sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

coisas que valem mais que medalhas...

Conhecemo-nos há quase dois anos. acho que eu fui a que demorei mais a confiar. por muitas razões.

No dia em que resolvi confiar em pleno [que foi há um par de meses], fiz questão de lhe dizer. estou a confiar e espero que não me dê nenhum desgosto, porque se isso acontecer vamos regredir bastante.

Temos partilhado muitos pontos de vista e, só pelos bons dias, percebemos muito do humor de cada um. e somos um a motivação do outro. Talvez porque ambos somos almas muito propensas a contar só connosco e nos fechemos e nós mesmos, por acharmos que os outros não nos compreendem.

Acho que desde sempre foi isso que nos fez simpatizar um com o outro. e quase tornar isto uma amizade. creio que entre nós existe uma fronteira inultrapassável que se chama respeito.

Limei muitas arestas na minha forma de pensar e ver limites, graças a ele. Deixei de pensar que a idade era impedimento para loucuras e desafios. Terei sempre uma dívida de gratidão, que reconheço e tento pagar da melhor forma que sei. com mais esforço, mas dedicação, mais empenho, mais motivação. hoje sou apaixonada por algo que me mantém a chama da Vida acesa e a paixão perdura há já bastante tempo, sinal que algo e alguém a alimenta.

Não há ninguém que não saiba que gosto muito dele e já lho disse algumas vezes. E, tal como em todas as minhas metas vencidas, tenho um leve assentimento da parte dele, como que a dizer que estou a  ir no bom caminho. sempre o conheci de poucas palavras, tendo pouca ou muita confiança com ele. mas quando resolve falar, saem-lhe umas piadas que me fazem rir à gargalhada. é uma pessoa por quem tenho muito apreço, se dúvida alguma haja.

De vez em quando lá lhe sai um elogio e eu fico como uma criança a quem dão um rebuçado gigante.

hoje em dia, trabalhamos em conjunto num cenário diferente de onde começámos. as pessoas continuam a parar admirar o nosso trabalho. sei que os olhos brilham de orgulho, mesmo que a boca raríssimas vezes o diga.

Ontem uma das suas colegas de trabalho aproximou-se enquanto fazíamos treino da parte superior. Além de dar força habitual, para a carga que eu estava a fazer, acabou por me dizer: tens feito um excelente trabalho. és o maior orgulho dos olhos dele.

O silêncio apareceu por instantes da mesma forma que a colega desapareceu. Afinal, ele não é assim tão calado e comenta com outras pessoas. só não o faz comigo…e ele dá treinos personalizados a cerca de vinte pessoas.

Isto não foi um elogio, foi uma medalha de ouro. Fiquei tão feliz por saber que ele tem tanto orgulho em mim como eu tenho nele. e isto também faz de nós pessoas melhores.

 

terça-feira, 12 de janeiro de 2021

Hoje acordei assim

Ainda que seja o diz que disse, parece que veio muita gente gabar-se das festarolas que foram o Natal e o Ano Novo. Em caves e salões de casas. Dizem que a Nazaré estava à pinha de gente que alugou espaços para comemorar. Eles. E mais sei lá quantas pessoas. Tudo ao molho.

Cambada de imbecis. Estais contentes?! Uma visitinha ao hospital para ver aquele sofrimento dos que estão estendidos numa cama e dos que trabalham para manter a coisa o mais humana possível. Julgam que as ambulâncias só transportam velhinhos com covid? Ide e vede pelos vossos próprios olhos. Chega de tudo...

Se a imbecilidade não vos levou, rezem para terem a mesma sorte com o coronavírus. Oxalá haja cama no hospital se precisarem dela... 

segunda-feira, 4 de janeiro de 2021

Indefinição

O instagram não é um sítio para escrever textos [e faz-me falta escrever]. O blogue não é um sítio para pôr fotos [porque não].

Há dias que acho que não vale a pena continuar a alimentar nenhum dos dois. Hoje estou num desses dias. Porque acho que estou sempre a postar sobre o mesmo.  

No blogue estou mais exposta na parte psicológica - e funciona como soul cleaner; o IG é mais para criar um compromisso comigo, para perder o medo de me expor, ou a vergonha de me ver espelhada como alguém de quem não gostava, e todos os dias me lembrar da minha evolução. 

Tornar um compromisso como algo público pode ser algo motivador. Mas há dias que acho tudo um tremendo disparate, porque não me sinto a contribuir para absolutamente nada. Não acrescento absolutamente nada.

Nisto das redes sociais, sou daquelas pessoas que gosto de andar ao sabor do vento, sem grandes linhas orientadoras. e tudo se torna uma miscelânea sem grande interesse.

quinta-feira, 31 de dezembro de 2020

Amanhã estará tudo igual...

A mudança de ano é apenas mais um dia de calendário. Não muda nada se as mudanças não passarem de intenções. A prova disso era que 2020, por ser um ano tão redondinho, fazia antever que seria promissor. Os astros conjugar-se-iam de tal forma, que a vida das pessoas iria ser fantástica. O ano começou mas não foi aí que o mundo conheceu mudanças. Um dia como outro qualquer, acordámos para uma realidade que nos era estranha. E o mundo mudou. Não era o primeiro dia do ano, ou o primeiro de um mês, não começava a Primavera nem estava previsto nenhum eclipse naquele dia. Mas o mundo mudou. Corrijo: sofreu uma mutação na humanidade, um transtorno, uma quebra na estrutura de um código que a definia e fazia parecer imutável.
Ainda acreditei que havia esperança. Que ainda teríamos a capacidade para aprender com uma adversidade como a Covid-19. Mas não, não aprendemos ou melhor, não nos reinventamos nem reaprendemos. Creio que começámos a mostrar o que de pior a humanidade adquiriu ao longo dos tempos,uma era civilizacional fechada e cheia de dados adquiridos em que vivemos.
Por isso, amanhã é só mais um dia, que fazemos rodar a roleta da vida. Não haverá mudanças se não te puseres ao caminho, se não trabalhares, se não fizeres por ti. 

2020 foi um ano generoso. Tive coisas que sempre estarei grata: a saúde, minha e dos meus, a paixão, a gratidão, a vontade de viver, o desafio, a superação, a luta, os sonhos, as conquistas, as a alegrias, a felicidade, o amor próprio, o empoderamento. Enfim, podia estar aqui a debitar coisas que 2020 me deu. Ou será que as conquistei eu, em 2020?
Sou uma pessoa mais feliz. E ainda serei mais. E nem precisava ser 2021 já amanhã... Porque mudar de ano, mudar para 2021 não mudará os meus planos. Não sei o que o futuro me reserva, mas na parte que me é permitido controlar, eu continuarei a lutar pela minha melhor versão. 
2020 foi alucinante. Não me permiti parar os sonhos. O foco em mim mesma manteve - se, a opinião dos outros já quase não é tida em conta, corro atrás do que quero, quer me chamem louca ou não. Mantive os meus treinos diários, sete dias por semana, ganhei saúde e continuo a trabalhar por gostar mais de me ver ao espelho. Continuo a ter a paixão pelos treinos, pelos desafios de me superar e já não lhe digo: não sou capaz. Eu tenho o melhor treinador que poderia desejar. Tem sido um mentor e quando me falta a força, nem preciso dizer-lhe nada. Ele é o meu suporte nas conquistas que consegui. Em muito daquilo que era e já não me lembrava. Estou tão diferente, por dentro e por fora. Aqui a vida pulsa intensamente, todos os dias. Dou por mim a pensar que nunca havia sonhado chegar aqui, mas cá estou. Coloco-me defronte do espelho e estou apaixonada pelo que vejo, mesmo que no roupeiro, já haja poucos vestígios do meu antigo eu. Gosto tanto do que vejo! E ainda vou estar melhor. 
Entre piropos e graças, recebo elogios rasgados às mudanças enormes que o meu corpo teve; sublinham a minha força, dedicação, empenho, força de vontade, paixão (muita, muita!), alegria. 2020 foi sem dúvida um ano em que dei tudo e estou a receber o melhor de mim. E não podia estar mais feliz. 
2021 irá assistir a uma versão melhorada de mim mesma, criada com a mesma dedicação e trabalho que tive em 2020. Irei ser aquilo que nunca pensei ser, mas que alguém sempre quis que eu fosse, porque sabe que a força e a garra estão cá dentro. Porque em todo este tempo alguém acreditou mais em mim que eu própria. Os (bons) resultados estão à vista. E ambos estamos muito felizes por isso.
Ficou por fazer a corrida de S. Silvestre. Tinha de ficar alguma coisa diferente para fazer em 2021.
 A felicidade depende unicamente de ti. O que estás disposto a fazer para mudar que não precises esperar pelo começo de um ano. Começa já hoje a árdua tarefa de ser feliz. Eu já estou a ser!
Feliz 2021! Muita saúde! O resto, vai à luta! 

quarta-feira, 2 de dezembro de 2020

Alguém tem?

uma anedota daquelas mesmo boas de partir a moca a rir?

pode deixar aqui? 

Agradeço muito.

Não me apetece ir...

Quando, nos dias que correm, ter um emprego, é uma bênção, sinto que estou a ser ingrata em desejar ficar em casa, não ir.

Se pudesse, arranjava uma boa desculpa  e não iria. Não tenho vontade, motivação, felicidade em ir trabalhar. Ainda mais, depois de cinco dias sem pensar nele...

Mas o dinheiro não cai do céu, e o que vem do trabalho paga as contas. 

Qual é o teu maior defeito?

Entre ter um tremendo mau feitio e gostar imenso de falar que nunca mais me calo, não sei qual é pior...
Falo, falo, falo.

Já te calavas, não?