Avançar para o conteúdo principal

Se algum dia me convidarem...

Sou uma rapariga provinciana. Não sou florzinha de estufa. Reconheço que os citadinos, na sua grande maioria, apreciam dos ares do campo. Eu não o deixo de fazer lá porque cresci no campo.
Mas não sou adepta de passar noites ao relento, a dormir no chão, dentro de uma tenda, tomar o pequeno almoço ao ar livre, em púcaros de metal aquecidos em fogueirinhas improvisadas. 
É uma ideia que não me traz repulsa mas também não me seduz.
Gosto de conforto. Gosto de lençóis macios, limpos e bem cheirosos; de água quente e toalhas felpudas e imaculadamente limpas  de pequenos almoços faustosos, quentes e, de preferência sentada a uma mesa bonita, com talheres e pratos bonitos.
Gosto muito de pic-nics  mas quanto a outras necessidades básicas, como dormir e tomar banho, não prescindo de todo o conforto que possa ter. 
Se alguém me convidar para acampar, nem sequer terei dúvida na resposta. 
Nem é crime nem snobismo gostar destas pequenas coisas boas, fora de casa.

Este post deu-me agora a ideia que posso vir a gostar de fazer um pic-nic, num sitio bonito, lá por altura do meu aniversário. Se o provérbio de Abril, não se cumprir... Poderá ser uma boa altura para ir conhecer o Castelo de Almourol ou ir até Regengos de Monsaraz.


Comentários

  1. Ah como te percebo! Campismo só se for numa roulotte.
    Pic-nics gosto, caminhadas na natureza, sentar-me à sombra de uma árvore junto a um rio. Agora no fim do dia um banho quente e uma cama confortável.
    Reguengos de Monsaraz é lindo! Sou suspeita que já lá fui várias vezes e volto sempre, mas sim, é lindo e acho que ia ser um aniversário memorável.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pandora,

      Campismo, acho que nem numa roulotte! :) :)

      Eu sou uma ferrenha do conforto e das coisas bonitas. Juntar as duas, é lavar um bocadinho a alma.

      Isto de Reguengos é ainda a pensar, até porque o tempo está tão incerto..


      Mesmo que não consiga ir a Reguengos, já está programado um local pelo qual estou apaixonada. Desse não escaparei. E não vejo a hora de chegar. Para comemorar pelo ano passado e por este ano.

      beijinho

      Eliminar
  2. O que eu me ri com o post. Eu gostava de acampar, acho que ainda gosto porque a última vez que acampei foi à muito tempo e gostava de um dia experimentar com os miúdos :).

    beijinhos Alice

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Luna Piena,

      Ai, tu ris-te? :) :)

      Acampar não é para mim. Sou mesmo fã do conforto e da boa vida- mesmo que raramente a goze.

      sair de casa para usufruir de tudo o que tenho direito é dar-me a um mimo que eu raramente consigo estar quieta.

      Quando saio de casa para ir passar fora, que seja para que me mimem muito, já que passo o tempo a cuidar dos outros.

      Fica a ideia para ires com os teus filhotes. Os miúdos gostam dessas coisas.

      Beijoca

      Eliminar
  3. Prefiro o conforto sem duvida mas adoro acampar e todos os anos o faço num fim de semana de verão. Gosto de aventuras :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gaja Maria,

      Logo após publicar este post, lembrei-me dessa tua semana que já falaste. Ponderei se, nas condições que habitualmente vocês criam nessa semana, eu suportaria prescindir do conforto. Hum... acho que não.

      Eliminar
  4. Agora podes juntar o melhor de dois mundos. Já pesquisaste o conceito de 'glamping'?

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

nada que consiga com palavras simples

A ideia de sair do emprego não era nova. Era uma ideia adiada. Viver agarrada à ideia que precisava do emprego para concretizar sonho(s) era só forma de me ancorar ao certo, ao fácil, ao controle, caso algo corresse mal. Afinal, ter um filho a quem se pensaria dar tudo era, para mim, condição suficiente e necessária, para manter o sustento sem solavancos nem travagens bruscas.
Já há demasiadas coisas simples a subtraírem minutos ao meu sono todos os dias. Se pensava em trazer alguém ao mundo então tudo deveria ser bem calculado, medido, pensado ao mais ínfimo pormenor. Preocupei-me demasiado em aconchegar um sonho em camas de algodão fofo e sedoso, que tudo o resto foi descuidado. Os outros [sonhos] foram sendo descuidados, apagados da memória, subnutridos até serem deixados morrer por incúria de mim mesma. Esta semana comecei a enviar CV e até tive uma proposta de entrevista no mesmo dia. Retraio-me em candidatar-me a umas quantas coisas, em dar conhecimento a conhecidos do meio so…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)