Avançar para o conteúdo principal

começar bem

A lareira está acesa mas mortiça; não apetece a nenhum dos dois levantar dos respetivos sofás para dar um jeito à lenha, para animar a chama. Ele partilha do meu gosto por chá, e por isso estamos os dois com uma chávena na mão. A chuva cai lá fora. Não veio em Dezembro, chega agora de mansinho. Pelo menos, por aqui.
Amanhã já é dia de trabalho para os dois. A ver se começamos bem o ano.
Ele começou a testar a sua resolução de ano novo ainda no ano velho, quando eu estava a findar o tratamento de fertilidade. Não promete deixar de fumar, mas parece estar a reduzir no número e no tipo de tabaco [diz que o que fuma agora é mais fraquinho]. A última vez que tentara deixar de fumar fora poucas semanas antes de saber da doença letal da mãe. A mesma doença que o fez voltar a fumar. Quase sete anos passados e sempre a adiar a decisão de deixar. Talvez seja agora.
Sei que passou muito mal nas ultimas semanas dado o desfecho do tratamento e a preocupação com a minha saúde. Desta vez, não teve uma recaída. Acho que tudo isto o tem tornado mais forte. Mas quase lhe matou a crença, a fé.
Quanto as minhas resoluções, com a companhia dele, hoje foi dia de por em prática a primeira: relaxar e tentar diminuir a ansiedade.
O mau tempo poderia ter sido motivo para continuarmos em casa. Mas preparámos tudo e rumámos  à Nazaré - gosto tanto!- foram setenta minutos de puro relaxamento no spa de água do mar, com vista para o mar (a um preço bem jeitoso, acho eu). Soube maravilhosamente bem. Estou um bocadinho partida mas, pelo menos, não estou com neura de amanhã ter voltar ao trabalho. Ao velho, porque ainda não tive resposta aos anúncios de emprego que respondi.
Hei-de voltar ainda este mês ao spa. O que nos faz bem é para repetir.
Bom regresso às rotinas.
 
 

Comentários

  1. Um optimo começo portanto :) Bom regresso ás rotinas

    ResponderEliminar
  2. Gostava de estar assim sem neura. Depois de 15 dias de férias vou voltar ao meu detestável trabalho...mas pronto, tem que ser.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

balões de oxigénio precisam-se...

Tenho andado longe daqui e de outros locais virtuais que, habitualmente apreciava ler. Os emails acumulam-se neste endereço que associei ao blog. Tem havido pouco tempo, pouca vontade e uma energia há muito no vermelho. Não e por desinteresse que tenho estado longe, e por desequilíbrio mental. Querer escrever aqui ou numa caixa de comentários tem se tornado uma tarefa quase hercúlea. Escrever sempre um prazer para mim, mas tenho-me sentido incapaz de o fazer nos últimos tempos. Tenho aceitado com alguma ansiedade os muitos acontecimentos que se vão sucedendo, mais desde Abril- outro Abril que se verificou agourento. Tenho muitas coisas pendentes neste momento que apenas requerem tempo- e Paciência - para que possam resolver-se. Apesar de tudo e cada vez mais, acredito - embora nem sempre aceite, em primeira instancia- nada acontece por acaso. Embora almejasse deste o início do ano por umas boas e retemperadoras férias, não foi a possibilidade de um ultimo tratamento que as veio por …