Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2019

Tenho uma stalker

Há  cerca de quatro anos que tenho uma colega "ajudante"de trabalho. Nem eu nem ela temos os melhores feitios do mundo. Sei que sou muito exigente e cheia de preciosismos. Ensinei-lhe tudo o que sei, anos de experiência acumulada. Mas uma coisa é ensinar, outra é querer aprender. Em termos técnicos ela é medíocre, porque vem da área das línguas e engenharia é coisa que pouco ou nada lhe interessa. À partida, o que não  acontece sempre,  se lhe derem uma receita ela consegue-a cumprir, mas é incapaz de distinguir dois materiais, ou fazer sua substituição por algo similar. Não tem estes atributos, dá-lhe muito trabalho adquiri-los, e simplesmente não está para se chatear. Ao fim deste tempo todo, acha que já  acumulou tempo de casa para se acomodar, com o seu nariz empinado, dificilmente aceita sugestões ou críticas  construtivas. Porém, tem uma mania que me deixa arrepiada.
O certo é que, não aceitando ouvir a voz da experiência, também me ignorasse noutros aspectos. Só que …

O tempo passa depressa...

Hoje faz 23 anos que ele me pediu namoro...

Nem sempre isto tem sido um jardim de rosas. Já passamos por algumas situações que não  desejo a nenhum casal. A infertilidade não nos matou mas deixou-nos debilitados. A doença  e a morte da mãe dele também não nos trouxe bons momentos. Todos os verões e um suplício com o combate aos incendios e ele em campo. E outras coisas mais.

Continuamos juntos porque temos sido mais fortes do que qualquer mau acontecimento. E isso é que importa.

Está aqui uma casa bem governada...

Segundo o médico, a recuperação do nariz está a ser excelente. Menos mal. Mas ha os exames que a médica de família mandou fazer que  me deixam nervosa. Hoje ando a monitorizar a pressao arterial durante 24h, e cada vez que o sinto o aparelho encher, o coração parece querer saltar de nervosismo .

Já o homem cá de está com uma constipaçãozita, mas apregoa que está com os pés virados pra cova. Lamenta-se, lamenta-se...

Esta tarde vou ter de sair por algum tempo de casa. Dou os dedos  todos das mãos, ou ate mesmo os rins, como diz a Joana, em  como ele vai dar um pulinho aos bombeiros, só para ver como pára a moda... aposto que nao ha constipação que o demova...

O que as mulheres têm que aturar. Tanta paciência que é preciso ter.


( e não me enganei.... o vício dos bombeiros é superior a qualquer constipação de homem)

o sofrimento da auto-avaliação

"Não são as coisas que acontecem connosco que nos fazem sofrer, mas o que nós dizemos a nós mesmos sobre essas coisas”.                                                                                                              (Epíteto)
Sempre tive dificuldade em socializar com as pessoas de uma forma geral, porque nem sempre sei, exactamente, quais são as regras comportamentais.
Nunca tive muitos amigos, sou muito selectiva nas pessoas com quem me dou e a quem faço confidências. Poucos mas confidências porque a maior parte das vezes não partilho nada sobre a minha vida. Isto não é arrogância, é a minha incapacidade de saber interagir. Da mesma forma, não costumo meter-me na vida pessoal de ninguém, não faço perguntas sobre a vida pessoal delas, ouço quando me procuram para confidências e só manifesto o meu conselho se a pessoa mo pedir. 
Assumo que não sou uma mulher bonita nem nunca serei, e considero que essa consciencialização me poderá ter criado, desde sempre, barreiras para…

Diário da gratidão | 17.01.2019

Estes dias têm sido atribulados por causa de andar sempre a caminhar para o hospital por causa do dedo. As reflexões que tenho feito não têm sido muitas por causa das contrariedades que tenho sofrido para tentar resolver isto. mas o optimismo continua a reinar.
Porém, hoje, agora, acabo de ler isto nos destaques do Sapo:
seremos sempre quatro
e é impossível não embaciar os olhos com lágrimas.
Estou tão grata por ter comigo as pessoas que me são mais queridas. Por lhes poder dizer boa noite, dorme bem. Ou, olá como estás e como estão os meninos? 
Posso vê-los, senti-los, abraçá-los, beijá-los, contemplá-los. Vê-los crescer. Ou ouvir a voz a relatar os acontecimentos do dia, ou o cabecear de sono por causa do cansaço.
Estou grata, tão grata pelas minhas pessoas. As que amo profundamente, as que a fazem parte da minha alegria, do meu orgulho, daquilo que sou, da minha essência.

Diário da gratidão | 15.01.2019

O final do dia de ontem teve uma série de acontecimentos que, acredito, só acontece a pessoas mais propensas a coisas surreais. Por isso, este post fica registado no dia de ontem.
Enquanto esperava a nova vistoria ao nariz para ver a recuperação da cirurgia, estava uma miúda, com a sua mãe, que se queixava muito de dores de ouvidos. Tive muita pena dela. Ainda tentei encetar conversa para a distrair [ e ela até correspondeu] mas, de vez em quando, saía um: Ai mãe, dói muito.
Dei por mim a pensar que, apesar de sempre ter tido problemas do foro respiratório, nunca padeci de dores de ouvidos insuportáveis.
E enquanto continuava a aguardar fui pensando o quanto me sinto verdadeiramente feliz por ter tomado a decisão de fazer a intervenção cirúrgica. Foi mesmo a melhor decisão que tomei nos últimos anos.
Esta felicidade é mesmo sentida; senti a mesma felicidade de quando me envolvem num abraço quente, seguro, reconfortante. Como se flutuasse. não sei explicar…
Pareço uma miúda a quem deram u…

Diário da gratidão | 14.01.2019

Estou grata por ter tido um regresso tranquilo ao trabalho. Normalmente costuma ser atribulado.

Que diabo se passa?!

Só agora, ao chegar a casa, pude dar uma espreitadela ao blogue.
Das duas, uma: ou o blogger se passou a contar visitas ou há sites manhosos a direccionarem visitas para aqui.
Deve ser mais a segunda opção... como é que eu evito isto? Alguém sabe?

Diario da gratidão | 12.01.2019

Estou grata por poder voltar ao trabalho na próxima segunda, depois de 20 dias em casa, de baixa médica.

Há quem "snife" coca...

Eu "snifo" Bepanthene...
[ a segunda bisnaga de 100 ml em três semanas]

Hoje...

O meu "complicometro" anda com vontade de se tornar a ligar. Não consigo perceber o que despoleta isto...


Diário de gratidão | 11.01.2019

Estou grata por ter um irmão e uma cunhada que fazem gosto em que eu esteja muito presente na vida dos filhos deles.

Chamem-me totó...

Quando comecei nisto dos blogues, a maior parte das pessoas nem sequer sabia o que era um blogue; nem quem andava nestas andanças sabia se devia escrever "blogue" ou "blog". Por isso, depois do que eu irei dizer, nao me digam que eu sou pouco dada a modernices. Não sou. Só ha coisas que não encaixam na minha maneira de ser. 
Continuo sem ter Facebook. É uma opção minha que espanta muita gente. Aconselho quem se espanta, a fechar a boca, ou entrará mosca... Por estar envolvida num grupo de trabalho que toda a gente tem Facebook, recebia sms para me porem a par do que discutiam no messenger do FB. Uma amiga, um dia destes, disse-me que já podia instalar a aplicação sem ter FB. Lá  pesquisei e instalei. O certo é que houve logo quem desse comigo e me tivesse adicionado. Porém, continuo a nao ser fã destes tipo de aplicativos tal como deixei de ser do chat do gmail.  Tem sido bom para me  manter a par do andamento das coisas no grupo de trabalho todavia, a maior parte…

Uma coisa de cada vez

Desde pequena sempre convivi com o problema respiratório que tentei agora resolver com a cirurgia. Claro que houve aqui coisas que, com o tempo, se foram complicando... Agora com um nariz praticamente novo, e com o mote de haver um novo ano, para virar definitivamente a página em alguns capítulos da vida, tenho andado a fazer algumas pesquisas sobre alimentação. Já li há algum tempo, que os lacticínios têm uma influência negativa e poderosa sobre os problemas respiratórios. Para quem o pequeno-almoço é a refeição mais importante, tirar o leite, o queijo e a manteiguinha, com o belo do pão, é quase arrancar-me a alma. Portanto isto tem sido uma odisseia, procurar novas alternativas ao pequeno almoço convencional. Para a semana já  devo começar a trabalhar. Como me levanto muito cedo, quero antecipar a programação  dos pequenos-almocos. não quero retroceder na decisão de mudar a alimentação matinal. Janeiro está dedicado aos pequenos-almocos. Há os que são contra e a favor do leite de …

Diário da gratidão | 10. 01.2019

Estou grata por ter pessoas que verdadeiramente se preocupam e acarinham.

Imprevistos do final do ano

Com a cirurgia marcada para o dia logo a seguir ao Natal, comecei a fazer os preparativos no início de Dezembro, para o internamento e para a baixa que já estava decidida pelo médico, que tinha que ser.
Avisei somente as pessoas que tinha que avisar e não fiz grande alarido do caso. Avisei a administração da empresa, com quem trabalho directamente. Sei de quem não ficou agradado por não saber, mas não lamento não o ter dado a conhecer. Não é alguém a quem eu tenha que dar satisfações. A pessoa em causa gosta muito de ser a primeira a saber das notícias, para depois ser o arauto, enunciando que soube primeiro que qualquer um. Não tenho que contar tudo ao mundo. Os meus pai souberam quando tinham de saber, porque eu não quis dramas. Confesso que estive para não lhes contar, mas era muito mau se algo acontecesse. O meu marido estava contra se eu o tivesse feito. Dou-lhe razão agora.
Eu sou daquelas pessoas que fico extremamente nervosa só por ouvir falar em "medir a tensão". A…

Diário da gratidão | 06.01.2019

Estou grata pela lareira acesa, pela mantinha , o chá e o sofá. Lá fora estavam cinco graus às 20 h. Nem sei quantos estarão agora. Estou grata pelo calor do meu lar nesta noite tão fria.

Retomar o equilíbrio e ser mais positiva

Para o meu pai qualquer contrariedade é um drama. A minha mãe é uma pessoa, na maior parte das vezes, demasiado pragmática. Vivi com eles até ir para a universidade - continuando a sofrer da influência de ambos, embora de forma mais distanciada - e quando regressei da universidade, outros dois anos.
A verdade é que, às vezes, não somos nem sentimos outras coisas, ou não somos mais ou menos autónomos porque resultamos da educação dos nossos pais. Nós somos o resultado da mistura dos dois gametas, onde é a probabilidade a funcionar, e a influência deles. 
O casamento dos meus pais está muito longe de ser um bom exemplo. O meu pai é uma pessoa muito difícil e ultra conservadora, com os seus dramas sempre à flor da pele. A minha mãe é dura, uma lutadora, pouca dada a perder tempo com dramas e muitas choradeiras, com uma visão muito vanguardista das coisas.
Viver no meio disto, não foi fácil. Com o tempo e o meu casamento, afastei-me um pouco da influência emocional deles. Fiquei muito au…

Diário da gratidão | 05.01.2019

Como Touro assumo que dou muita importância ao conforto material e financeiro. Trabalho para algumas das coisas que considero importantes, para ter conforto, qualidade de vida. Assusta-me ficar "descalça" nos momentos difíceis.  Penso a longo prazo.

Hoje estou grata pela possibilidade de ter acesso a cuidados de saúde, infelizmente inacessíveis a muita gente. Penso nisso muitas vezes. Às vezes os problemas de saúde  das pessoas agravam-se por uma desajustada resposta no tempo. Se tudo pudesse ser mais fácil, evitava-se tanta desgraça. Estou grata por ter conhecido um cirurgião fantástico, que me deu confiança para avançar e a quem eu confiei a minha saúde. Está  a ajudar-me a conseguir alguma qualidade de vida que julgava  perdida. Tenho essa possibilidade e estou grata por  isso. Hoje houve revisão da cirurgia, e as coisas vão bem encaminhadas. Entre marcar a cirurgia e a mesma acontecer passaram menos de trinta dias e fui eu que escolhi o dia. Estou grata por estar tudo a…

Diário da gratidão | 04.01.2019

Estou grata pela coragem que senti hoje em mudar; não ter medo da opinião dos outros, por ter receio dos comentários parvos. Há 23 anos que não fazia isto. Hoje foi o dia de deixar os cabelos compridos e ter um corte radical.
Estou grata por gostar de me olhar ao espelho e gostar do que vejo ( mesmo que os outros não gostem).
(Estou estupidamente eléctrica que nem consigo adormecer. Lembrei-me que não tinha tomado o anti-histamínico. Pode ser que  agora acalme...)

Antes que isto se fine, falarei da Vida. Bonita. De alguém bonito.

Estou a tentar tomar uma decisão radical, contudo não sei bem o que fazer a este blogue. Grande parte dos blogues que estão na barra lateral já não escrevem nada assiduamente - devia actualizá-la - mas vivo sempre na esperança (cada vez que abro isto) que voltem a escrever e que eu, por antes gostar tanto de os ter lido, possa perder pitada. Ou fecho isto ou tenho mesmo que fazer uma grande remodelação,o que incluirá fazer uma limpeza geral...
Enquanto não decido o que fazer, e antes que eu quebre uma promessa feita a mim própria, queria escrever sobre um blogue,ou melhor, sobre alguém que de certa forma me tem incutido uma outra forma de ver algumas coisas na vida, para melhor. Também ajudou a criar um  estranho hábito, antes de dormirmos, cá em casa.
Às vezes, confesso, nas pausas do trabalho ou quando as chamadas são chatas, abro o Sapo, leio as "gordas" e volto a fechar e a regressar ao trabalho. Talvez por o bichinho dos blogues já morar cá há 10 anos, é impossível des…