Avançar para o conteúdo principal

ir embora de mansinho

Acho que já vos disse que, numa outra fase da minha vida, tive um blogue com um registo um bocadinho mais reservado do que este. Desse para este, foram poucas as pessoas que me acompanharam. Foi como se começasse uma vida nova, numa outra morada. A minha vida não era fictícia, tal como continua agora a não ser. Foi um ciclo que fechei, que meteu doenças e mortes, desencontros e separações, e um amor que podia não ter sobrevivido não fosse ele mais forte que tudo isso. Foi um ciclo longo da minha vida que quase me levou a loucura, e enlouqueceu de dor quem acabara de perder alguém.
Este blogue, o Sítio, acabou por desvendar o outro lado mais relacionado com a maternidade, das aventuras daquela que tem sido a minha jornada de infertilidade.
Podem não acreditar, mas ate há pouco tempo atras era-me mais difícil ler sobre a infertilidade dos outros do que viver a minha própria. Via nos outros uma revolta que eu não tinha. O caminho ia-se fazendo, caminhando. Acho que, com isso, conseguem perceber que sofro bastante com a infelicidade dos outros. quando se trata de mim, julgo que me podia acontecer ainda pior... tenho relativizado, ate ao dia que descobri , ou melhor, fui informada que, ainda  não sabendo o que me impede de engravidar, sofro de um problema torna a gravidez num processo não evolutivo. Soube disto em Setembro. Um dia antes, soubemos da noticia que , ao fim de seis meses, ele iria submeter se a tão desejada cirurgia. o problema que me ocupou a mente, foi finalmente resolvido. Distraiu-me do meu. O dele nada tem a ver com fertilidade. Felizmente esta a recuperar bem. Em dois dias de Setembro, curiosamente, um deles coincidiu com o aniversário dele, este ciclo começou a fechar-se.
E porque conto tudo isto?
Porque me parece que este meu ciclo de vida esta prestes a encerrar.
Gostaria de um dia, ainda chegar aqui e dar a boa nova a quem realmente me acompanha e torce verdadeiramente pela concretização do sonho. E certo que o ciclo da minha vida ainda não se fechou totalmente, e quando se fechar, não vou fechar este blogue e abrir o outro. Não creio que isso torne a fazer sentido.
E natural que, um dia, eu me tenha ido embora, sem deixar outra morada. Ainda me prendem aqui algumas pessoas, mas findo um ciclo e natural que não nos reencontremos por aqui. 
Obrigada  aos que se importam, aos que retornam todos os dias em busca de esperança para si também, aos que vêm porque sim. Obrigada Por me acompanharem neste ciclo de vida. Irei embora devagarinho. De mansinho.

Comentários

  1. Respostas
    1. Maria do Mundo,

      Há um tempo para tudo... este blogue estava a ficar cada vez mais pobre.

      Obrigada e felicidades para ti.

      Fica o meu endereço se algum dia te puder ser útil:ositiodascoisas@gmail.com

      Eliminar
  2. Olá Alice

    Já tento escrever-te há imenso tempo, mas não sei porquê nunca consegui enviar os comentários, dava se,ore erro. Vou tentar mais uma vez para ver se é desta.
    Não sei que diagnóstico te deram, não sei se se trata de trombofilias ou não, mas se quiseres podes escrever-me falamos, porque também estou na luta.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Daniela,

      Não consigo rer acesso ao teu endereço de email. Se me quiseres escrever e: ositiodascoisas@gmail.com

      Obrigada e beijinhos

      Eliminar
  3. Alice, vou ter saudades. Vou te escrevendo se não te importares. Um beijinho

    ResponderEliminar
  4. Alice, continuo daqui deste lado do ecrã à espera de notícias. De coisas sobre ti e sobre a tua demanda, seja ela qual for... Não senti que fosso já uma despedida. Não creio que te vás assim. Vem, sempre que quiseres! A tua falta será sentida!!! Beijinhos grandes!

    ResponderEliminar
  5. Sou uma das privilegiadas que te acompanharam do outro blog para este. Fases diferentes de vida, textos diferentes, mas a alma de quem os escrevia estava lá, sempre presente. Ainda que custe esta tua despedida dos blogs, guardo o teu contacto de email, no propósito de retomar o contacto privado que já tivemos e esmoreceu um pouco, afinal, encontrávamo-nos sempre por aqui. E deixo-te partir deste blog, porque assim é a tua vontade, é o que faz sentido para ti. Ao blog agradeço ter-me cruzado contigo. A ti, alimento a esperança de um dia poder dar-te aquele abraço há tanto prometido.
    Um grande beijinho e, do fundo do coração, desejo que, mesmo com tantas provações que a vida te faz passar, não percas a tua doçura, a tua capacidade de sonhar, a tua força.

    ResponderEliminar
  6. Alice, tenho muita pena que vás. O fecho de um ciclo não impede que continues por aqui mas só tu é que podes saber isso não é? Desejo tudo de bom para ti e vamos-nos escrevendo ok?
    Beijinho Grande

    ResponderEliminar
  7. Eu própria me perdi de ti, mas não esqueço o quão importante estes momentos foram e continuarão sempre a ser. Torço para cá voltar um dia e descobrir com um sorriso o próximo capítulo desta história. Sê feliz :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Tens alguma coisa para dizer? Obrigada por partilhares! ;)

Mensagens populares deste blogue

Jardim de Chuva Prateada

hoje em dia, as pessoas têm muitos amigos no facebook. é onde têm mais amigos. Se,de repente, essa pessoa deixar de colocar posts ou likes, não mostrar as suas selfies, os amigos vão preocupar-se com isso? se calhar não. acho que impera por lá a inveja, não a preocupação... Acho que os blogues são bem mais que isso. As pessoas não são sempre felizes; quando querem, mostram a vida que realmente vivem. E, às vezes, a amizade nasce, quando nos identificamos com essa pessoa. [Bem sei que há por aí gente com mais imaginação do que vida própria.] Há cerca de dois anos, uma pessoa frequente no meu blogue, deixou de escrever no blogue dela e nunca respondeu a emails que varias pessoas "chegadas" lhe haviam enviado, inclusive eu. tinha-me deixado um apelo no seu blogue, a que depois respondi e nunca mais tive resposta. ainda hoje tenho o seu blogue na minha de lista de leituras, para o caso dela voltar. mantenho a esperança que nada tenha acontecido. Agora volto a preocupar-me com a…

ironias

O meu marido conseguiu saber/sentir primeiro que eu o que e uma epidural...
(ouvimos sempre falar de epidural aquando dos partos mas afinal, não serve apenas nesses casos)

balões de oxigénio precisam-se...

Tenho andado longe daqui e de outros locais virtuais que, habitualmente apreciava ler. Os emails acumulam-se neste endereço que associei ao blog. Tem havido pouco tempo, pouca vontade e uma energia há muito no vermelho. Não e por desinteresse que tenho estado longe, e por desequilíbrio mental. Querer escrever aqui ou numa caixa de comentários tem se tornado uma tarefa quase hercúlea. Escrever sempre um prazer para mim, mas tenho-me sentido incapaz de o fazer nos últimos tempos. Tenho aceitado com alguma ansiedade os muitos acontecimentos que se vão sucedendo, mais desde Abril- outro Abril que se verificou agourento. Tenho muitas coisas pendentes neste momento que apenas requerem tempo- e Paciência - para que possam resolver-se. Apesar de tudo e cada vez mais, acredito - embora nem sempre aceite, em primeira instancia- nada acontece por acaso. Embora almejasse deste o início do ano por umas boas e retemperadoras férias, não foi a possibilidade de um ultimo tratamento que as veio por …