Avançar para o conteúdo principal

A moda, a reencarnação e a ida à Lua

Até há pouco tempo acreditava que o Homem já foi à Lua. Agora começo a ter sérias dúvidas. Começo a aperceber-me que o Homem é habilidoso o suficiente para criar algumas manobras de diversão verdadeiramente fantásticas. Porque não voltou o Homem à Lua?

Se acreditarmos que já pisámos - salvo seja - a Lua, será que também podemos acreditar em fenómenos mais espirituais como a reencarnação?

Se me perguntarem, se acredito em reencarnação, eu digo que não sei... não consigo ver nada que me prove que isso seja fenómeno que possa acontecer (tirando a  Lei de Lavoisier, que é um bocadinho vaga), mas também ninguém consegue provar o contrário.
Mas vou fazer um jogo de faz de conta, como pode ter sido a Viagem à Lua... se a reencarnação fosse possível, eu apostaria que já teria vivido nos loucos anos 20, teria tido uma vida curta para depois voltar a nascer nos anos 50.

E por que digo eu isto? Não sou nada entendida em moda mas sou completamente fã - derretida mesmo - pelas roupas de ambas as épocas.  Mais dos anos 50 do que dos anos 20. Acho as roupas deslumbrantes. 

Gosto imenso de pintas [como o meu header, muito rockabilly style] ou aqueles vestidos rodados e cintados, muito, muito femininos. Um estrondo, eu diria... os anos 50 são cheios de  glamour. Aposto que, nessa altura, muitos homens não viram a Lua, mas ficaram a ver as estrelas passar. Acho que os Anos 50 são os anos das grandes divas e dos vestidos mais maravilhosos de todo o sempre.

[via Pinterest ; e eu, nem gosto de amarelo]

Comentários

  1. Também gosto. Aquele ar de pin up atrevida, sensual.
    E sabes o que é curioso? Na anterior escola de dança onde andei, uma das coreografias que fiz num espetáculo foi de charleston, com vestido de franjinhas, pérolas e penacho na cabeça, e no ano seguinte fui de pin up girl. Ah ah ah

    No meu caso, acho que terei vivido nos anos 70. Há algo de hippie e boho em mim. :p

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

balões de oxigénio precisam-se...

Tenho andado longe daqui e de outros locais virtuais que, habitualmente apreciava ler. Os emails acumulam-se neste endereço que associei ao blog. Tem havido pouco tempo, pouca vontade e uma energia há muito no vermelho. Não e por desinteresse que tenho estado longe, e por desequilíbrio mental. Querer escrever aqui ou numa caixa de comentários tem se tornado uma tarefa quase hercúlea. Escrever sempre um prazer para mim, mas tenho-me sentido incapaz de o fazer nos últimos tempos. Tenho aceitado com alguma ansiedade os muitos acontecimentos que se vão sucedendo, mais desde Abril- outro Abril que se verificou agourento. Tenho muitas coisas pendentes neste momento que apenas requerem tempo- e Paciência - para que possam resolver-se. Apesar de tudo e cada vez mais, acredito - embora nem sempre aceite, em primeira instancia- nada acontece por acaso. Embora almejasse deste o início do ano por umas boas e retemperadoras férias, não foi a possibilidade de um ultimo tratamento que as veio por …