Voltei costas e a mul…

Impossível deixar em branco

Have a nice day.
Estava escrito na camisola do meu sobrinho quando o levei a andar de bicicleta, junto à praia, no domingo. 
Sim, ter um bonito dia era o lema. Mandar para longe as imagens que me incendiaram a retina. As notícias que surgiam a cada instante; o pesadelo que parecia não mais terminar - e acho que ainda está longe disso, quando as marcas ficarão para sempre. Felizmente não aconteceu nada aos familiares que temos e que habitualmente frequentam aqueles bares. Mas estavam no estádio... talvez tenha sido por pouco.
Que mundo é este que deixamos aos nossos filhos, sobrinhos, etc.? Que pessoas são estas que desprezam a vida e nos roubam a dos que amamos, dos inocentes? Que argumentos são estes os de evangelizar, ceifando vidas? 
Esta é uma nova forma da eterna loucura da conquista do mundo?

sonhos e euromilhões

Lembro-me de, na infância, preenchermos o boletim do totoloto em casa dos meus pais. Cada um ia sugerindo um número até o boletim ficar acordo com o orçamento que o meu pai tinha estipulado para aquele gasto. Lembro-me de sonhar com o que gostaria de ter, se um dia ganhássemos. As crianças são muito criativas e não se poupam a esforços nos sonhos. Quando crescemos, a maior parte de nós, perde esta capacidade de sonhar tão em grande. Quando o faz, normalmente é considerada um louco.
É certo que nunca nos calhou nada em sorte. Acho que o meu pai também se deixou de sonhar e gastar dinheiro no jogo.
Ao contrário da colega de quem falei no ultimo post, não entro em euforias com euromilhões e os seus muitos zeros do jackpot. Ela anuncia ao mundo e arredores que vai jogar no Euromilhões e que se calhasse fazia assim, e assado e cozido. Na segunda, lá vem cabisbaixa pois o tão afamado jackpot não lhe bateu à porta. Digamos que as suas conversas de sexta andam muito à volta disto e que não p…

Coisas#8

Ontem foi dia de, finalmente, pedir ao chefe/patrão, duas semanas de férias. Andei a fazer planos antes de lhas pedir e também fui adiando o pedido porque nisto de pedir seja o que for sou uma nulidade. Incomoda-me depender de outros e isso é também uma das coisas que ultimamente me tem arrasado. Sei que posso contar pouco com a colega que me tenta substituir nas minhas poucas faltas/férias. Arranja argumento para me telefonar por tudo e um par de botas, mesmo que eu nunca lhe interrompa as férias dela, ou lhe tenha deixado instruções específicas, e por escrito, sobre o que fazer em potenciais situações que possam acontecer. Fica aborrecida quando peço um dia de férias, porque não me justifico porque pretendo faltar -tens muito a ver com isso, tu!. Quando resolve faltar em cima da hora [a maior parte das vezes]. trabalhar é lixado! e andar a 120km/h  durante 12h de trabalho, contra quem está habituado a andar todos os dias a 40, é assustador... mas é a vida!, não se inibe de arranjar…

coisas#7

Custa-me admitir - e e isso que me tem esgotado ainda mais- que estou sem planos para a vida. Isso assusta-me e deixa-me emocionalmente instável.

coisas#6

Gosto de histórias de amor...

[mesmo que toda a gente diga que o romantismo esteja fora de moda, mesmo que nunca possam sair do papel]

garrafas de água ecológicas

Ando à procura de uma garrafa onde possa levar água para todo o lado.  Quero evitar as garrafas habituais em PET ou aqueles que agora vendem em grandes superfícies, que mais parecem biberões.
Queria algo durável e que não botasse sabor nem cheiro na água.Já agora bonitinhas [design apelativo] para me incentivar a beber água.

coisas#5

Na maior parte das vezes - para não dizer sempre- acho que a maioria das pessoas são incapazes de guardar um segredo ou alguma informação que, não sendo segredo, não lhes pertence.
Por isso é que tenho imensa dificuldade em falar sobre as minhas preocupações, medos e sonhos com a maioria das pessoas. Mesmo as que conheço há anos.
Não é uma questão de confiança; é uma questão de julgamento.

motivação

Apesar de poder usufruir de muitas das tecnologias de última geração, continuo a gostar de ter uma agenda em papel. A de 2016 já está comprada e pronta a usar.
Quando encontro algo que possa valer para todo um ano, costumo escrevê-la na primeira página da agenda.
Este ano, já encontrei a frase que figurará na minha agenda. Esta aqui:
O truque é não fazer muitos planos, saber que a vida manda muito mais do que nós. É manter por perto as certezas que um dia nos fizeram começar por aqui e apenas levar no lado de dentro as coisas e as pessoas-bençâo que nos enchem a alma e a vida. O truque é aprender a ser impermeável a dias sombrios, a pessoas tóxicas, a energias negativas, a tudo o que não acrescenta nada. É repetir como mantra que o tempo traz sempre consigo a verdade de todas as coisas e que ter quem goste de nós, quem nos dê um abraço que ampara e alivia o peso do mundo, é tudo o que faz a vida valer {muito} a pena.
Porque todos os dias vou precisando de pequenos empurrões para faze…

adeptos das selfies

Há relatos de grandes romarias aos cemitérios. Nas aldeias as pessoas abalroam-se com braçadas de flores mais ou menos organizadas. Trazem a família atrás com as mãos ocupadas com arranjos e velas - e demonstram esperançosos - que tenham as flores mais bonitas, o arranjo maior, a vela mais duradoura de todos a morada eterna dos que já partiram, e que apenas parecem ser lembrados nesta data.
Depois das selfies nos sítios mais improváveis, e pouco menos mórbidos, não me surpreendo nada que muita desta massa migratória aos cemitérios tire selfies junto dos que já partiram a mostrar "a minha galinha" é maior e melhor que a da vizinha. 
O desejo de ser mais e de estar na berra, por tudo e por um par de botas leva-me a crer que vá haver disto. Oxalá me engane.

Coisas# 4.1

Ainda a propósito do posto anterior - e não apenas por isso - fiquei a ter noção de uma coisa que, possivelmente ainda não tinha pensado. Ou em tempos pensei, por o meu marido - sendo bombeiro - ter ajudado a fazer um parto.

Tenho a noção que o meu "à vontade" entre médicos, enfermeiros e restante pessoal de saúde leva-me a vê-los apenas com a singularidade de serem aqueles em quem confiamos para nos tratar de saúde. Se assim não fosse, teria vergonha como tenho se fosse não uma pessoa do ramo. São pessoas em que confio e que, à partida, nunca nos farão mal. Não vou entrar em questões de negligência e similares, se não ninguém ia ao médico ou recorria a qualquer profissional de saúde.

Sei que as pessoas da saúde têm que ser quase inertes às dores dos outros. Nem sempre são bem interpretados pelas palavras ou o tom de voz que usam para usar determinada notícias. Quando o nosso coração chora, há palavras que filtramos da pior maneira possível e temos tendência a infligir nos o…