Avançar para o conteúdo principal

A César o que é de César...

Há homens que se preocupam mais com a equidade entre ambos os sexos do que as mulheres.

Bastará falar nos vários casos de mulheres a quem ouvi relatar que necessitaram de cuidados médicos para conseguirem engravidar e que tiveram de colocar baixa médica; viram-se privadas do direito de poder faltar ao trabalho de forma justificada, sendo ameaçadas com a perda de emprego. E pasmem-se: foram [em alguns casos] ameaçadas por mulheres que passaram pelo mesmo, e outras não tendo passado, mas sendo mães, se recusam a não ser força de bloqueio.

Por outro lado, ouvi mulheres contarem que tendo os seus superiores homens sido postos a par da mesma situação, se prestaram a compreender e se preocuparam, perguntando se tudo ia correndo bem.
Acho que o dia deve ser comemorado em memória das que se sacrificaram, fazendo nascer este dia. Não deve ser usado pelas mulheres como o baluarte da equidade enquanto continuarmos a ser umas grandes sacanas para as nossas semelhantes.
A diferença começa em nós. Perdemos toda a razão para reivindicarmos coisas em favor da igualdade, quando somos as primeiras a criar a iniquidade entre mulheres.

Se com este meu post estou a ser contra as mulheres? Estou a ser contra incoerências  e injustiças.

Comentários

  1. Alice, há pouco tempo recebi uma chamada da escola do meu filho para o ir buscar porque ele estava com febre. a minha coordenadora que até presenciou o telefonema, mãe de dois filhos, a primeira coisa que me disse foi: mas não vais por atestado pois não? algo que nunca ouvi do meu antigo chefe homem que sempre se mostrou mais compreensivo. concordo contigo às vezes nós somos as nossas principais inimigas. beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Luna Piena,

      Mais um exemplo na primeira pessoa.

      Acho ridículo que, quem anda por aí a falar no dia da Mulher, consiga infringir as regras básicas da sua espécie...

      Bem sei que eu sou demasiado fiel aquele "mandamento": Não faças ao outro o que não gostarias que te fizessem a ti, contudo, acho que as pessoas têm que se por um bocadinho no lugar do outro, e se dizemos que ser mulher é tão difícil e tem tantas condicionantes que não são postas aos homens, então não arranjem ainda mais senãos...

      beijinho (e obrigada pelo teu testemunho)

      Eliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

nada que consiga com palavras simples

A ideia de sair do emprego não era nova. Era uma ideia adiada. Viver agarrada à ideia que precisava do emprego para concretizar sonho(s) era só forma de me ancorar ao certo, ao fácil, ao controle, caso algo corresse mal. Afinal, ter um filho a quem se pensaria dar tudo era, para mim, condição suficiente e necessária, para manter o sustento sem solavancos nem travagens bruscas.
Já há demasiadas coisas simples a subtraírem minutos ao meu sono todos os dias. Se pensava em trazer alguém ao mundo então tudo deveria ser bem calculado, medido, pensado ao mais ínfimo pormenor. Preocupei-me demasiado em aconchegar um sonho em camas de algodão fofo e sedoso, que tudo o resto foi descuidado. Os outros [sonhos] foram sendo descuidados, apagados da memória, subnutridos até serem deixados morrer por incúria de mim mesma. Esta semana comecei a enviar CV e até tive uma proposta de entrevista no mesmo dia. Retraio-me em candidatar-me a umas quantas coisas, em dar conhecimento a conhecidos do meio so…

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)